i iNDA TEM FRANÇÊiS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

@ MUNDO TERÁ MAIS DE UM BILHÃO DE FAMINTOS EM 2009. Segundo dados da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), o número de pessoas subnutridas no mundo, as que consomem menos de 1800 calorias diárias, aumentará em quase 100 milhões, totalizando, ao final do ano, aproximadamente 1,02 bilhão de pessoas. Um sexto da população. A FAO responsabiliza a crise financeira mundial, esquecendo que esse número, mesmo em tempos de bonança do mercado financeiro, não parou de crescer. A questão é que crise não há, senão a produzida pelos agentes financeiros que, nas últimas duas décadas, acirraram as dissiparidades econômicas, e desequilibraram o tabuleiro das relações de dominação. Fato é que os países desenvolvidos perderam na balança do chamado neoliberalismo, abrindo espaço para os chamados emergentes, dentre eles, Brasil, China e Índia. Crise, no entanto, não há, já que os signos que constituem as relações da economia política não se modificaram. E a fome, sintoma de um modo de produção social que a desterritorializa do plano biológico para inscrevê-la como produto da exploração dos meios de produção e da mão-de-obra, surge como evidência de que o capitalismo não está em crise, mas que seus operadores estão em pleno funcionamento. Fato é que o PIB mundial nunca foi tão grande, e igualmente recordista é o número de famintos. Enquanto os EUA, Inglaterra e Europa financiam os bancos, quebrados com a especulação sem regulação, países como o Brasil e a Índia subvencionam pequenos investidores e a população em geral. Ainda se trata de capitalismo, mas ao menos focalizando naquilo que é o necessário: as pessoas. I inda tem françêis…

@ LEI SECA COMPLETA UM ANO COM REDUÇÃO DE ACIDENTES. A Polícia Rodoviária Federal apresentou esta semana um balanço de um ano da lei que ampliava a repressão ao uso de álcool por motoristas nas estradas brasileiras, a chamada Lei Seca. A queda no número de acidentes, em geral, foi de 3% nos últimos doze meses. Parece pouco, mas se considerarmos que neste mesmo período a frota de veículos (carros, motos e utilitários) cresceu em progressão geométrica, trata-se de uma queda, na realidade, bem maior. Em Manaus, por exemplo, onde o motorista, até ano passado, tinha que lidar com alguns milhares de veículos a menos, mas em compensação tinha que encarar buracos e desvios nas vias públicas, problemas que só se acentuaram na nova gestão sub judice, é de se comemorar que se tenha havido queda nos índices. Há que se considerar ainda que a diminuição no número de acidentes incide diretamente sobre a política de saúde: são 23% a menos de internações hospitalares e 22% a menos de mortes no trânsito. Embora de teor repressivo, e não educativo, a lei acabou “pegando” menos pela sua eficácia do que por fazer funcionar efetivamente a rede de fiscalização. De qualquer sorte, em uma sociedade que preza como valor máximo a preservação da existência biológica do ser humano, é uma conquista. I inda tem françêis…

@ LÍDER CAMPONÊS ASSASSINADO NO SUL DO PARÁ. Luiz Lopes Barros, coordenador da Liga de Camponeses Pobres do Pará-Tocantins (LCP-PA/TO), uma das mais conhecidas lideranças do movimento camponês no estado do Pará, na sexta-feira (12), quando ia a uma reunião de camponeses, foi brutalmente assassinado com vários tiros. Chico Mendes, Irmã Dorothy, Luiz e tantos outros que foram violentamente mortos nas lutas pelas terras no Pará e em outros estados. É a dizimação dos homens e das riquezas naturais pelos latifundiários, madeireiros e seus pistoleiros, enquanto o Estado arrasta-se falido para fora da modernidade e dos discursos vazios de direitos humanos. I inda tem françêis…

@ AYATOLÁ CONFIRMA AHMADINEJAD PRESIDENTE DO IRÃ. Segundo Wálter Fanganiello Maierovitch, ONU e UE externam preocupação. Se houve fraude ou não nas eleições não é uma questão pertinente. O Ocidente não deixaria ao Irã a possibilidade de uma eleição democrática. Como afirma Edward Said, um ativista palestiniano, dá-se a criação ocidental de um Outro oriental, que é importada e depois exportada de volta ao Oriente como verdade (Fundamentalismo) e realidade (Extremismo). Daí que deste lado da Globalitarização, pouco poderemos fazer a não ser impor os valores ocidentais para justificar sanções e possíveis retaliações a países como o Irã, assim como foi feito ao Iraque; e se isso ocorrer já não será necessário qualquer verossimilhança. Não houve nada que justificasse sequer a morte de Sadam Husseim por Bush, quanto mais a invasão ao Iraque e o massacre a crianças, homens, mulheres, velhos iraquianos. Enquanto a estratégia ocidental não for além da ocidentalização do Oriente, com fraude ou sem fraude, com ou sem apoio ilegal a Moussavi, considerado “moderado” por muitos governos de cá, embora seus projetos nucleares pouco ou nada tenham de diferente dos de Ahmadinejad, pouco poderemos auxiliar numa democratização de qualquer país oriental. I inda tem françêis…

@ DEPUTADO WALLACE SOUZA (PP) DENUNCIADO PELO MPE. Depois de diversos meses de investigação ao crime organizado e tráfico de drogas na cidade de Manaus, que já levaram diversas pessoas para a prisão, entre elas, apontado como chefe da quadrilha, Raphael Souza, filho do deputado estadual Wallace Souza (PP), o Ministério Público do Estado (MPE) chegou ontem ao chefe do chefe com a denúncia apresentada pelo procurador-geral de Justiça Otávio Gomes contra o deputado no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM). Embora sem poder ser investigado, devido ao foro privilegiado, todas as denúncias chegam a ele, e o apontam como mentor e chefão. Entre as denúncias estão formação de quadrilha, corrupção de testemunhas, porte ilegal de armas permitidas e de uso das Forças Armadas, tráfico de drogas, corrupção de menores e improbidade administrativa. Conforme os inquéritos sejam concluídos, é provável que Wallace seja ainda denunciado por homicídios. Enquanto a força-tarefa continua as investigação aos outros acusados, indo todas as acusações para dentro da Assembléia Legislativa do Amazonas, Wallace Souza terá 15 dias para apresentar sua defesa ao desembargador Domingos Chalub, relator do processo. Mas pelo visto essa já não vai ser uma tarefa fácil. I inda tem françêis…

Vamos que vamos

Que se formos só amanhã

Não caminharemos hoje

E amanhã não iremos

Se não caminharmos hoje…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.