LUIS NASSIF: OS ESTRAGOS NO MERCADO DE TRABALHO DESDE 2015

A Indústria perdeu 792 mil postos de trabalho. Mesmo com o boom agrícola, a Agricultura reduziu em 531 mil os postos de trabalho.  

Agência Brasil

O estrago do modelo neoliberal – inaugurado na gestão Joaquim Levy – pode ser medido pelos dados do PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio).

A última se refere ao período março-maio de 2022. A comparação é com mar-maio de 2015, início do período.

A População Economicamente Ativa cresceu 7,7%, ou 12,4 milhões de pessoas a mais em idade de trabalho. Mas a Força de Trabalho também cresceu 7,7%, mas em cima de uma base menor. No total, a PEA cresceu 12,4 milhões, mas a FT apenas 7,7 milhões. A FT Ocupada absorveu apenas 5,4 milhões desse total. Desocupados + Fora da Força de Trabalho cresceu 7 milhões de pessoas, 10,3% a mais do que em 2015.

A composição do emprego mostra a queda de qualidade nas ocupações. 

A Indústria perdeu 792 mil postos de trabalho. Mesmo com o boom agrícola, a Agricultura reduziu em 531 mil os postos de trabalho.  

Os maiores aumentos vieram em setores de baixa qualificação, Comércio e Reparação de Veículos (1 milhão), Alojamento e alimentação (1 milhão).

Há uma queda acentuada nos rendimentos em todos os setores, com exceção da Agricultura, Pecuária. Na Indústria Geral a queda chegou a R$ 307,00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.