MINISTROS DO STF AVALIAM QUE CARTAS PELA DEMOCRACIA SÃO DIVISOR DE ÁGUAS E ALERTA BOLSONARO: FICARÁ CADA VEZ MAIS ISOLADO

Até líderes do Centrão avaliam que os atos servem de alerta para que Bolsonaro pare com os ataques contra o sistema eleitoral para evitar perder a eleição já no primeiro turno.

Largo São Francisco, Estátua da Justiça em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal em Brasília e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter | REUTERS/Ricardo Moraes | REUTERS/Adriano Machado)

 

247 – Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliam que a leitura das cartas em defesa da democracia, em atos espalhados em diversos estados e até no exterior, funciona como um divisor de águas que tira a Justiça Eleitoral do isolamento e deixa Jair Bolsonaro (PL) cada vez mais emparedado nos ataques contra as urnas eletrônicas e o sistema eleitoral. 

De acordo com o jornalista Valdo Cruz, do G1, integrantes do centrão, base de apoio do governo Bolsonaro no Congresso, também avaliam que os atos desta quinta-feira (11) servem de alerta para que o atual ocupante do Palácio do Planalto pare com os ataques sob o risco de “ perder a eleição ainda no primeiro turno”. 

>>> “Hoje é um momento inédito. Capital e trabalho se juntam em defesa da democracia”, diz José Carlos Dias, orador da carta

.

Segundo a reportagem, os ministros do STF avaliam que as cartas em defesa da democracia no Brasil deixam claro que “a sociedade civil e política não vai mais admitir, sem reação, os ataques do presidente Bolsonaro ao sistema eleitoral brasileiro”.

Análise semelhante também teria sido feita por lideranças do centrão. “Esperamos que o presidente entenda o recado que está sendo dado hoje, de que ele precisa parar com esses ataques às urnas. Caso contrário, ele vai perder a eleição ainda no primeiro turno”, disse uma das lideranças do bloco parlamentar ouvido pela reportagem. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.