BOULOS FOI AMEAÇADO POR BOLSONARISTA. CUIDADO! TODO NAZIFASCISTA FOI SEVERAMENTE VIOLENTADO PELOS PAIS, DAÍ O ÓDIO CONTRA PESSOAS FELIZES

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

Entendo a violência da ameaça do pervertido-odiento nazifascista.

 

Boulos e a candidata a deputada estadual Ediane Maria, do PSOL, faziam campanha em São Bernardo, no ABC paulista, quando o bolsonarista se aproximou, levantou a camisa e mostrou um arma na cintura, colocou a mão no símbolo fálico (pênis do pai, para Freud), e disse: “Eu sou Bolsonaro”. Se não fosse a tensão da ameaça covarde, Bolous, ironizaria: “E é precisa confessar?”. Mas revolver é revolver. E ainda mais, revolver condensado com paranoia, inveja e ódio…   

 

Boulos e Ediane foram mais duas vítimas da degeneração sensorial, intelectiva e ética que entulha o país perambulando sadicamente impulsionada pelo delírio proporcionado pela pulsão de morte que é a estrutura básica de todo nazifascista. Uma estrutura moldada pela argamassa-psicopatológica projetada no nazifascista quando ainda em tenra idade, pelos pais pervertidos em forma cruel de repressão. Repressão tão castradora que lhe matou o desejo. Tudo quando o nazifascista era totalmente indefeso. E a única saída que encontrou foi se identificar com os pais agressores.

 

Hoje, na chamada idade adulta, chamada porque o que sofreu na infância impediu que desenvolvesse um ego-adulto independente, ele é um terrorista-ambulante a procura das pessoas felizes, porque elas despertam nele, com suas felicidades, a dor que ele sofreu. Se identificar com as pessoas felizes, desperta nele a dor da infância que ele não suporta, ainda mais que a autoria foi dos que lhe deveriam proporcionar amor, ternura, segurança e compreensão.

 

Neste quadro degenerado, ele só pode se sentir importante se identificando com sujeitos-sujeitados, também, pela cruel repressão imposta pelos pais como modelo-pervertido assassino do desejo. Como não teve Vivencias-Ontológicas Autênticas que lhes possibilitassem entrar na ordem da Dimensão-Humana, ele se identifica com a crueldade e maldade que tanaticamente persegue a destruição da Vida, já que não é Humano.

 

Seu ódio da Vida decorre do forte sentimento de insegurança e infelicidade. O que o faz ter pavor da Existência. Por isso ser dominado pela mais baixa tolerância para suportar frustração. Boulos e Ediane com suas alegrias, felicidades, inteligência e éticas-sociais, o que caracteriza todo socialista, acirrou seu sentimento degenerado de frustração. Então, ele cogitou eliminá-los, já que os dois estavam lhe fazendo recordar o sofrimento imposto por seus pais. Mas ele teria que suplantar sua covardia e conseguiu.

 

Em síntese, como afirma a psiquiatra Jarina dos Kaapor: O nazifascista não se identifica com o líder-nazifascista, como ocorreu com Hitler, Stalin e outros, porque, o ama, gosta, idolatra ele, mas pelo que ele proporciona como elemento delirante para excitar seu delírio-pessoal. Na verdade, tanto o líder nazifascista como o nazifascista desgarrado, são solitários. Sofrem de cruel solidão. Mesmo que passem o tempo sorrindo. É essa solidão que lhes desespera e angustia terrivelmente. Sabe lá o que é testemunhar pessoas felizes em comunidade e ele não poder ser uma delas? Que dor! Então, ele quer eliminar quem ele alucina ser o causador de seu sofrimento psicopatológico. 

 

Ele quer eliminar todos os Boulos e Ediane da Vida Por essa ameaça, MUITO CUIDADO! ELES NÃO SÃO HUMANOS!   

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.