ESCOTOMIZAÇÃO LEGISLATIVA: BOLSONARO, O MAIS REJEITADO DO MUNDO, SERÁ TITULADO CIDADÃO AMAZONENSE PELOS DEPUTADOS DA ALEM. É MOLE?

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

QUANDO OLHOS NÃO ENXERGAM E A RAZÃO NÃO PENSA

 

Ser dotado do sentido visual não significa enxergar, assim como ser dotado da faculdade mental não significa pensar. O sentido visual, para muitos, só é relevante para testemunhar a obviedade-material. Confirmar o visual, o senso comum objetivo, sem qualquer exame da realidade postada na exterioridade. Enxergar a obviedade, sem mudança em si, significa um dos mais baixos graus da inteligência dos olhos. Olhar sem enxergar, é se confirmar como sujeito-sujeitado do modelo dominante da sociedade dogmática capitalista-capitalística.

No mesmo segmento, pode-se entender a atrofia da faculdade mental quando ela não processa sua práxis e poieses como instrumento de exame da realidade, assim, como também, como transformadora do que precisa ser transformado para a instalação do novo. A potência-singular da faculdade mental é o pensamento. O ato que cria novas formas de sentir, ver, ouvir, pensar novos territórios existenciais em que o homem e a mulher movimentam seus devires ontológicos. Ir além do dado, do posto, do estriado, do determinado, do tido como necessário e imutável.

 

SOBRE A ESCOTOMIZAÇÃO 

 

A escotomização pode ser entendida através de três seguimentos: Fisiológico, Psicanalítico e Epistemológico. 

1 – A Escotomização Fisiológica. A escotomização fisiológica ocorre quando o indivíduo perde, parcialmente, a capacidade de enxergar. As causas podem ser por uma infecção nos olhos, um trauma na área ocular, uma batida na cabeça, as famosas estrelinhas, e outras causas. Mas, em todas as causas, o indivíduo perde a normalidade da ação visual. É fácil entender que trata-se de um sintoma que deve ser tratado por um oftalmologista. 

2 – A Escotomização Psicanalítica. Esta escotomização já é da ordem da estrutura da mente com sua topografia Ego, Super-Ego e Inconsciente. Comparando com a escotomia fisiológica, o indivíduo também perde a condição de perceber a objetividade. Ou, como diz a psicanálise, o princípio de realidade.

Estando sob as forças do inconsciente e do Super-Ego, o Ego, luta para manter sua identidade e permanecer consciente de seu estado. Como ele não pode fugir da objetividade que um princípio de realidade perverso lhe impõe, ele recorre aos mecanismos de defesa negando o real. Essa negação do real é fruto de seus traumas de infância que lhe fixaram em estágios passados como formas de dívida e culpa em relação as imagos de seus país-capturadores o fator-básico de sua neurose ou psicose, que na chamada vida adulta-infantilizada lhe impede de perceber o real para aceitá-lo ou tentar mudá-lo como práxis e poieses da saúde-mental. 

Desta forma, as investidas do inconsciente e do Super-Ego no Ego formam a base narcísica-fóbica do indivíduo que teme a realidade em seu estado de abandono-infantil. Trata-se de uma criança continuamente dominada pelo medo. Daí, sua contínua ligação simbólica com o que ele acredita como autoridade que pode lhe proteger: nostalgia-inconsciente das imagos dos país. Este medo é também o sintoma que afirma sua impossibilidade de vivenciar, autenticamente, experiências coletivas, como exigem a Democracia.

3 – A Escotomização Epistemológica. A escotomização epistemológica encontra-se intimamente ligada com a escotomização psicanalítica. Como a epistemologia é a potência do conhecimento tanto filosófico como científico, e, como o conhecimento encontra-se encadeado com a práxis e a poieses da mente em sua faculdade racional, qualquer forma de perturbação nessa faculdade altera a capacidade do indivíduo de perceber a matéria exterior para produzir agenciamentos coletivos de enunciados criadores de novos territórios-existenciais democráticos. 

Sujeitado pela escotomização epistemológica, o indivíduo passa a ser um simples executador de atividades instrumentais, visto que seu grau de abstração diante da matéria real é baixíssimo. O que não lhe impede de ocupar cargos em que o fator epistemológico como segundo grau de conhecimento ou o terceiro não sejam exigido. Embora sejam os graus de produção de existência singularmente democrática. É nesse quadro de baixíssimo fator epistemológico que pode-se encontrar várias formas de representações profissionais do legislativo e executivo: vereadores, deputados, governadores, prefeitos, senadores, presidentes, o escambau.Como em outras instituições dominadas por mistificações, alienações e reificações.

Assim, submetido as escotomizações psicanalítica e epistemológica, o indivíduo não pode desenvolver em si o princípio valorativo essencial para a produção da Democracia: A Ética Social.

 

OS DEPUTADOS DO AMAZONAS E O AMAZONENSE-BOLSONARO

 

Bolsonaro é a figura mais rejeitada no mundo. O significado internacional de louvor à pandemia. O inquilino do Palácio do Planalto que não criou qualquer programa de combate à Covid – 19. Muito pelo contrário: sempre negou sua letalidade tachando-a de gripezinha. Além de ser contra o isolamento corporal, o uso de máscaras, propagar a hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia no combate da Covid -19. Com seu negacionismo e ineficácia política, contribuiu para a ampliação da quantidade de mortos no Brasil que hoje chega a mais de 378 mil, onde uma grande parte é enumerada no Amazonas, que sofreu a violência da falta de oxigênio e o recurso de ter que enviar pacientes para serem atendidos em outros estados.

Mas, o Brasil de Bolsonaro não se resume apenas aos efeitos da pandemia, ele é também o país dos maias de 20 milhões de trabalhadores desempregados e de milhões na informalidade mendigando a miséria do auxílio emergencial que ele, Bolsonaro, não queria conceder. É o país do fracasso total da política econômica que ofende o trabalhador expressando um futuro aterrorizador. Além, de ser também, o pior inimigo da defesa ambiental que vai participar da Cúpula do Clima.

Pois é este personagem, que foi levado pelos mistificados ao Palácio do Planalto, que os deputados amazonenses vão torná-lo cidadão do Amazonas mostrando que eles se merecem. Só que os amazonenses reais, teluricamente-concretos, sabem que essa homenagem é fruto das escotomizações dos homenageadores, e não dos amazonenses filhos de Ajuricaba. 

Enquanto isso, o deputado Sinésio do Partido dos Trabalhadores encontra-se em sumido. O que sempre ocorre quando é chamado para tomar uma posição para o fortalecimento da democracia em função de sua consciência-reacionária.

 

Vejam os deputados bolsonaristas:

 

Contra

Serafim Corrêa (PSB)

Abstenção

Dermilson Chagas (Podemos)

Favoráveis

Tony Medeiros (PSD)

Wilker Barreto (Podemos)

Roberto Cidade (PV)

Delegado Péricles (PSL)

Dr. Gomes (PSC)

Ricardo Nicolau (PSD)

Saullo Vianna (PTB)

Belarmino Lins (PP)

Adjuto Afonso (PDT)

João Luiz (Republicano)

Carlinhos Bessa (PV)

Faltosos

Joana Darc (PL) – licença maternidade

Sinésio Campos (PT) 

Angelus Figueira (DC)

 

 

   

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.