PGR QUER CORRELACIONAR FRAUDE NO CARTÃO DE VACINAÇÃO DE BOLSONARO À TENTATIVA DE GOLPE DE ESTADO

0

Procurador-geral da República, Paulo Gonet vê ligação entre os dois casos e pediu novas diligências para ampliar a investigação

Jair Bolsoanro e ato golpista em Brasília (Foto: REUTERS/Carla Carniel | Joédson Alves/Agencia Brasil)
247 – O procurador-geral da República, Paulo Gonet, solicitou nesta terça-feira (23) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que determine a ampliação das investigações sobre a falsificação de certificados de vacinação de Jair Bolsonaro (PL) e aliados. Para uma eventual denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), Gonet requereu novas diligências. Em março, a Polícia Federal indiciou Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cid e outras 15 pessoas por crimes como inserção de dados falsos no sistema de informação e associação criminosa. Na época, o relatório da PF apontou que a ordem para cometer a fraude partiu de Bolsonaro.

Segundo Ricardo Noblat, do Metrópoles, o pedido de Gonet visa determinar se o grupo responsável pela falsificação dos certificados estava planejando um golpe de Estado no Brasil para retornar ao país. A solicitação de uma investigação mais detalhada tem por objetivo justamente reunir provas para denunciar Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF) também por tentativa de golpe.

A inclusão do elemento “golpe de Estado” representaria uma nova linha na investigação, correlacionando a falsificação do cartão de vacina com os eventos que levaram ao 8 de janeiro de 2023. Ao correlacionar os crimes, Gonet busca dar mais “peso” à gravidade dos delitos de Bolsonaro. Um julgamento e uma virtual prisão do ex-mandatário seriam, no caso do cartão de vacina, mais fracos no ponto de vista do debate público. O elemento do “golpe de Estado” daria mais peso à decisão.

A PGR também espera receber da PF um novo pedido de indiciamento de Bolsonaro e outros supostos criminosos no caso da venda de joias nos Estados Unidos. A expectativa é que o caso vire uma denúncia ao STF até meados de junho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.