O BRASILEIRO-LÚCIDO, SABE DOS VALORES DEFENDIDOS POR MICHELLE BOLSONARO. ELA VAI GANHAR R$ 33,7 MIL PARA PRESIDIR O ‘PL MULHER’. COMO FICA A ESSÊNCIA-DEMOCRÁTICA?

0

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

Simone de Beauvoir, filósofa francesa existencialista, amor necessário do revolucionário e inquieto filósofo da Liberdade, também francês, Sartre, como engajada na luta pelos valores-ontológicos da Mulher, muito bem apresentados em sua obra O Segundo Sexo, afirmou:

“Ninguém nasce mulher, torna se mulher!”.

 

Torna-se mulher é se escolher mulher, já que somos nossas escolhas, como mostra Sartre, em sua essencialidade como responsabilidade-histórica pelo mundo. É não se submeter ao modelo patriarcal-hebraico-edipiano-paulíneo-familialista-burguês produzido pela força hominista-paranoicamente-edipiana-repressora-castradora.

 

É não refletir e nem reproduzir esse modelo que reprime a Liberdade do Ser-Mulher. O modelo que a essencialidade Mulher, escolha para si mesma, sabe o que é o produto da fobia do homem diante da Potência-Revolucionária-Mulher. O que significa: Todo hominista não teve experiência boa com sua mãe para que lhe permitisse desenvolver em si a imago da simpatia-empatia com a Mulher como companheira produtora da EXISTÊNCIA-DIGNAMENTE-HUMANA. Daí, sua misoginia: medo de mulher. Nenhuma superioridade sobre a Mulher. Tudo não passa de deslocamento projetivo de sua neurose-psicose passivo-feminino. Sadismo de Édipo.   

 

Entretanto, o modelo de dominação-hominista não atinge somente os ditos homens, mas também a maioria das mulheres que são meros elementos reverberadores dessa caixa de ressonância modelizante, que além de replicarem esses valores que lhes dominam, também repassam para os filhos. Principalmente, às filhas.

 

Para essas mulheres codificadas, cristalizadas, estriadas pelo agenciamento semiótico-dogmático do sistema-capitalista-capitalístico-paranoico-dominantes que às fazem sujeitos-sujeitados, sem-desejos, os filósofos, também franceses, Deleuze e Guattari, chamam de mulheres sem Devir, já que estão muito bem sobrecodificadas e territorializadas pelo modelo-padrão de valores subjetivadores e objetivadores da sociedade burguesa.

 

Encontram-se implicadas na força molar do buraco-negro que engole todas formas de energias-desejantes. São mulheres que não possuem máquinas-desejantes e nem linhas de cortes-desterritorializantes liberadoras do desejo, visto estarem arroladas pelas linhas duras do espaço-estriado-burguês. Como consciência-hominista, quando realizam o coito sexual, realizam, também, como seus parceiros. Trata-se de uma relação homossexual, já que elas são hominizadas. Só muda o objeto-parcial: vagina. Os valores-afetivos-emoções-sentimos, são os mesmos do acompanhante. Na verdade, diria o psiquiatra W. Reich: Trata-se apenas de uma masturbação-genital.

 

Tanto para Simone de Beauvoir, Sartre, Deleuze e Guattari, essas mulheres-hominizadas jamais alcançam o DEVIR-DEMOCRACIA, já que a DEMOCRACIA é a PRÁXIS e a POIESES da POLÍTICA da LIBERDADE-COLETIVA. O REGIME de EXALTAÇÃO do AMOR-COMUNALIDADE. A POLÍTICA dos AFETOS-ALEGRES e da COGNIÇÃO-DIALÉTICA.

 

Michelle Bolsonaro vai ganhar R$ 33,7 mil para ser a líder do ‘PL Mulher’. O PL é partido de Valdemar Costa Neto e Bolsonaro, ambos com clara posição misóginas. A DEMOCRACIA não compõe com qualquer forma de discriminação. O que significa que ambos não sabem o que é DEMOCRACIA. E por tabela, Michelle e suas comandadas também não. O que leva para a conclusão que é mais dinheiro publico usado contra a DEMOCRACIA, posto que a verba dos partidos é dinheiro público. 

 

Pela perspectiva filosófica-libertadora, não há no PL DEVIR-MULHER. Se houvesse, estaria bem composto pelas Benedita da Silva, Jandira, Anielle Franco, Sâmia Bonfim, Isa Penna, Emanuela D´Ávila, Erundina, Gleisi Hofmann, Dilma Rousseff, Taliria Petrone, entre outras Mulheres-Devires que constitutivamente CRIAM a DEMOCRACIA.

 

Como diz a filósofa Leilinha Pentesileia: O pior para DEMOCRACIA-BRASILEIRA, é que existem milhões de eleitoras-hoministas que votaram em Bolsonaro. Mulheres sem DEVIR, replicantes-hoministas do modelo opressor de si e dos outros BRASILEIROS: A misoginia!  E para rimar: Onde há misoginia, não há democracia. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.