DISCURSO DE FRAUDE ELEITORAL É “VERTENTE DO AUTORITARISMO”, DIZ BARROSO SOBRE BOLSONARO

“O discurso de ‘se eu perder, houve fraude’. É a inaceitação do outro, de que alguém diferente de mim possa ganhar as eleições”, declarou o presidente do TSE

 

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) e, também, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), voltou a criticar o posicionamento de Jair Bolsonaro, apesar de não citá-lo nominalmente. O presidente da República insiste em desqualificar o uso das urnas eletrônicas.

Barroso afirmou, nesta quarta-feira (4), que os ataques ao sistema eleitoral são “vertentes do autoritarismo contemporâneo”, de acordo com informações do UOL.

Bolsonaro tem, quase diariamente, desferido acusações sem provas sobre fraudes nas eleições. Tem sugerido, ainda, que o sistema eleitoral é inseguro, além de defender a volta do voto impresso.

O presidente do TSE mencionou que a alternância do poder é “a grande característica da democracia”.

“Isso é democracia. Uma das vertentes do autoritarismo contemporâneo é o discurso de ‘se eu perder, houve fraude’. É a inaceitação do outro, de que alguém diferente de mim possa ganhar as eleições”, declarou Barroso, durante evento do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ).

Lula

Bolsonaro tem, constantemente, direcionado suas “armas” contra o presidente Barroso. Nesta quarta, ele afirmou que a anulação das condenações do ex-presidente Lula (PT) aconteceu para eleger o ex-presidente “dentro de uma sala escura do TSE”.

Na segunda (2), o TSE enviou um pedido ao STF para que Bolsonaro seja investigado por propagar fake news.

O tribunal aprovou, ainda, uma portaria da Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral para instauração de um inquérito administrativo contra Bolsonaro. Ambas as decisões foram unânimes.

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.