JUÍZA PROÍBE QUE GOVERNO FEDERAL FAÇA CAMPANHA DE “KIT-COVID” E “TRATAMENTO PRECOCE”

CORONAVÍRUS

Além disso, influenciadores que foram pagos para fazer publicidade anticientífica precisam se retratar em 48 horas

Redação
Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

 

Bolsonaro é um entusiasta de medicamentos que não têm comprovação científica no tratamento da doença – Reprodução

A juíza Ana Lucia Petri Betto, da Justiça Federal em São Paulo, decidiu proibir que a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), do governo federal, faça campanhas de publicidade defendendo o “tratamento precoce” contra a covid-19 ou incentive o uso do kit-covid (medicamentos sem comprovação científica contra o coronavírus). As informações são do site UOL.

Em sua decisão, a juíza diz: “Que a Secom se abstenha de patrocinar ações publicitárias, por qualquer meio que seja, que contenham referências, diretas ou indiretas, a medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19, especialmente com expressões como ‘tratamento precoce’ ou ‘kit-covid’ ou congêneres”.

:: Lewandowski nega pedido de bolsonaristas e mantém Renan Calheiros na CPI da Covid ::

A juíza também obrigou a retratação pública de influenciadores que foram contratados pelo governo federal para defender o “atendimento precoce” em suas redes sociais em até 48 horas. A liminar foi expedida na última quinta-feira (29).

A decisão da juíza aconteceu após o recebimento de uma Ação Civil Pública da educadora Luna Brandão contra a campanha “Cuidados Precoces Covid-19”.

 

Edição: Vinícius Segalla

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.