LUIS ARCE DEVE ASSUMIR A PRESIDÊNCIA DA BOLÍVIA NA SEMANA EM QUE GOLPE DE 2019 CUMPRIRÁ UM ANO

Autoridade eleitoral boliviana prevê que a posse do presidente eleito será “na primeira quinzena de novembro”. Militares derrubaram governo de Evo Morales no dia 10 de novembro, e impuseram a ditadora Jeanine Áñez no dia 12

Concluídas as eleições presidenciais e proclamada oficialmente a vitória do economista Luis Arce, do MAS (Movimento Ao Socialismo), foi a vez do TSE (Tribunal Supremo Eleitoral da Bolívia) informar quais serão os próximos passos da transição política no país. E ao parecer não estão longe.

Segundo o presidente do órgão, Salvador Romero, a posse de Arce e dos deputados e senadores eleitos neste domingo (18) acontecerá “na primeira quinzena de novembro” – mas sem especificar uma data.

Ainda assim, a previsão de uma posse na primeira semana de novembro traz como curiosidade o fato de que se dará muito próximo das datas em que o golpe de Estado aconteceu em 2019: a derrubada de Evo Morales por parte das Forças Armadas aconteceu no dia 10 de novembro, e dois dias depois os mesmo militares impuseram Jeanine Áñez na presidência.

Romero deu uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (19), no qual também fez um balanço das eleições. “Mostramos que a Bolívia tem uma democracia muito mais sólida e firme, baseada em alicerces mais seguros do que a que tínhamos antes”, comentou.

Também informou que, segundo as informações do TSE, 87% dos cidadãos com direito a voto participaram das eleições, superando o recorde registrado no pleito de 2005 (o primeiro vencido por Evo Morales), quando a participação foi de 82%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.