i iNDA TEM FRANCÊS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

@ PAULO AUTRAN: UM ARTISTA PARA ALÉM DO CONCEITO BURGUÊS. A mídia harpia/carpideira, com sua limitada condição epistemológica, sempre projeta em seus objetos de comentários a sua própria realidade. Assemelha o outro ao seu parco entendimento do mundo. E quando se trata de alguém como imagem pública, ela se esmera e transforma esse alguém em mercadoria lucrativa. No caso do homem/artista Paulo Autran, ela simplesmente repetiu o seu vetusto comportamento. Mostrou uma biografia melosa, destacando suas participações em encenações teatrais, telenovela e cinema. Contando, é claro, com depoimentos de “críticos” e alguns amigos ingênuos. Inclusive diretores de teatro e atores. Desfilaram Autran como mais um que se vai como mercadoria que garante o faturamento dos dias doze e treze. No dia quatorze tem Brasil e Colômbia. Autran já não conta mais. Mas esta mídia, em sua condição espectral, está certíssima: entoa o cântico obtuárico do lucro. Daí, não saber que um ator, como Dionísio, é anômalo, um estranho, outsider, um intruso na semiótica moralista hierarquizadora: este deu certo. Um ator escapa em seus personagens. Escapa não como fuga. Como alguém que não quer assumir uma identidade: Eu. Escapa como fluxo de se tomar em um outro (não ser outro) como zona de vizinhança transformadora. Entender personagens em territórios múltiplos em estados de coisas e enunciados diferentes. Compreender estágios dialéticos da história, ou pré-história, como disse Marx. Aí o político Paulo Autran, que não deixou passarem despercebidas temporalidades. Tudo sem fazer alarido. Tudo sem o eu sou o cara. A imbecil, imbecilizante mídia jamais poderia ver este Paulo. Um Paulo agarrado em sua arte por uma ditadura militar na potência de sua festividade dionisíaca. Um Paulo consciente do viver democracia, do viver liberdade, do ódio do repressor, do ódio do censor… Um Paulo postado, junto com o pessoal do teatro de costumes e o pessoal do teatro novo, na frente do Teatro Municipal, protestando contra a repressão aos meios artísticos. Uma irrisão ao que seria o AI-5. Um Paulo que viveu a sanha dos repressores querendo prender tudo que fosse vermelho ou qualquer cor. Até Chapeuzinho Vermelho. Até o grego Sóflocles. Levado o elenco do Édipo Rei a presença do cana, ele querendo encanar o autor da peça, perguntou quem era o cara, onde morava e se era comunista. Ao que os amigos de Paulo responderam que não sabiam, pois ele havia vivido a 500 aC. Este Paulo Autran à mídia seqüelada não conta. De tão seqüelada, nem sequer desconfiou de um dionisíaco de 85 anos. De um dionisíaco observador e interprete do mundo. I inda tem francês…

@ EUA, CAMPEÃO DE CHACINAS JUVENIS. Inspirado pelo massacre ocorrido em Columbine, o jovem Dillon Cossey, 14 anos, pretendiaCharge do jornal argentino Página 12 entrar na Plymouth-Whitemarsh High School, no subúrbio de Philadelphia, e abrir fogo. O jovem é ex-aluno da instituição, e a um ano e meio teria sofrido agressões por parte de colegas. Em seu quarto foi encontrado um arsenal, com rifles, granadas, espadas, escopetas e um manual de fabricação de explosivos. As armas foram compradas pelos pais, que afirmaram desconhecer o que o filho pretendia fazer. Dillon foi preso pela polícia antes de executar seu plano. Num país que cultua a dor e a morte, e tem como práticas pedagógicas a competição desregrada e o não contato físico e afetivo, este tipo de acontecimento apenas demonstra que a violência institucional, cultural e midiática não percebida pela sociedade americana contra crianças, jovens e adultos encontra eco somente quando os tiros soam. E que esta violência tem relação direta com um país onde o lucro é o objetivo maior a ser alcançado pelas pessoas. Em tempo: ontem, outro estudante de 14 anos invadiu a escola em que estudava, em Cleveland, Ohio, feriu cinco pessoas e depois se suicidou. I inda tem francês…

@ BANCO DO SUL JÁ TEM DATA DE NASCIMENTO: 03 de novembro de 2007. Com um fundo de 7 bilhões de dólares, o banco, que faz parte dos planos de integração da América Latina empreendidos pela Venezuela, conta ainda com Bolívia, Argentina, Paraguai, Brasil, Equador e Uruguai. O Chile entrará como observador neste primeiro momento. As duas sedes iniciais serão montadas em La Paz e Buenos Aires. O banco pretende ser uma alternativa de financiamento para os países do Sul ante os organismos financeiros internacionais. Mais dor de cabeça para os norte-americanos e os adeptos do neoliberalismo globalitarista. Argentina e Brasil já deram adiós a organismos como o FMI, e a possibilidade de se constituir uma fonte própria de financiamento para países que historicamente foram sufocados por políticas econômicas ditadas de fora é inédita e se pretende duradoura. I inda tem francês…

