E SE O JACARÉ SE ANTROPOMORFIZASSE E AFIRMASSE: QUEM NÃO SE VACINAR VAI VIRAR BOLSONARO!

Presidente Jair Bolsonaro participa da ceimonia de posse da nova diretoria da Frente Parlamentar da Agricultura, no Clube Naval. Brasilia, 19-02-2019. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

Já é sabido, até pelos que não sabem, que Bolsonaro não se comprometeu no combate à pandemia como é de obrigação de um Chefe de Estado responsável com sua população. Muito pelo contrário: passa o tempo propagando que ela não deve ser tida como uma ameaça. Afirmou, como já foi por demais badalado, que ela é apenas uma “gripezinha””. Na questão da vacina, também tomou a mesma atitude negacionista, como é de seu feitio, embora se determine defensor da vacina norte-americana.

   Como a China, com seus significativos cientistas reconhecidos mundialmente, entrou na produção da vacina de forma comprometedora, e na vanguarda, ele, acompanhando seu ídolo, o extremista Trump, iniciou campanha contra esse país envolvido na vacinação mundial.

Juntamente com ele, seus iguais, partiram para a fake news contra a vacina chinesa com conteúdos próprios de quem é dominado por ausência de cognição lógica e ética. Chegaram a afirma que a vacina vai instalar no vacinado um chip no DNA para controlá-lo de forma robotizada. Faltaram afirmar que os vacinados ficariam iguais a eles: atrofiados epistemológicos. Como efeito desse vírus-anti-comunicação-ética, o DataFolha publicou uma pesquisa mostrando que mais de 50% da população não pretende ser vacinada pela medicação chinesa.

Neste quadro trevoso, Bolsonaro, que diz que não vai se vacinar, concedeu entrevista afirmando, que não vai haver vacina para todos, e que a vacinação não é segura. E no caso da vacina Pfizer, o laboratória afirma que não se responsabiliza pelos efeitos colaterais. Disse ele, que quem tomar a vacina “e virar jacaré é problema seu”.

Então, se pergunta: E se um jacaré se antropomorfizasse e afirmasse que quem não tomar a vacina vai virar Bolsonaro? Igualzinho. Com a mesma sensibilidade, inteligência, ética, deboche com as minorias, negacionismo, antipolítica, identificação com torturador, sorriso deslocado, etc. E mais: que fosse uma jacaré do Pará. De preferência de Belém, cujo prefeito eleito foi Edimilson, do PSOL. Será que algum bolsonarista iria acreditar no jacaré?

Jacaré tem a boca grande, mas não mente para sua população. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.