TATUAGEM DE MEIA LUA NA VIRILHA QUE VAI ATÉ OS TROÇOS DO BOLSONARISTA DANIEL ALVES, DESCRITA EM DEPOIMENTO PELA JOVEM VIOLENTADA, ACABA COM VERSÕES DO JOGADOR PARA ESCAPAR DA PRISÃO

CASO DANI ALVES

Espanhola de 23 anos apresentou a mesma versão para a polícia, incluindo detalhes, 20 dias antes de falar com a juíza do caso; Jogador mudou sua versão quando confrontado

Daniel Alves.

Créditos: Paulo Vainer/Divulgação

Por Raphael Sanz

ESPORTE – 23/1/2023 · 

O astro do futebol internacional Daniel Alves, com passagens de destaque no Barcelona e na Seleção Brasileira, foi preso na última sexta-feira (20) acusado de abuso sexual e estupro por uma mulher espanhola de 23 anos, em banheiro de área VIP da discoteca Sutton, em Barcelona. O caso ocorreu em 30 de dezembro, enquanto Alves visitava o país para passar férias e comparecer ao velório de sua sogra.

Em um primeiro momento, Daniel Alves negou as acusações e aparentemente se livraria da cadeia. No entanto, acabou pego de calças curtas durante depoimento à juíza do caso, após ser confrontado com a descrição de uma tatuagem íntima feita pela vítima.

A mulher que o acusa de abuso sexual teria sido seguida por Dani Alves dentro da discoteca, até um banheiro da área VIP. Daniel teria adentrado o banheiro logo em seguida e impedido sua saída. Ele também obrigou a mulher, segundo seu relato, a praticar relações sexuais dentro do banheiro, agredindo-a em momentos nos quais ela ofereceu resistência.

Se em um primeiro momento, Alves negou as acusações e poderia até mesmo sair ileso e nunca mais voltar ao país, em seguida foi confrontado pela juíza com informações detalhadas de uma meia-lua que tem tatuada da virilha até sua genitália. A vítima diz que viu a tatuagem ao ponto de descrevê-la em detalhes, em momento no qual foi obrigada a praticar sexo oral no agressor.

Confrontado com a descrição da tatuagem, Dani Alves mudou o discurso e afirmou que a relação foi consensual. Ele disse à juíza que estava sentado no vaso sanitário do banheiro quando a mulher lançou-se sobre ele.

A versão não colou. A juíza entendeu que da forma como Daniel Alves descreveu a cena, a vítima não gravaria os detalhes da tatuagem. Isso, somado à mudança de versão em que Dani Alves saiu da negação total do ocorrido para uma narrativa de relação consensual, pesou na decisão que o levou preso.

A principal hipótese dos jornais espanhóis é de que ao mudar de versão, o jogador perdeu credibilidade diante da juíza. A vítima, ao contrário, não mudou sua versão em nenhum momento. Inclusive os detalhes contados à polícia 20 dias antes teriam sido os mesmos relatados à juíza mais recentemente.

Nesta segunda-feira (23) Dani Alves foi transferido do complexo prisional Brians 1 para o Brians 2. A razão da transferência é que o novo local abriga menos presos e tem mais espaço, o que garante uma maior segurança para o jogador, cuja integridade física é responsabilidade do estado espanhol a partir de agora.

A defesa de Dani Alves ainda não apresentou recursos à Justiça da Espanha. É comum que em casos como este, a Justiça espanhola dê grande importância ao depoimento da vítima durante as apurações.

*Com informações do Globoesporte.

TEMAS
Daniel Alves
Tatuagem íntima
Barcelona
abuso sexual

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.