DISSE, JESUS: “… EU SOU A VERDADE…” LOGO, O MENTIROSO NÃO ACREDITA EM DEUS E, QUEM VOTA NELE, É, TAMBÉM, MENTIROSO E NÃO ACREDITA EM DEUS

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

Imagem do cinema, O Evangelho Segundo São Matheus, de Pier Paolo Pasolini 

 

A Democracia é a Potência-Pura do Desejo-Político-Coletivo. Quem não é Democrata é um ente-indesejante e antissocial. Não serve para viver em uma sociedade de trocas de alteridades-amorosas. Não pode ter experiências-coletivas, visto ser necessário o compromisso e a responsabilidade com o Outro.

 

Quando não se tem compromisso e responsabilidade com o Outro, portanto, alienado da convivência-coletiva, o sujeito-sujeitado por esse modo de ser, tem seu comportamento resumido em atos despropositais à união-social cujos valores são desrespeitosos a condição-humana da sociedade.

 

Com uma estrutura de ego, indigente, alienada do Princípio de Realidade-Democrática, o sujeito-sujeitado não apresenta qualquer pudor em seus atos. Para ele mentir é o seu amor-valor-normal. Seu maior-valor que ele troca com seus semelhantes que também são mentirosos. A mentira é a expressão incontestável da condição antissocial de seu ego e superego, alimentados por seus instintos-destrutivos inconscientes. A força destrutiva-reprimida de seu ID. Em síntese: a estrutura-mental-reativa. O fraco tentando destruir a Vida-Ativa. A Alegria de Viver.

 

Em tempo de eleição, em uma Sociedade-Democrática-Cristã, votar é um Ato-Coletivo além de singelamente-político, é um Ato-Coletivo profundamento fácil de executar. Basta seguir os ensinamentos de Cristo, como, “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”, ou, “A Verdade vos Libertará”.

 

Nos dois enunciados-cristãos predomina a Palavra-Revolucionária, Verdade. Simples, não? A Verdade não pode ser de nenhuma forma ou ângulo referenciada à Mentira, ao fake news. O que significa dizer, que o eleitor Democrático-Cristão não vota em mentiroso. Pois se votar, além de se auto-significar, também, um mentiroso, confirma, sem qualquer pudor, que não acredita em Deus. Sua fala sobre o nome Deus não passa de abstração-delirante-sobrenatural: fuga do real. Fácil, não? 

 

Então, nessa eleição, votar é a mais simples Posição-Política de se afirmar cristão e praticar e solidificar constitutivamente a Democracia. 

 

Assim, como o mentiroso não acredita em Deus, o Democrata O defende e O exalta. É fácil produzir um país, como o Brasil, em uma Verdadeira Democracia!  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.