PARA ALÉM DOS “ACORDÕES” MUNICIPAIS

Manaus é uma cidade que em sua história nunca teve uma oposição, já que para isso seria necessário ter uma posição política. Na história do Amazonas, quase sempre, principalmente a capital, predominaram grupos que tentam se apropriar de filões do poder, fazendo às vezes simulações de embates verborrágicos, mas todos com os mesmos códigos, sendo iguais. Ausência de política, enquanto aumento das potências produtoras da cidade como um todo. Grupos que no ‘gogó’ sempre se ‘arrotaram’ como esquerda no Amazonas, na primeira oportunidade de “se dar bem”, demonstraram prontamente que não tinham posição de uma práxis ética/democrática, como aconteceu com o PC do B e o PTAM Oh!, my darling!, e por isso estão em tão bem comum acordo locupletando o Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus. Mas estes momentos são bons para se perceber quem não coaduna seu discurso com a prática e quem deixa passar fluxos democráticos, o que é melhor para a população, não se deixando levar por oportunismos chantagistas, como o “ACORDÃO” entre o prefeito Serafim e os vereadores da CMM, que até saiu nos jornais como algo natural da política, enquanto na verdade não passa de falseação e corruptela. Entre os poucos que não se deixaram envolver nesse jogo viciado, e pautam seus discursos/ações a partir da razão, estão os vereadores José Ricardo e Waldemir José, do PT, que têm de resistir até aos apelos da banda Oh!, my darling! Internamente. Ontem recebemos da Assessoria de Comunicação do vereador José Ricardo um texto que deixa clara a sua percepção lúcida dos rumos da atual gestão da Prefeitura de Manaus e o seu comprometimento ético/político com a população. Eis o texto…

José Ricardo critica possível novo reajuste da água para 2008 e afirma que Prefeitura “fechou os olhos” para emendas parlamentares

O vereador José Ricardo Wendling (PT) criticou ontem (3/12), no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o novo reajuste que poderá ser efetivado nas contas de água na cidade, a partir de janeiro de 2008, em mais de 9%. De acordo com ele, a empresa concessionária Águas do Amazonas precisa apresentar as planilhas de custos para que se justifique um novo aumento, caso contrário, entrará novamente com uma representação no Ministério Público Estadual (MPE). Em janeiro deste ano, o parlamentar, juntamente com o deputado federal Francisco Praciano, entrou com uma representação no MPE para tentar barrar o reajuste – de 29.04%, até hoje sob análise da procuradoria da instituição.

Segundo o vereador, é um absurdo que a população da cidade de Manaus seja a única prejudicada com esses reajustes nas contas de água. “Sabemos que em muitos locais da cidade o serviço é oferecido de forma precária e em outros nem água nas torneiras chega às residências da população. Além disso, precisamos de mais investimentos nos serviços de esgoto”, declarou ele, acrescentando que o executivo municipal divulgou audiência pública, na semana passada, para discutir o assunto, mas não chegou convite aos parlamentares, apenas houve divulgação no Diário Oficial do Município (DOM). “Lamento que não houve divulgação mais ampla sobre essa audiência, já que muitas entidades civis organizadas também não foram convidadas. E considero ainda que o assunto é tão importante que deveriam ter sido feitas várias discussões com as comunidades, não apenas uma”, reiterou.

ORÇAMENTO PÚBLICO

Com relação ao Orçamento Público Municipal para 2008, aprovado na semana passada e sem nenhuma emenda aprovada, o vereador José Ricardo afirmou que a Prefeitura de Manaus desprestigiou o poder legislativo municipal. “Essas emendas são importantes para melhorar o orçamento municipal. São pautas que englobam programas gerais”, disse ele, referindo às suas emendas que contemplavam mais orçamento para construção de abrigos, como ainda mais alocação de recursos para os Conselhos Tutelares de Manaus. Para ele, a atual gestão municipal disse “não” para todas as boas sugestões apresentadas pelos vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

ESMOLA”

O parlamentar também citou os R$ 10 milhões que o Governo do Estado destinou à Prefeitura de Manaus para investimentos nas vias da cidade. Para José Ricardo, esses recursos não passam de esmolas, já que o executivo estadual já investiu nas vias de muitos bairros, mas hoje estão “recheados” de buracos. “Obras mal feitas, como a da Comunidade América do Sul, demonstram que o poder público estadual quer apenas ganhar politicamente com essas obras na cidade de Manaus”, desabafou ele, criticando ainda que a Prefeitura também ainda não deixou claro o que precisa para solucionar os buracos das vias da capital.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

CRISTIANE SILVEIRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.