FILÓSOFO MARCOS JOSÉ ENUNCIA SEU OUTRO CD: A HETEROGENEIDADE DESTERRITORIALIZANTE DO ROCK CABOCÃO

0

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG E BLOG ESQUIZOFIA 

 

A HETEROGENEIDADE DESTERRITORIALIZANTE DO ROCK CABOCÃO, de Marcos José, é um encontro de afetos, perceptos e conceitos, como linha de corte, referida pelos filósofos, Spinoza, Deleuze e Guattari.

 

Tem em si, partículas-ondulatórias-dionisíacas, já encontradas no CD, O OBTUSO ROCK CABOCÃO. Entretanto, mostra outras enunciações-musicais, que poderiam ser chamadas de sérias. Sem sê-las, visto que o sistema-capitalista-capitalístico é um corpus pulsante de inspiração ao deboche, tal sua estupidez-paranoica.

 

Observando os devires dos filósofos Spinoza, Nietzsche e Marx, este CD apenas movimenta os agenciamentos de enunciações coletivas da Semiótica-Dogmática que produz os sujeitos-sujeitados necessários para alimentar e manter a estrutura-capturadora da psicose-social-dominante da Sociedade Mercadoria.

 

Recorrendo a Potência da Política-Didática da Informação, Marcos José, antes de algumas cabocadas-sonoras, ilustra suas partículas históricas responsáveis pela concretude literária-sonora. Conta como se processaram os encadeamentos de suas atualizações dos virtuais em reais responsáveis pela Heterogeneidade Desterritorializante do Rock Cabocão. 

 

Na cabocada-sonora, Infanticídio, afirma que sua criação ocorreu a partir do momento que se encontrou com uma moçada, companheiras e companheiros engajados do Curso de Assistente Social, quando ele se passava por professor na Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e compôs para ela. Se passava, porque Filósofo, como diz o filósofo, Nietzsche, não é professor como pretende o Estado. Filósofo é para perturbar o sistema opressor, como diz o filósofo Diógenes Laércio. Filósofo é matéria de variação contínua que, como o artista, tem como “propósito perturbar o otimismo do mundo burguês”, como afirma o cinegrafista-espanhol, Luiz Buñuel.

Na “Pobre do Povo Que Não tem Herói”, é extraído este refrão da peça, Galileu, Galilei de Brecht. Como os versos, “Verificar no meu livro sagrado o tempo que me foi dado viver”, também do teatrólogo-alemão criador do Teatro Dialético, que são encontrados na Niilismo Burguês ou Trombetas do Apocalipse, meio Raul Seixas.

Já, Para Uma Ética da Educação, foi criada para o movimento-político-educacional produzido por alguns professores que se reuniam nas praças dos bairros periféricos de Manaus, para discutirem a criação de um sindicato da categoria e que resultou, para o bem da classe, no Sindicato da ASPROM. E nessas reuniões, Marcos José era convidado para caboquear o Rock Cabocão.  

 

Em síntese, sem síntese, trata-se de um CD-Devires, em si, “matéria de variação-continua”, como a Filosofia!

                      

Corpus-Musicais:  Anti-Diálogo-Familialista, Sentimento-Mercadoria, Infanticídio, Niilismo Burguês, Erotismo-Fálico, Para Uma Ética da Educação, “Pobre do Povo Que Não Tem Herói(Brecht)”, Festança de Compadre, Dialética da Memória, Os Poderes da Mente, A Herança do Prefeito, E Éramos Todos Mortos, Amor Engajado e Agente Passivo.

 

Potências-Criadoras: Composições, Voz e Violão de Marcos José que se passa por filósofo, teatrólogo, teórico da psiquiatria-materialista, membro da Associação Filosofia Itinerante (AFIN) e autor dos livros, Tagarelando em Nietzsche, Sob A Ordem da Zona Escura, A Tirania da Superstição, entre outros.

Criação-Virtual do Encarte: Pixuto-Tauená.

Personagens e Enunciações: Subjetividade-Comunalidade.

Gravado no Estúdio Mady, Rua Belo Horizonte, 1408.

Preço? Dois valores-monetários como manda o capitalismo:

1 – 20 reais, para os amigos.

2 – 15 reais para os inimigos. Sim, visto que sendo o CD objeto-mercadoria-material, os inimigos têm direito de comprar para quebrar, queimar, rasgar, esmagar, cuspir, mijar, defecar, – usar seus sintomas sadistas-anais, como mostra Freud – e realizarem suas breves psicoterapias-sublimatórias. Ou, em caso de depressão-masoquista, ouvi-lo. Muito putos de inveja, é claro!  

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.