OMISSÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE GEROU CAOS EM MANAUS, DIZ AZIZ

 

Jornal GGN – O Ministério da Saúde tinha conhecimento sobre o impacto da segunda onda de covid-19 em Manaus, e ela poderia ter sido evitada. A afirmação foi do presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD), durante o depoimento do empresário e ex-deputado federal Airton Cascavel.

“No dia 26 de dezembro, o governador do estado do Amazonas (Wilson Lima, do PSC) decreta o lockdown, e a maior oposição que ele teve foi do governo. Dias depois, acontece o colapso de falta de oxigênio no Amazonas. Então, era de conhecimento do Ministério da Saúde – Vossa Excelência mesmo está dizendo que sabia que lá tinha uma onda (de covid-19)”, disse Aziz.

“E o que acontece: o próprio presidente (Jair Bolsonaro), o filho do presidente ‘olha, já aconteceu lá, agora no Amazonas o povo tá revoltado’. Aí é omissão do Ministério da Saúde, que tinha a obrigação de dizer ‘não, peraí, nós temos dados aqui que vai ter o crescimento’. O que aconteceu: vocês todos cruzaram os braços”, disse Aziz. “Cruzaram como o (ex-ministro Eduardo) Pazuello, sem nenhuma falta de vergonha, perguntado sobre a questão da vacina, da coronavac, ele disse ‘é simples assim, um manda outro obedece’”.

O próprio presidente da CPI ressaltou que fez sucessivos contatos com Cascavel, e ressaltou que o ministério tinha dificuldades em mandar material para o Brasil inteiro. “O que eu estou dizendo é que aquela segunda onda, que começa e tem falta de oxigênio no estado do Amazonas, poderia ter sido evitada (…)”.

Segundo Aziz, o governador recuou do lockdown devido à pressão de deputados federais e do presidente, que levaram à manifestação da população, e ressalta que a obrigação do Ministério da Saúde era ter uma política sanitária para o país, e a falta dessa política gerou o caos no Amazonas.

“E quem fez esse recuo: deputados bolsonaristas, o próprio presidente da república, mais o ministério da saúde que não tinha autonomia porque o verdadeiro ministro estava dentro do Palácio do Planalto, (Pazuello) não mandava absolutamente nada (…) mas eu afirmo aqui que uma das maiores causas do estado do Amazonas foi o recuo no dia 26/12, quando o governador do amazonas recuou do lockdown – e isso graças a uma campanha feita pelo governo federal”, ressaltou Omar Aziz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.