___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________Surto___________________________Como racional, o homem é o único animal que precisa delirar para passar a Vida, os outros animais vivem_____________

_________________Sentindo-se indiferente para a cidade que morava, um homem fez-se rico para poder carregá-la cidade em seu bolso___________________Alguns sujeitos monetarizados afirmam que o dinheiro tudo pode. Leda ilusão: o dinheiro não pode deixar de ser dinheiro____________________________A ilusão do intelecto: acreditar na junção dos objetos. Desilusão do intelecto: acreditar na disjunção dos objetos___________________________________________________________

______Marx é cruel com o capitalista ao afirmar que o dinheiro é mercadoria: em seu mundo objetificado o capitalista desespera procurando encontrar, em cada mercadoria adquirida, o dinheiro____________________Se com o desapareciemnto do social desapareceu também o político, então todo candidato é um espectro do político. Logo, a democracia é espectral_____________________________A Lei Maria da Penha é um direito institucional de proteção da mulher, principalmente contra a violência exercida por seu parceiro. Como algumas mulheres casadas da classe média são violentadas por seus maridos, e não os denunciam, presume-se que diante da lei não são mulheres, só diante do hábito patriarcal___________________Enquanto no mercado das vaidades há uma luta violenta entre os sujeitos, no mercado livre indivíduos escolhem princípios sem preocupação com a história_________________________O hábito de enterrar os seus mortos é mais uma hipocrisia cultural do homem moderno quando se sabe que o primeiro homem que morreu não foi enterrado____________________É terrível alguém ter que convencer outro alguém para lhe amar, mas o mais terrível é se esse outro alguém for convencido_________________________No sistema capitalista quando alguém sentencia que não trocaria sua vida por nada, assina sua total inutilidade________________________Na lógica do clichê infalível, se diz: “Verdadeiro como o sal nasce todo dia”. Infalivelmente, duas sentenças falsas: 1 – O sol nunca nasceu. 2 – Se o sol nascesse ele não nasceria para os mortos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.