A LÓGICA DO DESTRAMBELHAMENTO. ENQUANTO 58% DE ELEITORES DESAPROVAM BOLSONARO, TEMER DIZ QUE ELE VAI BEM POR SER SUA CONTINUIDADE

Brazil's President-elect Jair Bolsonaro (R) and Brazil's President Michel Temer shake hands, at the Planalto Palace in Brasilia, Brazil November 7, 2018. REUTERS/Adriano Machado

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

Há lógicas por todos os lados. Por tal realidade, a lógica não é só a ciência do pensamento e do conteúdo correto. Da adequação do pensar com o que é pensado como produto do processo racional relativo à vida. Essa é a lógica cuja abrangência envolve todos os seres racionais e sociais. Todos que alcançaram a dimensão da empatia humana como cumplicidade social. Todos que acreditam e atuam em benefício ao bem comum, onde todos gozam dos direitos sociais como garantia de vida gratificante. O que confirma a existência como a essência do viver.

Também existem outras lógicas. Cujas estruturas são produzidas e defendidas pelos que dela fazem uso. Exemplo, a lógica dos crápulas. Todos os crápulas se comportam de acordo com os elementos que compõem essa lógica que representa seu corpo. Todos eles defendem suas estruturas como classe que se quer dominante sobre a parte da sociedade que lhe rejeita.

O mesmo ocorre com a lógica dos nazifascistas. Todo nazifascista tem o comportamento definido por uma lógica paranoica que se materializa na perseguição aos outros que atuam de acordo com a lógica democrática constitutiva da condição humana como vivência solidária. Daí, a lógica nazifascista ser uma configuração de elementos tanáticos expressados no ódio em forma de racismo, misoginia, homofobia, inveja, vingança; corpus, que em verdade, são produto do medo. Assim, a lógica nazifascista não nada mais é do que a expressão do medo da vida. 

Desta forma, pode-se compreender que existem lógicas de grupo, de classe, de entidade, etc., de acordo com os interesses particulares de cada um. Porém, todas essas lógicas tem um signo comum: todas querem ter a supremacia sobre a sociedade racionalmente civilizada. E o pior, é que essas lógicas-particulares encontram-se disseminadas por todos os territórios sociais. Em todas as instituições. O que significa que embora a instituição seja um corpus racional, nela também se postam crápulas, canalhas, sórdidos, corruptos, nazifascistas, etc. 

A afirmação de Temer de que  “do jeito que as coisas vão indo, o governo vai bem, porque está dando sequência ao nosso governo”, em entrevista à BBC Brasil, só confirma outra lógica que vem se mantendo há mais de quatro anos no país: a lógica-golpista. A lógica que deformou as estruturas política, econômica, social do Brasil. O evento Temer foi um atentado contra o desenvolvimento e o progresso do país. Além de ser marcadamente corrupto. Tendo ele como uma das mais suspeitas figuras.

 Alguns antidemocratas de aliaram para destituir da presidência da República a presidenta Dilma Vana Rousseff eleita democraticamente. Encadearam corpos irracionais que atentavam contra a racionalidade da democracia e perpetraram e executaram o golpe. Todos sabem que, como irracionalidade democrática, um golpe é uma lógica particular que busca destituir um governo-democrático para se apossar do poder. Por essa razão, não é possível esperar de um golpe qualquer política racional, visto que o golpe nasce de uma deformação da mente-política dos golpistas.

Como Bolsonaro também participou do golpe, que elevou Temer à presidência, não seria logicamente coerente ele, Temer, contraria a lógica-golpista aformando que Bolsonaro vai mal. Mesmo com 58% dos eleitores, segundo pesquisa Datafolha, afirmando totalmente o contrário.  

Daí, as consciências de Temer e Bolsonaro expressarem a a lógica-golpista. A lógica do destrambelhamento.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.