MORAES ABRE MAIS TRÊS INQUÉRITOS PARA APURAR ATOS GOLPISTAS DO DIA 8 DE JANEIRO

GOLPISMO

Decisão atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República

Caroline Oliveira
Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

 

Alexandre de Moraes ordenou a abertura de três novos inquéritos para apurar os responsáveis pelos atos golpistas – Marcelo Camargo/Agência Brasil

A pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou a abertura de três novos inquéritos para apurar os responsáveis pelos atos criminosos do dia 8 de janeiro

Os inquéritos foram divididos a partir de diferentes graus de responsabilidade pelos atos bolsonaristas em Brasília: os financiadores, os executores e os autores intelectuais dos atos criminosos.  

 

Nos três inquéritos, são citados os seguintes crimes: dano qualificado contra o patrimônio da União, associação criminosa armada, golpe de Estado, deterioração de patrimônio tombado, furto qualificado pelo rompimento de obstáculo e terrorismo. 

“Na data de 8 de janeiro de 2023, uma turba violenta e antidemocrática, insatisfeita com o resultado do pleito eleitoral de 2022, almejando a abolição do Estado Democrático de Direito e a deposição do governo legitimamente constituído, avançou contra a sede dos três Poderes da República, exigindo célere e enérgica resposta estatal”, argumentou a PGR no pedido enviado ao STF. 

 

“A escalada da violência ganhou contornos incompatíveis com o Estado de Direito, resultado na invasão e enorme depredação dos prédios do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal”, escreveu. 

No dia 13 de janeiro, Moraes já havia determinado a abertura de um inquérito para investigar a responsabilidade de autoridades no caso, como o governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha e o então secretário de Segurança do DF, Anderson Torres

 

Edição: Vivian Virissimo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.