DEPUTADO SUBMISSO A TEMER MARUN, DISCUTE COM JORNALISTA E CITA FREUD A SEU FAVOR QUANDO FREUD MOSTRA EXATAMENTE O CONTRÁRIO

Resultado de imagem para imagens do deputado marun

Produção Afinsophia.

    O deputado-golpista Carlos Marun, submisso a Temer e um dos mais fervorosos defensores do golpe contra o governo popular da presidenta Dilma Vana Rousseff eleita com mais de 54 milhões de votos democráticos, travou discussão com o jornalista Bernardo Mello Franco sobre questão de caráter.

     O golpista, inimigo da democracia, mandou carta ao jornalista afirmando que tinha mais caráter (ignora que todos os homens e mulher têm caráter, o que diferencia são os valores praticados por eles) que ele, jornalista, e o que o Brasil todo sabe que ele tem caráter. E para provar que tem caráter, segundo ele bom caráter, chamou o jornalista de invertebrado, como se os invertebrados não fossem espécies importante como modus de ser da Natureza. Coisas da sabedoria Marun.

 “Ignora o que o Brasil todo já sabe: que eu tenho caráter, ao contrário do invertebrado colunista, que, paradoxalmente, parece inspirar-se na velha UDN. Se algum dia ele quiser discutir caráter ou vergonha na cara, estou à sua disposição. Fora isso, só Freud explica, ou talvez nem ele”.

   Mas o que melhor causa gargalhadas gerais, principalmente no Brasil que o conhece, é o fato dele recorrer a Freud para respaldar seu argumento para atingir o jornalista. Fez a vetusta citação estereotipada, o velho e mal clichê, própria de quem confessa sua ignorância. “Freud explica”. Logo, fica claro que Marumncita e duvida de Freud por não saber que Freud explica ele muito bem e ainda lhe possibilita momento agradáveis de cura. Já que o tipo psicanalítico de Marum é gritantemente percebido. Tão bem percebido que mostra sem qualquer censura do superego diretamente o inconsciente.

    Quem não sabe por que uma pessoa se coloca contra a potência democrática de todos, como ele faz ao se mostra golpista e apoiar o golpista-mor, Temer? Quem não sabe por que alguém se coloca contra o pletos a pluralidade dos iguais, como diz a filósofa Bárbara Cassin?

   Esse Marun entende tanto de Freud como entende de política-democrática. Quis fazer graça e saiu esfumaçado.  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.