i iNDA TEM FRANÇÊiS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

@ APESAR DA CHAMADA CRISE, POBREZA NO BRASIL DIMINUI. Pesquisa realizada pelo IPEA mostra que, entre outubro do ano passado e março de 2009, 316 mil brasileiros deixaram a linha da pobreza e adentraram a porta do consumo. A amostragem foi realizada nas seis maiores regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife). Nestas regiões, precisamente, de acordo com o instituto, 315.921 famílias passaram a ter renda per capita superior a meio salário-mínimo. O aumento real no valor do salário, e as políticas de transferência de renda são os principais responsáveis pela conquista, num momento em que, em todo o mundo a renda se retrai, os investimentos minguam, e somente quem já tem lucra com o aumento da miséria dos que não tem, e que ficam com menos ainda. No caso do Brasil, não se trata de mágica, mas tão somente de um governo interessado no plano da coletividade, como corpo político, e não apenas como entidade estatística. Aí encontra-se a diferença entre o sociólogo e o torneiro mecânico… I inda tem françêis…

@ NOVO FILME DE MICHAEL MOORE DESMONTA A FARSA DA CRISE. Já tem data prevista para estréia o novo filme do cinegrafista estadunidense Michael Moore: 02 de outubro. Em sua última investida, o filme-documentário Sicko, conhecido no Brasil como SOS Saúde, Moore conseguiu colocar no topo da pauta da corrida presidencial a questão do financiamento público da saúde nos EUA, uma das promessas de campanha do atual presidente, Barack Obama. Como evidenciou todas as tramas que envolveram o 11 de Setembro no instigante Fahrenheit 9/11, ou explorou a tara nacional pela violência e pelas armas de fogo em Tiros em Columbine. Moore é um examinador da realidade social de seu país, mas prefere escrever com a câmera. Em seu novo longa metragem, ainda sem nome, ele promete trazer “uma visão cômica das tramóias das corporações e da política. Moore sabe que não há crise que não seja corolário do próprio sistema capitalista, e que não há estranheza naquilo que é humano, demasiado humano. Crise para valer deve acontecer quando o filme for lançado, e muitas destas “tramóias” até então ocultadas, começarem a vir à tona... I inda tem françêis…

@ SÃO PAULO CRIA LISTA SUJA DE ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS. A Câmara dos vereadores da cidade de São Paulo votou e aprovou em primeira votação um projeto do ultra-direitista vereador Gabriel Chalita (PSDB), que prevê a criação de uma lista de alunos “problemáticos” nas escolas municipais paulistas. O objetivo, de acordo com o ex-futuro ministro da educação de um pretenso governo Alckmin, é criar uma lista dos praticantes do bullyng, anglicismo psicologizado de um fenômeno social. A criança exprime a violentação do seu fluxo criador, e reverbera a xenofobia mundial, produto do acirramento das desigualdades sociais e do pânico generalizado: o excesso do controle social, o simulacro da segurança pública como o controle sobre as expressões e os modos de existir. Confusão entre causa e efeito. Não se trata a violência com interdição, mas com entendimento, com produção autopoiética de saberes e dizeres. Tudo o que a escola e o (des)entendimento sobre educação que a direita carrega não compreende. I inda tem françêis…

Vamos que vamos

Pois quem veio não vai chegar

E quem foi não vai ficar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.