COM AMPLIAÇÃO DE CAOS EM MANAUS, ENTIDADES ORGANIZAM CAMPANHA E PEDEM DOAÇÕES

“Não temos pretensão de substituir o Estado; o que não dá é pra assistir a isso calado”, afirma um dos organizadores

Cristiane Sampaio
Brasil de Fato | Brasília (DF) |

 

O agravamento da crise sanitária em Manaus (AM) moveu, mais uma vez, uma corrente de solidariedade na cidade. Uma campanha promovida por diversas entidades locais está arrecadando doações para prestar ajuda a unidades de saúde e pacientes em situação de maior fragilidade. É a chamada “Ação pela Vida”, que vem convocando moradores do Amazonas e também de outros estados para colaborarem com a mobilização.

O Amazonas vive um caos diante da pandemia, com um número superior a 233 mil infecções por covid-19 e mais de 6,4 mil mortes, parte delas registrada nos últimos dias, quando o estado enfrentou um colapso na oferta de oxigênio hospitalar.

Júlio Salas, da Associação dos Advogados e Advogadas pela Democracia, Justiça e Cidadania (ADJC), que integra a campanha, afirma que o movimento recebe não apenas contribuições em dinheiro, mas também produtos de maior necessidade para este momento de pandemia, como oxigênio e insumos hospitalares.

 “Tudo que as pessoas estão acompanhando na televisão e que faz parte deste drama, se elas tiverem condição de contribuir, está sendo muito bem-vindo. Nós não temos a pretensão de substituir a competência do Estado. É absurdo que esteja faltando oxigênio em Manaus. O que não dá é pra gente assistir a isso calado, sem tomar nenhuma iniciativa”, afirma o advogado.

Os mobilizadores arrecadam ainda itens como água e alimentos, que são canalizados para segmentos sociais mais vulneráveis aos estragos da pandemia. Apoio fisioterápico e psicológico para pacientes também são bem-vindos, segundo explicam os organizadores do Comitê em Defesa da Vacina contra a Covid-19, iniciativa local que deflagrou a campanha.

“Tem itens hospitalares que são muito importantes e que a gente está vendo que faltam nas unidades básicas mais periféricas. Recebemos relatos de falta de oxímetro, por exemplo. Estamos comprando máscaras, oxímetros, aventais, etc. Fraldas geriátricas também são uma necessidade para os pacientes”, enumera Beatriz Calheiro, do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam).

A entidade doou cestas básicas e colocou a conta bancária à disposição da campanha para centralizar o recebimento das doações em espécie. Entre as organizações que participam do movimento estão ainda a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG). Diferentes parceiros institucionais já fizeram colaborações, como a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

Para quem quiser fazer doações em dinheiro, os dados são: Banco Bradesco (237), Agência 3711, Conta corrente 14.015-5, PIX 04665.08900.0166. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (92) 99334.0202 e (92) 99469.8742.

Edição: Camila Maciel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.