GOVERNADOR DO AMAZONAS, WILSON LIMA É CONVOCADO PARA DEPOR NA CPI DO GENOCÍDIO

PRODUÇÃO AFINSOPHIA,ORG

 

Não podia ser diferente: depois de Manaus e municípios do estado do Amazonas se tornarem notícia nacional e internacional como exemplo do fracasso no combate à pandemia, com milhares de mortos servindo de expressão da falta de cientificidade, afetos-empáticos, cognição-coletiva, ética-social e descaso com a saúde pública. o governador Wilson Lima, foi um dos governadores convocados para depor da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Genocídio. 

A decisão resultou de acordos feitos por senadores que indicaram quais os governadores que deveriam ser convocados. No caso de Wilson Lima, um dos senadores que pediu sua convocação foi o bolsonarista Marcos Rogério do DEM (RO). Espírito da ironia: Wilson Lima é também ferrenho bolsonarista. 

O truque dos bolsonaristas, em convocar governadores, tem como objetivo livrar o chefe da extrema-direita, Bolsonaro, para iludir parte da população que a culpa do genocídio não é do parceiro da Covid, com sua pedagogia de pulsão de morte se posicionando contra as medidas de segurança da saúde pública como, ser contra isolamento corporal, uso de máscara, etc., que já consumiu mais de 450 mil vidas.

O cerne do truque é afirmar que o governo federal enviou dinheiro para os estados, mas os governadores não usaram no combate à Covid. Usaram o dinheiro para outros fins – corrupção, por exemplo -, o que contribuiu para o aumento de infectados  e mortos.

Apesar da tentativa do truque, a responsabilidade de Bolsonaro não será rejeitada, mesmo que alguns governadores tenham realmente praticado corrupção. Como trata-se de uma epidemia que envolve todo o país, a responsabilidade geral sobre a politica de saúde nacional e defesa da saúde pública, é do governo federal, embora o Brasil seja uma Federação Constitucional.

E quanto aos prefeitos? Foram liberados. Os senadores não acordaram em convocá-los. Assim, o mistificado David Almeida, por hora, está em estado de graça. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.