CASSAÇÃO DE AMAZONINO CAUSA TREMOR EM SEUS “CABOS”


Com a notícia da cassação do candidato da direita tradicional, eleito ao cargo de prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB) e seu vice, Carlos Sousa (PP) pela Justiça Eleitoral do Amazonas, grande parte da população da cidade amanheceu em um só frisson-temor-tremor. A sentença histórica contra um candidato do maior grupo conservador da triste existência “política” do Amazonas, empurrou para um forte “baixo-astral” seus eleitores e comparsas calculistas que já demonstravam arrogância e prepotência desde o anuncio de sua eleição.

Calculistas, já fantasiavam as benesses que poderiam usufruir na gestão de seu predileto candidato e feitor. Entre eles profissionais da classe média, empresários, novos ricos, e velhos funcionários da prefeitura, e outros novos, que teciam planos de vingança contra funcionários, hoje, na gestão Serafim, a derrotada. Alguns entraram na onda vulgar do, “a partir de primeiro de janeiro quem vai pilotar a vassoura és tu!”. Atitude de reativo-ressentido, inveja que em nada constrói a democracia. Sem contar com funcionários que durante mais de três anos foram pró Serafim, e em campanha se mandaram para a direitaça. É lógico, sem nenhum discernimento do que venha ser direita, centro e esquerda em política. Mas só com o clamor gástrico: “Primeiro a barriga depois a moral” (Brecht).

O certo mesmo é que nesse momento a cidade de Manaus exala um extenso e insuportável amargor. Imaginemos se fosse uma posição contra uma perversa ditadura. Nem pensar. Muito deles nem sabem se o Brasil passou pelos anos de chumbo e pavor.

Perversa situação que aumenta mais o ódio vingativo, onde a irracionalidade é mater superior do orgulho de ser humano. “Cabos”, explodem: “Querem ganhar no ‘tapetão’!”. Não sabem: compra de voto é também “tapetão”. Recorrer ao “tapetão” é tentar uma vitória transgredindo as regras que direcionam um contrato oficial, ou particular. Não importa, nos dois casos é transgressão. E para que a transgressão não prevaleça, a justiça procura fazer cumprir a lei do contrato. No caso em questão: a Justiça Eleitoral. Aí não adianta estertores, rangeres dentes e mãos fechadas por rígido ódio.

A sentença não é definida, o cassado pode recorrer, mas a situação inusitada deixa a mostra as veias cianosadas da anti-democracia que fundamenta os afetos destes “cabos”. Patética realidade eleitoral da cidade de Manaus. Que os gregos tenham piedade dessas almas!

6 thoughts on “CASSAÇÃO DE AMAZONINO CAUSA TREMOR EM SEUS “CABOS”

  1. Plagiando a argentina do papo no outro texto eu também digo: hoje vou dormir feliz – Não teremos Amazonino Mendes e nem Carlos Souza como prefeito e vice na Cidade de Manaus. Essa juíza tomou uma decisão inétida nesta terra de Ajuricaba. E é uma decisão que dificilmente será derrubada porque as provas são provas do ilícito eleitoral. Contra prova não existe prova. Existe sim uma alegria nesta cidade porque não teremos essa dupla e todo um exército de puxa-sacos vilipendiadores do erário público roubando o dinheiro do povo. Agora com os juízes que estão ai, inclusive alguns envolvidos com o Adail, Salan no roubo de Quari, esse tribunal pode transforma-se no verdadeiro advogado de Amazonino e Souza, como foi advogado do Oliveira porque em vez dos advogados sustentarem suas defesas amaparados na lei, na jurisprudência, quem os faz é o próprio tribunal, ai dá para desconfiarmos. Manuel Pinheiro/Mutirão A. Mendes.

  2. CAros amigos sou a favor da decisão da juiza, se existem provas reias de que tudo é verdadeiro então ele deve pagar por isso. Mais uma coisa não deveria acontecer pq democracia significa: “escolher seus representantes (vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores e presidente) através do voto nas eleições. Existe liberdade de expressão e os direitos de manifestação são garantidos pela Constituição Brasileira”. Se nos, a maioria, votamos contra esse prefeito atual para sair desse mandato foi pq todos compreendemos que ele nao cumpriu com o prometido e não tem soluções para muitos problemas q nossa cidade precisa ( que são básicos) e ainda confirmou no debate q nao era capaz de resolver o problema dos buracos da cidade. O que quero dizer é que nos nao queremos ele na prefeitura e quem deveria escolher deveria ser o partido e colocar um representante da coligação e não o candidato q foi rejeitado pela maioria assumir, isso não é democracia!

  3. Amigo,Dean, seu argumento político procede, entretanto existem as tão chamadas leis eleitorais que foram eleboradas pelos próprios parlamentares. Então, no momento, só sobra o ato de cumprí-las. Agora, a própria sociedade pode modificá-las. Para isso é preciso voz ativa/coletiva. Como você sabe, a democracia não é construída apenas pelo voto. O voto é apenas uma confirmação jurídica de um regime democrático. Por isso existem democracias ditadura civil. Veja o caso do Amazonas.
    Mas com a decisão da Juiza Maria Eunice, começamos uma nova forma de avaliar e agir.

    Abraços democráticos!

  4. ja tava na hora do efeito dominó começar pelo artista wallace souza que foi o grande ganhador do osca pelo belissimo desempenho ao papel de inocente na historia do trafico, formação de quadrilha e homicidio, seguindo de seu filho rafael souza que herdou de seu pai o dom de comandar as quadrilhas no trafico de drogas e agora amazonino mendes com a distribuição de combustivel para população em troca de voto, realmente manaus é uma fabrica de astros incomparavel as atuações dos artistas americanos que fazem tanto sucesso nas telas de cinema, mas aqui é diferente fazem sucesso não so nas telinhas de jornais como tambem nos orgãos federais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.