AMAZONAS: QUANDO NUMA PESTE OS NÚMEROS SÃO SUB-NOTIFICADOS OS CEMITÉRIOS FALAM

Os números de contaminados, atendidos, recuperados do Ministério da Saúde com relação à peste covid-19 continuam contraditórios.

Isto falamos  ontem e tem um fim. Mascarar os dados para baixo para o inominável que está no planalto central dizer que ele está certo e os governadores estão errados.

Mas não é isso que observamos. Primeiro, diferente da facada não houve interesse de investigação se aconteceu ou não. Com a peste, depois da expedição moléstia para Miami que infectou mais de 24 pessoas há interesse de saber porque a pandemia crassa. A informação que circula é que está sobressaltado, impaciente, porque vai ter que apresentar o resultado do exame. E se for positivo ele não escapará do impeachment, pois cometeu crime de responsabilidade, propagou a peste e poderá ser incriminado, inclusive, pelo tribunal internacional de Haia.

Associado a tudo isso,  ontem, no Estado do Amazonas e em especial, na capital, Manaus, logo cedo já circulava nas redes sociais, imagens de retroescavadeiras cavando e a enterrar corpos infectados pelo covid-19, no Cemitério Nossa Senhora Aparecida no Tarumã. Estas imagens correram o país todo e no exterior. Carros de funerárias faziam filas e parentes desesperados não sabiam de seus mortos.

O prefeito da capital, Artur Neto, declarou que a situação é de calamidade pública. Os hospitais estão lotados e pessoas estão a morrer em suas casas. O número de sepultamentos que antes era de 30 diários em média, agora, estão em 100.

O prefeito pôs-se a lamentar da situação, pediu apoio federal, depois chorou.

Enquanto isso, nas últimas 24 horas mais 110 casos foram detectados. O Estado possui 2.270 pessoas infectadas. Só na cidade de Manaus há 1.809 e no interior, com a liderança de Manacapuru, Itacoatiara, Maués e Parintins somam 461 doentes. Dos 61 municípios 27 tem portadores do covid-19.

Na capital existem 262 pacientes internados em UTIs, 617 em leitos clínicos. Já morreram 193 pessoas mantendo o índice de letalidade em 8,5%.

A Diretora da Fundação de Vigilância de Saúde do Amazonas, Rosimary Pinto falou que a doença está a chegar no interior pelos barcos de linha que não estão a obedecer as determinações para não navegar e transportar passageiros.

Na segunda-feira, 13 deputados estaduais pediram intervenção federal na sistema de saúde do Amazonas, e ontem, terça-feira o Sindicato dos médicos, através do seu presidente Mário Viana, deu entrada na Assembleia Legislativa com pedido de impeachment de Wilson Lima por ter efetuado o pagamento de R$ 700 milhões de dívidas de governos anteriores, ter gasto R$ 1 milhão no “Peladão a bordo”e na Expoagro.

Com relação ao senhor Artur Neto, o chorão, só uma lembrança. Foi numa sessão noturna que a CPMF foi votada e cancelada para prejudicar o governo popular do Partido dos Trabalhadores, bem como todas as investidas contra o SUS durante o governo do PSDB da era FHC, Temer e o inominável. Fizeram festa e comemoraram. O senhor Artur fez parte e votou contra o povo.

Com relação ao senhor Wilson Lima cabe criticá-lo porque se pagou R$700 milhões para fornecedores de governos anteriores há suspeição nisso, porque, um desses governos, o mais escrachado foi de José Melo que já vinha a praticar maus caminhos deixado pelo senador que tem parentes e a mulher presa em tempos recentes.

Quando repórter, camelô de não dizeres, ia resolver o problema da saúde. Chegou com tanto ímpeto para resolver o problema que nomeou como secretário de saúde o vice-governador Carlos Alberto Filho,  defensor público, lutava por causas populares e era próximo do povo.

Por que o vice-governador ficou pouco tempo frente a pasta e não resolveu o problema? 

Para encerrar vamos usar aqui um trecho da obra de Malba Tahan, O homem que calculava. “O rei Artaxerxes perguntou, certa vez, a Hipócrates de Cós, famoso médico, como devia proceder para debelar de modo eficiente as epidemias que dizimavam o exército persa. Respondeu Hipócrates: – obrigai todo o vosso corpo médico a estudar Aritmética. Ao praticar o estudo dos números e das figuras, os doutores aprenderão a raciocinar, desenvolver as suas faculdades de inteligência, e aquele que raciocina com perfeição é capaz de descobrir meios seguros de debelar qualquer epidemia.”

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.