LULA SOBRE TENTATIVA DE BOLSONARO DE LIMITAR TRANSPORTE NA ELEIÇÃO: “ESTÁ COM MEDO DO SEU VOTO”

0

ACESSO ÀS URNAS

Bolsonaro foi ao TSE para derrubar decisão que obrigou cidades a manterem transporte público a níveis normais no dia da votação

Lula.
Créditos: Ricardo Stuckert

Por Ivan Longo

POLÍTICA – 1/10/2022 · 

O ex-presidente Lula (PT), através das redes sociais, comentou na noite deste sábado (1º) a tentativa de Jair Bolsonaro (PL) de limitar a oferta de transporte público neste domingo (2), dia do primeiro turno das eleições.

Mais cedo, a campanha do atual presidente entrou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) questionando a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou que as cidades mantenham a oferta de transporte público a níveis normais no dia da votação.

“Aqui a esperança. O outro lado está com medo do seu voto”, diz postagem no perfil oficial de Lula no Twitter, que acompanha o link de uma matéria sobre a tentativa de Bolsonaro de limitar o transporte.

Entenda
Na iminência de ser derrotado já no primeiro turno, Jair Bolsonaro (PL) apelou e tentou limitar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou que cidades mantenham oferta de transportes públicos no dia das eleições. A intenção era fazer com que as classes mais carentes, que predominantemente votam no ex-presidente Lula (PT), não tivessem acesso às urnas.

Porém, a manobra não deu certo. Benedito Gonçalves, ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), classificou como “absurda” a tentativa e negou o pedido da campanha de Bolsonaro.

Gonçalves observou que há riscos de a tese lançada pela campanha bolsonarista se transformar em desinformação. Por isso, determinou que o Ministério Público (MP) adote providências para evitar a propagação de dados falsos sobre a oferta do serviço pelas prefeituras neste domingo (2).

A campanha de Bolsonaro questionou na Justiça Eleitoral a decisão de Luís Roberto Barroso, ministro do STF, que determinou que o transporte público urbano seja mantido em níveis normais no dia das eleições.

Os bolsonaristas, sem nenhuma justificativa lógica, solicitaram que o TSE delimitasse o alcance da decisão individual de Barroso.

Contudo, Gonçalves argumentou que a coligação busca uma interferência externa, o que, além de ser juridicamente anômalo, serviria apenas para gerar dúvidas quanto à autoridade do tribunal que determinou a medida.

Conforme o ministro, é preocupante a narrativa de que a decisão de Barroso poderia lançar prefeitos à prática de crime eleitoral consubstanciado no transporte irregular de eleitores.

 

TEMAS
Lula
transporte público
Jair Bolsonaro
Eleições 2022

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.