CPI ENTRA NA PENÚLTIMA SEMANA DE DEPOIMENTOS, COM LOBISTAS QUE PODEM ABALAR AINDA MAIS O GOVERNO BOLSONARO

 

Jornal GGN – A CPI da Pandemia caminha para as rodadas finais de oitivas antes do relator Renan Calheiros apresentar o produto final de seu trabalho, na última semana de setembro. Entre terça-feira (13) e sexta (16), a CPI deve entrar na penúltima semana de depoimentos, ouvindo lobistas que podem abalar ainda mais as estruturas do governo Bolsonaro.

Na terça, os senadores irão interrogar Marcos Tolentino. O advogado e empresário é amigo pessoal de Ricardo Barros, líder do governo Bolsonaro e ex-ministro da Saúde do governo Temer. Tolentino, na visão da CPI, é sócio oculto do FIB Bank, que é um fundo garantidor de crédito que teria avalizado a compra da vacina Covaxin pela Precisa Medicamentos, para revenda ao Ministério da Saúde. O fundo ganhou apelido de “lorota banco” após os senadores levantarem indícios de que não havia capital suficiente para o FIB Bank dar garantia em um contrato bilionário com a União.

Na quarta (14) será a vez de Marcony Faria depor. Ele é apontado como lobista da Precisa e teria tido seu passe junto ao governo Bolsonaro supostamente facilitado por familiares do presidente Jair Bolsonaro. Na quinta (15), a CPI ouvirá Danilo Trento, diretor da Precisa Medicamentos. Os convidados de sexta-feira devem ser Pedro Batista, representante da Prevent Senior – que foi apontado como difusor do tratamento precoce na CPI – e a advogada Karina Kufa. Defensora de Jair Bolsonaro no Tribunal Superior Eleitoral, Kufa também teve encontros com Marcony, de acordo com senadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.