BRASIL JÁ PODE TER ULTRAPASSADO 220 MIL MORTOS POR COVID – 19, DIZ PESQUISA

0

Médicos fazem treinamento no hospital de campanha para tratamento de covid-19 do Complexo Esportivo do Ibirapuera.

Levantamento feito pela Vital Strategies diz que há omissão de quase 33 mil mortes decorrentes da doença

 

facebook sharing button
twitter sharing button
whatsapp sharing button
email sharing button

Levantamento feito pela Vital Strategies, organização global composta por especialistas e pesquisadores que atuam junto de governos, estima que há omissão de quase 33 mil mortes no balanço divulgado pelo governo Federal sobre as mortes por Covid-19, informa a Folha de S. Paulo.

Segundo o último balanço oficial divulgado pelo governo Federal, o país registrou na quinta-feira (24) 190 mil óbitos em decorrência da Covid-19.
Essa subnotificação de quase 33 mil mortes se dá pelo fato de que esses casos entraram nas estatísticas como SRAG (síndrome respiratória aguda grave) sem causa específica.

Porém, os pacientes que foram a óbito possuíam três ou mais sintomas clínicos de Covid. Dessa maneira, ainda que os testes dessem negativo, esses casos deveriam ter sido diagnosticados como suspeitos, de acordo com protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo a reportagem publicada pela Folha de S. Paulo, a Vital Strategies já compartilhou os dados de seu levantamento com o Ministério da Saúde.
Os dados que baseiam o levantamento da Vital Strategies foram coletados no Sivep-Gripe (Sistema de Informação de Vigilância Epidemiologia da Gripe), do Ministério da Saúde.

Fátima Marinho, médica epidemiologista e especialista sênior da Vital Strategies, afirma que são 242.249 mortes por SRAG neste ano, até o dia 14 de dezembro. Desse total, 68.631 não tiveram causa específica, porém, 32.923 dos pacientes tiveram sintomas de Covid, o que resultaria em potenciais 221.208 mortes por Covid-19.

Marinho também afirma que a base de dados do Ministério da Saúde mostra que é necessário investigar mais os casos. Na avaliação da especialista, falta no Brasil uma coordenação por parte do Ministério da Saúde.

Por meio de uma nota, o Ministério da Saúde informou que os casos de SRAG sem causa determinada já foram investigados e que os dados foram inseridos no Svep-Gripe.

Nelson Teich, ex-ministro da Saúde no governo de Jair Bolsonaro, usou as redes sociais, nesta sexta-feira (25), para discordar dos dados oficiais sobre as mortes provocadas pela Covid-19 no Brasil.

Ele afirmou que, até o momento, cerca de 230 mil pessoas perderam a vida em consequência da doença, número bem superior aos 190 mil divulgados pelo Ministério da Saúde. Ele credita a diferença às subnotificações.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.