BARQUINHOS PRA IEMANJÁ DE DONA DORA E PAI GEOVANO…

Eu sou filho de Iabá

Iabá é minha mãe

Oh! Rainha do tesouro

Doce Iabá do fundo mar

Flores, jóias, perfumes, espelhos, bebidas, velas e pedidos para a Rainha do Mar em agradecimentos pelas conquistas deste ano e pelos desejos para que no próximo ano ela continue nos deitando as suas bênçãos. Foi assim que Dona Dora foi até a Ponta Negra arriar as barcas para Iemanjá…

Esse barquinho é pra ela, é pra Iemanjá, são as coisas, as jóias dela, as velas. Colocamos na correnteza e ela vai embora e aí vai sumindo, ela não alaga. Ela vai embora com tudo dentro, as jóias, vai os pedidos. A gente faz os pedidos e bota dentro da barca e esses pedidos que vai dentro da barca acontecem. Aconteceu comigo, aconteceu com meus clientes. Todo ano eu venho colocar, mas já estava com dois anos que eu não colocava. Todo pedido vai dentro daquela barca, os pedidos de todo o pessoal do terreiro, vai tudo ali dentro, e vai dos clientes. Esse ano vai ter coisas boas. Esse ano nós vamos ter êxito na vida porque eu botei a obrigação de Iemanjá. Todo ano quando eu botava a minha vida vivia bem. Esse ano teve muito problema e eu arriei esse ano, e no ano que vem a gente vai ter muito êxito na vida. Eu já tava com dois anos que eu não arriava a obrigação, porque o meu Pai de Santo disse que eu não podia arriar a obrigação pra Iemanjá porque lá onde eu tava eu arriava. E aqui em Manaus eu tinha um Pai de Santo, que era o Delmar, ele disse: “Aleijado não pode arriar obrigação pra Iemanjá”. Como que não pode, se eu arriava e dava certo? Aí esse ano eu arriei, o Pai mandou eu colocar e eu vim arriar a obrigação. Esse ano vai melhorar a vida de todo o mundo que vai os pedidos dentro da barca.

Pai Geovano, que acompanhou Dona Dora na preparação e realização do cumprimento dessa obrigação, também falou a este bloguinho sobre este ritual…

Isso é uma obrigação que a gente faz pra Iemanjá agradecendo o que nós adquirimos no ano que está se passando e pedindo pra que ela traga prosperidade, porque assim como ela vai seguindo, as nossas vidas sigam também, nossos caminhos sejam abertos, nossos amores que perdemos no passado e que queremos muito, que no futuro volte e tudo mais. Esse espelho, essas bijuterias que a gente oferece pra Iemanjá pra que ela se lembre da gente o ano todo. É esse o ritual da barquinha solta no mar, representando a nossa liberdade em adquirir coisas e um agradecimento que o mais profundo de todos.

5 thoughts on “BARQUINHOS PRA IEMANJÁ DE DONA DORA E PAI GEOVANO…

  1. Eduardo,
    não sabemos sobre essas questões pecuniárias religiosas, acreditamos que, para quem cultua, a importância não é tanto o preço, mas a crença autêntica na(s) entidade(s) que você cultua. Dê uma olhada na barra lateral desse bloguinho e você vai encontrar o número de Pai Geovano, que poderá com toda a certeza lhe falar melhor sobre essas e outras questões…
    Axé!

  2. Sandra,
    estando você em Manaus, pode ir até à Feira do Jorge Teixara, na cabana Pai Oxalá, e lá você falará com o próprio Pai Jeovano.
    Abraços afiandos!

Responder a sandra almada Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.