PASSEATA DA IMOBILIDADE SE REDUZ A UM ESPLENDIDO CHABU

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

Imagens Jornalistas Livres, na Paulista

O povo brasileiro é a potência-política que produz a práxis e a poiesis da democracia. É a substância zona clara, onde ele percebe e concebe o mundo claro e distintamente. Daí, sua dimensão-humana sensorial, cognitiva e ética. Porém, ele sempre é assédio por criaturas horrorosas da zona escura, cinzenta e obscura que pretendem ofuscar sua clareza, mas sem jamais causar qualquer obscurecimento, visto a zona clara não compor com a dor das criaturas horrorosas cujos sentidos, cognição e ética encontram-se sob o dimídio do medo e da inveja-vingativa. O caráter próprio do nazifascistas, como afirma o psiquiatra W. Reich.

Como é sabido, o Brasil vem sofrendo fortes investidas das criaturas da zona escura representadas pela irracionalidade da extrema-direita. Com a eleição Bolsonaro, materializada com uso de expediente antidemocrático como os fake news, mamadeira de piroca, apelando para os eleitores com conflitos sexuais reprimidos sublimados como indignação moral, impulsionado por sentimento de culpa, a zona escura acreditou ter dominado o povo brasileiro.

Entretanto, o povo brasileiro é saudável e corajoso. Não se ilude e jamais se deixa engabelar por miríades das forças-escuras. Não passaram cinco meses e Bolsonaro mostrou o que realmente sempre foi: impossibilidade de representar esse povo saudável. O povo potência-política produtor da democracia. O Movimento 15 de Maio confirmou o já sabido sobre sua saúde política. 

Diante dos abalos no evento Bolsonaro, ele, junto com seus assemelhados, resolveu fazer a prova real quanto a confiança de seguidores. Foi convocada a passeata para esse domingo, 26. O resultado mostrou que a fantasia não pode ocultar o real. Revelou-se um esplendido chabu em todo o Brasil. Tudo que o Brasil saudável já sabia, porque percebe e concebe o mundo claro e distintamente. Sem qualquer obscurecimento da zona-escura.

Agora, Bolsonaro não tem mais onde buscar fabulações para sua fantasia de querer ser presidente. Acreditou que haveria uma explosiva manifestação em seu apoio. Nada. No somatório nacional, o número de manifestantes não lota um campo de pelada.

Enquanto isso, próximo à Copa América, o torcedor brasileiro saudável não aceita outra goleada: o uso da camisa da seleção brasileira feita pelos bolsonaristas como tentativa, frustrada, de uma grande manifestação que resultou em uma contundente derrota que os obrigo a baixar a cabeça, enrolar as bandeira e voltar para casa para assistir a maldição dos três f da Globo: futebol, faustão e fantástico.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.