O FOGO AMIGO NA CASSAÇÃO DE AMAZONINO E ALGUMAS REAÇÕES DA POPULAÇÃO

Mesmo sem se pronunciar, sabe-se que a defesa de Amazonino deverá recorrer ao pleno do TRE. Lá, a vitória do candidato é certa como o céu não é azul. É que o presidente do Pleno, Desembargador Ari Moutinho, é o mesmo que psicopatizou a lei para beneficiar o servidor do TRE Henrique Oliveira, que à margem da lei, além de assumir o mandato, ainda preservou o emprego.

Além da “facilidade” que Moutinho tem para encontrar brechas na lei que beneficiem a corrupção eleitoral, ele é parte diretamente interessada na eleição de Amazonino. É que no caso de Amazonino efetivamente assumir, seu vice, Carlos Souza, se licencia do cargo de deputado federal, e assume em seu lugar o suplente, Ari Moutinho Júnior, o qual escapa dos processos das operações Albatroz, Saúva, e da acusação de ter sido pego em flagrante com uma mala de dinheiro para compra de votos no aeroporto Eduardo Gomes, na eleição de 2004. É um caso de pai para filho.

Curiosamente, foi o próprio Moutinho Pai quem denunciou à Polícia Federal a movimentação suspeita no posto de gasolina, que culminou com o flagrante e rendeu robustas evidências, suficientes, segundo o parecer da juíza Maria Eunica do Nascimento, para cassar a chapa, em qualquer tribunal. Como, diante dos fatos ocorridos após a eleição, não se pode contar com a possibilidade de Moutinho ter sido democraticamente justo na denúncia, só se pode concluir que, ou Moutinho cria na vitória do candidato Omar, do governador “Maria da Penha nele” Braga, já que a equipe do então candidato chegou a tempo de filmar a blitz da PF, ou então acreditava que a movimentação pertencia a algum outro candidato, como Serafim, por exemplo. A denúncia pode acabar resultando num caso raro de “parricídio eleitoral”.

A DEMOCRACIA NÃO SE REDUZ ÀS INSTITUIÇÕES, MAS PASSAM POR LÁ

A decisão da juíza Maria Eunice do Nascimento expõe, de sul a norte da cidade, opiniões e entendimentos. E serve para uma curta observação filo-sociológica sobre as características de um povo.

Um povo sequelado, vitimado pela subjetividade da dor que emana de seus governantes, nada afeitos à democracia ainda que eleitos no sistema democrático, é produzido a partir da negação das possibilidades de produções autônomas advindas deste povo. Prevalece neste tipo de sociedade a passividade, a imobilidade, o medo, a resignação. Como sintomas, surgem, nestes casos onde pessoas, como Amazonino, profundamente envolvidas nas engrenagens subjetivadoras da dor e do ressentimento, são cassadas ou punidas pelos atos ilícitos, falas características da capturação pela dor e pelo desespero: “isso não vai dar em nada”, “ele tem muito poder”, “se não conseguiu comprar essa, compra os outros”, “todos têm o rabo preso”. Mesmo quando este povo, por algum sortilégio dos acontecimentos, se encontra diante de uma situação que enfraquece esta subjetividade opressora, a dor ainda prevalece.

Ao contrário, um povo livre, não capturado por esta subjetividade, mesmo vivendo sob uma ditadura, civil, militar ou midiótica, é ativo, e não aceita que sua crença e sua potência de agir sejam diminuídos por estes corpos-sequelados antidemocráticos. É um povo que, mesmo diante de uma iniquidade ou de um ato que enfraquece a democracia, luta, e não se abate com as derrotas, não deixando de comemorar as vitórias, ainda que saibam que a batalha é constante.

Situação que ilustra este entendimento ocorreu hoje, quando um amazonense, comentando com uma argentina que vive em Manaus sobre a cassação do prefeito eleito, afirmou que não adiantava comemorar, pois ele escapava desta facilmente graças ao poder que tem. Ao que a argentina respondeu: “isto não importa; por hoje, ele está cassado”.

Sentença que só poderia vir de uma partícipe de uma nação que expurga seus criminosos das ditaduras ocorridas, e que, mesmo diante das dificuldades, não se entrega. Povo que soube, mais que muitos brasileiros, compreender o saque do livre Gonzaguinha: “eu acredito é na rapaziada”.