@ O CENSOR-MOR DO BRASIL ATACA NOVAMENTE. Ali Kamel, o espectro-personalizado em tamanho individual da paranóia do olho Globotarizante deixa escapar de suas palavras os gestos e atitude típicas dos tiranos. Em emeio dirigido ao Diário do Grande ABC, solicita claramente que os artigos de articulistas que citarem seu nome a partir de agora devem passar pelo crivo dele (!) – sendo que ele não trabalha no referido jornal. Como ressalta o próprio Nassif, se ele faz isso num órgão de imprensa em que não trabalha, o que não fará na Globo. Quem vive no Brasil nos últimos 40 anos sabe muito bem o que Ali Kamel, mais-que-perfeito sucessor do outrora grande censor do Brasil, Roberto Marinho, fez e continua fazendo: defendendo interesses econômicos internacionais e próprios como se fosse a verdade absoluta. I inda tem francês…

@ INTERNET CONTINUA AMEAÇANDO A PROPRIEDADE INTELECTUAL. Nos EUA, tribunal do Estado de Minessota condenou uma dona de casa a pagar mais de 200 mil dólares de multa por violação de direitos autorais, por ter baixado músicas e armazenado em seu computador. O argumento da associação americana das gravadoras foi a de que tomam prejuízo cada vez que uma música é baixada da internet, já que os investimentos em marketing, jabá musical e promoção do artista vão por água abaixo. A dona de casa terá de trabalhar 15 anos para pagar a multa. Enquanto isso, na contramão deste conceito de propriedade atrelado ao merchand das gravadoras, a banda inglesa Radiohead lança seu disco no seu blog, e o acessante internético decide quanto quer pagar, podendo inclusive não pagar nada para a banda para ter acesso às músicas. Para os fãs mais exigentes, a banda também oferece um pacote com o disco e alguns extras, por cerca de R$ 150,00. Sem gravadoras, sem músicas nas rádios, tudo pela internet. Clique aqui para baixar o disco. I inda tem francês…

@ E AGORA QUE RENAN FOI PARA AS ALAGOAS? A truônica oposição há muito que imputa a culpa da paralisação do senado ao seu presidente, Renan Calheiros. Mas se o senado há muito, muito tempo não trabalha de forma ética, no sentido de aumentar a potência de agir da população de forma democrática, principalmente durante os oito anos do governo FHC, quando Renan era da situação deles, quando o Brasil quebrou economicamente, social e politicamente. Pra segurar a rima, parece que o senado mente. “Mente, mente, mente desesperadamente”, como diria Drummond. A senilidade senatorial é a ausência de movimento. Paralisia absoluta. A que apelará agora a pastelã inexistente oposição? Quem será o próximo culpado para assegurar sua salvação? Será fácil escolher entre eles, uma vez que o senado está cheio de Renans. Renans piores do que Renan, incluindo as três contribuições amazoniquins. Renan pode ir sossegado para as Alagoas que o esperam, que na volta sua casa será a mesma. A única coisa sensata a fazer seria, como propõe Cláudio Weber Abramo, diretor executivo da Transparência Brasil, extinguir o senado. Ficaria só a Câmara Federal para atrapalhar. Quem vota? I inda tem francês…

Vamos que vamos

Que até Dionísio, que fez que foi, não foi

Continua festejando…

 

3 thoughts on “i iNDA TEM FRANCÊS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

  1. Caríssimos
    Venho agradecer a extrema gentileza de vcs, posto que meu blog, apenas reproduz o que considero o melhor da blogosfera. Melhor, claro, no sentido de estar alinhado com o que penso em política, filosofia, arte e humanidades.
    Portanto, é pura generosidade do “anfisophia” ter tanta consideração pelo metropolitano. Vir à sua página, me deixa em acréscimo intelectual e político.
    Gratíssima,
    com o abraço
    de
    selenia granja

  2. Companheira Selenia,
    O trabalho que você realiza no Blog Metropolitano tem importância no sentido de promover a contaminação do espaço informacional da internet com notícias e compreensões para além do clichê redundante da mídia oficial. Diferente de outros blogueiros que reproduzem notícias da grande mídia, e que por isso não carregam nenhum elemento afetivo-afetante que promova a possibilidade do Novo, ao aglutinar em seu blog diversos textos, como você mesma disse, “alinhado” ao seu pensamento, você aumenta a potência de ação do corpo-internet como rede de resistência aos interesses do capital, cria possibilidade de compor, dentro desta rede, outros corpos-modos de existência produtores da comunalidade, afinadamente falando. Esperamos continuar contando com seu talento, inteligência e potência criadora na blogosfera!
    Abraços!

  3. Olá Galera ANFISOPHIA.
    Agradeço a generosidade intelectual e afetiva que o grupo ANFISOPHIA tem me dispensado.
    A forma pela qual me expresso na blogosfera, tem gerado frequentes críticas de ‘blogueiros famosos’ que aqui não vou citar, do tipo, ser chamada de googleóloga, fake, etc, apesar de sempre citar rigorosamente as fontes qdo se trata de reproduzir textos de outros blogs afins.
    Além da minha paixão pelos livros, que leio e reproduzo excertos a ex de Juan Rulfo, Antônio Tabucchi, Italo Calvino, para citar alguns, que sei, fui das primeiras a divulga-los na internet.
    Sobretudo, a minha intenção, de fato, neste blog, é dar visibilidade ao que considero os melhores pensadores nos quesitos que quero apresentar, por se tratar de temas do meu interesse pessoal, e imaginar que de algum modo, estou ecoando temas caros a alguns. Todavia, considerando sempre o uso sócio-político da web.
    Uma honra, de fato, ser notada por vocês, se for para o bem do meu ego..rs..o que não é o caso, mas se fosse, me bastaria tão alta honraria. Ter a visita consoladora, estimulante e superlativamente inteligente do grupo ANFISOPHIA.
    Gratíssima,
    ainda que imerecidamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.