Olha, maninha, quando a gente ouve por aí a frase “O Mundo é Gay!” dita por certas e certos carinhas e carinhas, dá vontade de rir. A maior parte dos pessoais, incluindo alguns militantes do Gay Power, confunde potência com poder. O poder é o vazio, não carrega nada, é como um buraco negro que absorve as energias e as linhas-potências criadoras. Pooobre da mona que não produz, que não cria. Tadinha, presa ao status, ao stablishment do poder falo-hominista. Não consegue liberar os afetos, que transformam o corpo e produz variações contínuas no existir, indispensáveis para um viver ético-estético para além do fútil inútil. Aí, não saem do papai-mamãe da ordem normatizada.

Quando a filosofia afirma vitalisticamente que o “O Mundo é Gay!”, parte de duas linhas intensivas: uma, a do filosofante alemão Nietzsche, o bigode sexy, que mostra a falsificação do mundo, não há certezas nem verdades imutáveis, é tudo uma produção humana. O problema é quando ela se torna demasiado Humana, pois o homem é apenas uma ponte estendida entre o animal e o super-homem, o filosofante, a potência criadora de fluxos. Então, o mundo é feito por homens, pelos seres humanos e não tem nada nele que não seja humano. Outra, a flecha disparada pelo outro filosofante, luso-holandês, Espinosa, quando diz que um afeto é uma variação intensiva que modifica a potência de um corpo, sua força de existir. Afetos tristes diminuem a potência, nos tornam mais suscetíveis à imobilidade, à passividade, ao ressentimento, à dor. Afetos alegre aumentam a potência de existir, transborda o corpo e contamina o mundo, nos faz mais leves, alegres, amorosas, solidárias, ternas, bem humoradas e criativas. Ambos atualizados pelas doidas filosofantes Deleuze e Guattari na Esquizoanálise:

“Não, nós nunca vimos homossexuais”.

O homossexual que a esquizoanálise nunca viu é a identidade constituída que se quer passar por verdade, pela força fálica-hominista que pretende laminar tudo, transformando em mercadoria o corpo, o prazer, os dizeres e as expressões. Homoeróticos, uma outra forma de expressão do corpo, da sexualidade. “Os genitais são apenas uma ferramenta do sexo”, afirma o fluxo-Foucault. Para além dos clichês, ta?

Daí o mundo ser gay, pois a vida corre fora da existência, e é preciso se abrir para novas conexões, experiências e conhecimentos, fazer passar para a existência o fluxo contínuo da Vida, o Élan Vital (Bergson), como o fizeram o cinegrafista italiano Pasolini, os escritores Oscar Wilde, Jean Genet, André Breton, os pintores Francis Bacon, Monet, Van Gogh. O mundo não se limita à sexualidade selecionada, classificada e ordenada pelo falo-hominismo. Então, aproveitando os fluxos-gay que passam aqui e acolá, este Bloguinho Intempestivo atualiza esta coluna, com notícias e compreensões dentro desta ética-estética gay(=alegria), enfraquecendo os blocos rígidos do Power para deixar correr os fluxos da potência. Independente da orientação hetero, homo, pluri. Ui! Vamos lá?

Então ta combinadíssimo, todo domingaço aqui neste Bloguinho! Aí vai um aperitivo…

Φ Dizem que a Revolução Cubana perseguiu os homoeróticos. Durante anos, a política de segregação importada made in U.R.S.S. vigorou na ilha de Fidel, o que causou arrepios nos defensores dos direitos de expressão livre dos corpos. No entanto, é mais fácil Cuba modificar seu entendimento sobre os homoeróticos do que os estadunidenses, pretensos defensores da liberdade. Enquanto os ianques continuam usando todo tipo de tortura contra presos, inclusive torturas sexuais – o que mostra a redução intelectiva e o bloqueio dos movimentos livres do corpo que eles carregam – o parlamento cubano estuda a aprovação rápida de uma lei que permite a operação de mudança de sexo e a união civil, vulgo casamento, entre homoeróticos. A iniciativa é de Mariela Castro, sobrinha de Fidel e filha do atual presidente da ilha, Raúl Castro. Mariela é psicóloga e diretora do Centro Nacional de Educação Sexual. Os cubanos perceberam que a revolução não passa apenas pelo social e político, mas passa através do corpo e da relação com o si. Viva La Revolución!