17 thoughts on “O FOGO AMIGO NA CASSAÇÃO DE AMAZONINO E ALGUMAS REAÇÕES DA POPULAÇÃO

  1. Realmente será uma vergonha para nossa Cidade e para nosso Estado, se então o Ex-governador Amazonino Mendes ter causa ganja no TRE….se isso acontecer, onde realmente estamos??? Estamos Vivendo em Manaus?? Cuba??? ou seria na Venezuela???

    Que vergonha!!!!!

  2. Realmente, Sandro.

    Mas, como afirmou a textualização, um povo não se reduz aos seus governantes – embora muitas vezes o desejem – sejam eles eleitos diretamente ou não. A juíza Maria Eunice mostrou que o TRE não se reduz ao familialismo de Ari Moutinho Pai/Filho e afins.

    Quanto ao povo manoniquim, tem que produzir as linhas intensivas necessárias à construção de comunalidades. Como o fazem o povo cubano e venezuelano, em cuja comunidade de afetos e desejos não cabe um Moutinho ou um Amazonino.

  3. eu´só não vou ao tribunal porque posso ser ameaçado de morte por esse pilantra, assaltante de cofres publicos, e alem de tudo boiola do Amazonino, aliás, tem muita gente que poderia acabar com ele mas, deixa quieto…

  4. Eu espero sinceramente que a justiça seja feita e que o Amazonino nao tenha a causa ganha.. torço pela sua cassação!
    É uma vergonha para o povo ter esse cara novamente comandando nossa cidade, ja ta na hora de deixar as coisas pra quem realmente quer fazer algo e nao encher o bolso com o nosso dinheiro!

  5. Estamos num País Democrático, numa eleição ganha aquele canditato que obter mais voto. A vontade do povo deve ser respeitado, não sejamos fanaticos. O importante é o povo tá mais atento com os nossos representantes, temos que fiscalizar, falar, dar opinião, fazar críticas construtivas, em prol de todos principalmente dos menos faforecidos.

  6. Trabalhador,

    Contribua para enfraquecer a subjetividade do medo, se tens algo a dizer, procure o ministério público, mesmo que anonimamente.

    Akemi,

    Continuamos na torcida pela manutenção da decisão da juíza.

    Carlos Gomes,

    Democracia não se reduz ao voto, principalmente quando governantes como o eleito, com suas ações (des)governamentais, impedem o voto a partir da razão e do discernimento. Existem mil maneiras de comprar um voto: a pior colocação no ENEM é uma delas, o segundo lugar na escala de miséria social do país também é outra forma. A maioria, na Alemanha, elegeu Hitler, nos EUA, Bush duas vezes, na Itália, Berlusconi três vezes. Há algo mais antidemocrático que esta democracia representativa?

  7. noosa esse amazonino é bem convincente. logo ví como séria esses 4 anos de governo dele se ele realmente ganhar a calzaaaa. ele acha que estar no poderio do gorverno é um investimento altamente lucrativo. poderia, por qual outro motivo ele pagaria por esses votos que ele obteve.eh?
    séria simplesmente para ajudar o povo? que povo? sei qual! ajudar aqueles debios que vivem querendo um kilo de feijão bando de pobraiada.
    eles enchem o bolso desse grupo de grandes empresários ou séria PolitecEmprendedorismo.
    esse gay não pode assumir a prefeitura

  8. esse judas na epoca da ditadura militar se passava por comunista,mas o que ele fazia era delatar os comunistas que foram mortos.com a traição ele recebeu grandes beneficios dos carrascos sanguinarios da ditadura militar.o judas amazonino não pode mas cotinuar nos traindo.que o povo do amazonas tenha vergonha e deixe de sofrer de leseira baré.fora o sapão judas amazonino.

  9. QUE VERGONHA AO POVO AMAZONENSE, TER EM PLENO SECULO XXI CANDIDATOS COMO ESTE AMAZONINO MENDES,E TANTOS OUTROS QUE BURLAM AS LEIS E CONSEGUEM SAIR LIMPOS DEPOIS DE TANTAS FRALDES E POR ESTA E OUTRAS RAZÕES QUE O BRASIL SE ENCONTRA NO TERCEIRO MUNDO, POIS ONDE QUEM MANDA E QUEM TEM AMIGOS INFLUENTES E DINHEIRO.

  10. grande merda cassar o safado. e os outros, como ficam??? continuam na pilantragem? tá na cara que essa jogada é pra ajeitar a prefeitura pro dudu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.