SARRO DA HISTÓRIA: ALIENADOS VOTARAM EM BOLSONARO PARA O BRASIL NÃO VIRAR VENEZUELA. HOJE, VENEZUELA CRESCE E O BRASIL É SÓ MISÉRIA

A Nave dos Loucos. Quadro do pintor Hieronymus Bosch.

 

Pior do que saber que a estupidez é produto da repressão, como afirma Freud, muito pior é saber que a estupidez serve para o próprio estúpido ser reprimido e ajudar os que não são estúpidos, também serem vítimas da repressão.

 

Como se sabe, a estupidez não se revela apenas como forma de tortura e assassinato dos Genivaldo de Jesus Santos, no interior de Sergipe, em camburão-holocausto por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Não, a estupidez é multifacetada. Ela tem várias faces e perambula leve e solta por todos os cantos do mundo. Principalmente, em países onde o nazifascismo se instalou cordialmente pelo beneplácito de parte da população, como o Brasil.

 

Das faces conhecidas da estupidez, uma se revela dominante, por seu caráter óbvio, é a alienação. Caráter óbvio e também múltiplo. Existe alienação como superstição, alienação como capachismo, alienação como inveja, alienação como boçalidade, alienação como exibicionismo, alienação como despropósito, alienação como preconceito, alienação como racismo, alienação como misoginia, alienação como homofobia, e vai seguindo, porque a alienação, como estupidez, é profundamente deslocante e cativante (Para rimar, já que o dia dos namorados vem aí e precisa de poesia).

 

Todavia, a alienação mais encantadora e atraente, e a alienação-medo. A alienação-medo acaba com uma sociedade, porque ela é o suporte maior dos tiranos. Tanto é, que se alienação-medo acabar, acabam todos os tipos de tirania. Do pai do pastor, do patrão, do marido, do irmão…, de todos, que também por força de seus medos, se fazem de corajosos, e se tornam tiranos, para transformar em escravos os dominados pela alienação-medo que não sabem como se desvencilhar desse afeto-triste, como afirma o filósofo holandês, Spinosa.

 

Pois, foi essa alienação-medo que ajudou grandemente a eleição de Bolsonaro. Foi ela que a força das fake news, promovida por Bolsonaro, corporificou a Venezuela em um ente-perigoso como ameaça ao Brasil, sil, sil, sil… Ao Brasil dos alienados. Corporificou a Venezuela no Diabo-Comunista que seria transformado o Brasil se Haddad ganhasse a eleição presidencial. Comunismo. Doutrina que nem Bolsonaroe seus seguidores sabem o que é. Assim, como todos que projetam seus medos, derivados de suas repressões-paternas alocadas em seus inconscientes, nesta palavra. Sim, pois só sabem pronunciar a a palavra, o sentido não conhecem. Só o sentido que seus medos magicou. 

 

Mas, a História é eloquente em humor. Ela também sabe tirar sarro da estupidez. Hoje, a Venezuela entra em uma fase de desenvolvimento e muitos venezuelanos estão de volta ao seu adorado país. E o Brasil que estava apavorado em virar uma Venezuela, hoje se transformou em uma palco de miséria por todo canto. 

 

E o sarro maior da História, é que mesmo que ele quisesse, agora, se transformar em Venezuela, não poderia: Bolsonaro, e sua turma, já provou, em mais de três anos, que não consegue governar nem a si. Por isso passa o tempo agredindo as instituições como o STF e o TSE, para encobrir sua incapacidade de presidente do maior país da América do Sul.

 

Neste movimento-histórico, o povo venezuelano só tem mais é que cantar, dançar, plantar e colher. O tempo está chegando! 

 

  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.