Φ Até a ciência anda desmontando os clichês entranhados na sociedade, que inscrevem nos corpos uma identidade que não lhes cabe. O geneticista iraniano Karim Nayernia produziu espermatozóides a partir de células-tronco de mulheres. Com a descoberta, abrem-se diversas possibilidades, dentre elas novas terapias de fertilidade, e a possibilidade de que casais de lésbicas tenham filhos geneticamente legítimos. E agora? Até a função biológica do macho a ciência pode estar tornando obsoleta. Se isto acontecer, como fica o enunciado dogmático da igreja, que diferencia homem e mulher, e submete o sexo à lei bíblica, e transforma o corpo em simulacro? Dançou, neném! Aí, dança também a lei contra o aborto de Marcelinho Sarafim, que não quer deixar passar os fluxos sociais, já que nele estão interditados. E a vida, o que é, diga lá, meu irmão?

Φ Que o partido Republicano dos EUA é cheio de homofóbicos, não é novidade para ninguém. Um dos pré-candidatos, Mike Huckabee, afirmou recentemente que o homoerotismo é uma bestialidade. Se dissesse com a lucidez e a suavidade filosofantes, tava valendo. Como foi pela superstição e pavor ao que representa perigo à sua limitação epistemológica, torna a “verdade” tão hiperbólica que se revela ilusão. Ano passado, um senador republicano, maior opositor dos direitos dos homoeróticos no país, foi preso, oferecendo sexo oral grátis para homens bem dotados no banheiro de um aeroporto. Semana passada, outro caso de enrustimento assolou o PR ianque: Robert Somma, juiz federal do Estado de Massachussetts, indicado por Bush jr para o cargo em 2004 foi preso. Detalhe fortíssimo: bêbado, de vestido, meia-arrastão, saltos altos e bolsa feminina. Ai, que chique! Preso, mas na moda! O caso é típico resultante do estranhamento ao próprio corpo e ao sexo, que desemboca na homofobia e no moralismo hominista. Mas eles não contam nunca com o velho provérbio grego: In vino, veritas!

Φ E como os afetos tristes, que diminuem a potência de agir dos corpos e afasta a democracia da vivência do ser humano independe de orientação erótica, vai aqui uma notinha da lezeira manoniquim: estava o deputado federal Praciano (PT/AM) num programa de entrevistas (cuja apresentadora não pode entre-ver nada), e bastou o itapipoquense radicado na Manô começar a falar de sua atuação parlamentar, fiscalizando obras fantasmas pelas cidades do interior do Amazonas, licitadas e pagas pelo Governo do Estado, mas jamais construídas, como em Maués e Lábrea, pra entrevista ser logo encerrada e tão brusca e toscamente cortada que até quem não viu a entrevista percebeu, maninha! Cruuuzes! Aí alguém comentou: pode ser que a entrevista não tenha sido ao vivo, mas pré-gravada. Não importa, baby. Não elimina a censura e a submissão dos meios televisivos, impressos, radiofônicos e alguns até internéticos aos governos. Melhor faz o telespectador que não aceita a censura à inteligência que são estes programas.

Φ Last, but not least, fica aqui nesta coluna o registro da festa lindíssima que ocorreu ontem no Ilé Axé do Pai Alexandre de Iemanjá, no São José III, em Manaus. Muita alegria na festa da potência naturante do Candomblé, com saída de dois Yaôs e muito mais, e você confere em breve aqui mesmo neste Bloguinho o texto e as fotos. IM-PER-DÍ-VEL!!!

Beijucas, até a próxima, e lembrem-se, meninas/os:

FAÇA O MUNDO GAY!

2 thoughts on “!!!!! O MUNDO É GAY !!!!!

  1. Valeu, companheiro filosofante Carlinhos! Falta a alguns apenas se soltar e deixar levar pelos fluxos da suavidade. Mande ver na Bodega e no Pensamento Livre!
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.