BOLSONARO É REJEITADO PELA MAIORIA DAS MULHERES. ELE USA SUA MULHER PARA TENTAR REVERTER A REJEIÇÃO. ORA, ELA É CASADA COM ELE

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

As mulheres que escaparam da força opressora da subjetividade-dominante do patriarcalismo-falocrático, e são Mulheres-Devires, que não se submeteram a semiótica-sobrecodificação do sistema-paranoico capitalista-capitalístico que impossibilita o Movimento da Vida, transportam conexões de fluxos-mutantes e quantas-desterritorializantes. Ou seja, são agenciadoras coletivas de enunciações de novos territórios existenciais. Novas formas de sentir, ver, ouvir e pensar. São intensidades puras de desejo. O que revoluciona continuamente a Vida. Não temem a Existência. São sempre práxis e poieses de Afetos-Alegres cujos filhos, e todas crianças, são Convites-Ontológicos do Amor-Comunalidade. Acreditam, com o filósofo Nietzsche, que a Vida Ativa o Pensamento e o Pensamento Afirma a Vida. São Vontade de Potência negadora do niilismo destruidor de tudo que é Vital.

 

As mulheres que não escaparam da força opressora da subjetividade-dominante do patriarcalismo-falocrático e se submeteram, edipianamente, aos enunciados-sádicos-masoquistas deste agenciamento-castrador, tiveram seus devires capturados e muito bem imobilizados pela semiótica-sobrecodificação do sistema-paranoico capitalista-capitalístico que impossibilita o Movimento da Vida. E que é a exaltação da força niilista. O Poder Reativo que disjunta tudo que é Vontade de Potência. 

 

São mulheres meras repetidoras do modelo-reativo da dor do patriarcalismo-falocrático-burguês onde os fluxos-mutantes e os quantas-desterritorializantes estão molarizados impedindo a passagem do desejo-molecular, como mostra o psiquiatra-filósofo Félix Guattari. Mulheres acorrentadas no buraco-negro-hominista sem qualquer Linha de Corte para passar a Vida como Potência-Vital. São elas, meras repetidoras, executadoras e mantenedoras das ordens que protegem e alimentam os homens-fálicos-narcisistas e passivos-femininos. Prisioneiros dos aguilhões a-históricos. Os que se tomam como proprietários do mundo, mas que na verdade, sofrem, psicopatologicamente, do pavor da Vida.

 

São homens cruéis com egos narcisisticamente infantilizados pelo medo produzido em tenra infância e que essas mulheres, com os sentidos e as inteligências atrofiadas, por isso não vivem a Ética-Comunalidade, se submetem orgulhosamente como escravas e, ainda, se tomam como fiéis companheiras amantes e amadas em um cristianismo imaginariamente-fantasioso abstraído do verdadeiro Cristo, o Filho de Maria.

 

Bolsonaro é o que é. Sem tirar nem por. Não precisa de nada mais para ser o que é. E as Mulheres-Devires sabem muito bem o que é esse é. Ontologicamente, conhecem a perfeição desse é que não compõe com seus Devires. O incontestável motivo que determina a rejeição por ele. O incontestável motivo por que não votam nele. Mas, Bolsonaro, sem saber o que é Mulher-Devir tem usado sua mulher, que se filiou ao mesmo partido que ele é filiado, PL, com o objetivo de atrair os votos das mulheres. Triste e inútil recurso: Mulheres-Devires não cultuam a dor.

 

O filósofo dos Afetos-Alegres, do Occurso: Bons-Encontros, do Conactus: a Potência de Viver, o holandês, Spinoza, afirma que quando as pessoas compõem alguns afetos, mesmo afetos-tristes, compõem porque têm Noções-Comuns que são partículas que os dois corpos possuem em comum. 

 

Michelle é mulher de Bolsonaro, porque tem Noções-Comuns com ele. Logo, as Mulheres-Devires sabem desse familialismo-conjugal. E sabem que a Democracia é Devir-Povo! 

 

Diante da tentativa-inútil de Bolsonaro, o filósofo Zé da Zilda, parafraseando o teatrólogo Edward Albee, autor da peça Quem tem Medo de Virginia Woolf?, perguntaria: Quem Tem Medo das Mulheres de Bolsonaro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.