FELICITAÇÕES AFRO-RELIGIOSAS DE PAI JOEL DE OGUM

Pai Joel e suas entidades por você.

DOS BONS ENCONTROS AFRO-RELIGIOSOS

Eu agradeço de coração à Mãe Emília por tudo que ela me ajudou. Agradeço também ao Pai Francisco e, hoje, à Mãe Maria do Seu Jacaúna, porque a gente tem que conversar sempre com as pessoas mais velhas, principalmente de santo, a gente tem que trocar idéias com pessoas experientes. Eu estou com 35 anos, eu sou de uma geração nova. Mãe Emília me falou uma coisa: “Meu filho, eu quero que você faça sua história aqui dentro de Manaus.” Se as pessoas falam isso de você, que você tá cruzando as pernas, se você tá abraçando alguém, isso é a sua história. Eu converso muito com a Mãe Maria, que hoje é minha mãe de santo, cuida das minhas coisas, tá assentando minhas coisas, e eu agradeço a ela. O Pai Francisco, quando eu cheguei do Rio, ele me ajudou muito mesmo, eu queria agradecer de coração; é aquele caso, a gente tem um caminho, se Deus não permitiu que a gente caminhasse junto, viesse outra pessoa pra caminhar, mas ele fez muita coisa boa pra mim, e eu vi o trabalho que ele vem fazendo, até o ponto que eu estava com ele, foi muito bom, me ajudou muito. Eu fui ensinado de um jeito, aqui em Manaus as pessoas trabalham diferente, eu aprendi lá e estou aprendendo cada vez mais aqui. Nesse trabalho esse ano eu agradeço muito ao Seu Zé Malandro, ao meu Padrinho das Almas, ao meu Senhor Ogum por ter me ajudado nesse caminho de êxito, de sucesso, e principalmente a Deus de ter me dado essa oportunidade de tá aqui em Manaus, justamente com minha família, a família do Zé Malandro, juntamente com os clientes, meus filhos, que me ajudam muito aqui dentro do barracão.

DE COMO FRAGMENTAR A INTOLERÂNCIA

Vamos ser mais unidos aqui em Manaus a respeito da intolerância, inclusive aqui em Manaus teve estas palestras, eu participei de quase todas, eu sou testemunha do trabalho que a Mãe Emília vem fazendo, o Fopaam também, com esse trabalho bonito que o professor Gláucio vem fazendo, a gente tem que se unir, Federação—Barracão, Barracão—Federação. É aquela coisa, se alguém taca pedra, vamos pegando as pedras e botando num canto, que talvez sirvam pra alguma coisa. A Mãe Emília tá tentando fazer um levantamento de quantos barracões existem no estado do Amazonas, ela vai conseguir, e se depender de mim e das pessoas que estão comigo, ela vai conseguir levar o conhecimento da lei, porque muitos barracões não conhecem as leis de 1948, por exemplo, dos Direitos Humanos; então, no caso, a gente tem que se unir. Tudo depende dessa união. Na realidade ninguém é melhor do que ninguém, a gente só quer dizer que nós do Candomblé, da Umbanda não somos nenhum bicho, têm que respeitar a gente. Principalmente os chamados evangélicos — mas nem todos — não respeitam a nossa religião. Eu fico ferido por eles estarem sempre assim perseguindo; a mim, não, porque não dou confiança, e meus vizinhos não vem aqui no barracão, mas me têm como amigo, conversam, participam de churrasco, de aniversário.

NA COMUNHÃO DAS PESSOAS E DOS ORIXÁS

A gente vive também de vitórias. É necessário então ter o pé no chão. Quem tem sua banquinha, continue cultuando, não desista, porque às vezes a pessoa leva um tombo, e aí vai pra igreja, você não vai conseguir nada na igreja. Se você pensa que vai à igreja só pra prosperar, e o seu amor? Porque harmonia familiar tem de ter amor. Não deixe sua fé cair; a fé acima de tudo. Graças a Deus, esse ano foi muito bom pra mim, não tenho do que reclamar, foi ótimo, assim como pra mim, pra minha esposa também, senhor Ogum abriu caminhos pra todos, recebemos até coisas inesperadas. Pra mim foi uma alegria muito grande ter podido ajudar meus filhos. Temos sempre que dialogar, conversar, assim como eu converso com minha esposa também, com meus filhos biológicos. Esse ano foi muito bom, eles fizeram as obrigações deles, tudo direitinho, estão se dedicando, cada vez mais. Que 2009 seja um ano repleto de felicidade, muita alegria, muita paz, muito axé, em nome de meu pai Oxalá, em nome de senhor Ogum Beira-Mar, em nome de minha casa…

FELICITAÇÕES DE DONA JOANA

Esse ano de 2008 foi um ano maravilhoso. Tudo de bom aconteceu pra nossa família, nossa família de casa — eu, meu marido e nossos filhos — e a nossa família religiosa — que são os filhos de santo do meu marido. Eu espero que o ano de 2009 seja muito melhor. Eu só tenho mais é que agradecer a nosso Pai Oxalá e ao nosso pai de santo, Pai Joel, meu esposo.

FELICITAÇÕES DE D. ANITA, CAMBONA DA CASA

Eu só tenho a agradecer esse ano, que foi maravilhoso pra todos nós, eu só tenho a agradecer a Seu Zé Malandro, nosso Pai Oxalá, todos os orixás, que nos dê mais êxito, que dê a nosso pai muita paciência em nos ensinar, nos doutrinar, às vezes a gente erra alguma coisa, e ele tá ali sempre com paciência, ajudando, corrigindo. Só agradecer, e esperar que 2009 seja melhor ainda.

DAS PREVISÕES UMBANDÍSTICAS DE PAI JOEL

A Umbanda faz previsões no tarô e também no copo de vidência. Esse ano que passou foi de Ogum, foi um ano muito bom, a previsão que o Pai Geovano fez foi uma previsão muito certa. Esse ano que vem é um ano de muitas mudanças climáticas. A previsão desse ano é que Iansã vai progredir esse ano, ela que é a dona do tempo, e Xangô, que é o senhor da justiça. As previsões de 2009 é que seja Iansã e Xangô, porque o nove é odun 9, dentro do Candomblé é Ossá, que é Iansã. Então tem tudo pra ela mudar o tempo e trazer coisas boas para seus filhos, e para todos os médiuns, mesmo que não sejam filhos de Iansã, mas a gente se pega muito com Iansã, que Iansã muda muito as coisas…

1 thought on “FELICITAÇÕES AFRO-RELIGIOSAS DE PAI JOEL DE OGUM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.