MARX, DIZ:”MINHA RELAÇÃO COM MEU ENTORNO É MINHA CONSCIÊNCIA”. O ENTORNO DOS INIMIGOS DO FUNDEB É A IRRACIONALIDADE

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

A enunciação marxiana é revolucionária porque implica a consciência do homem com o mundo social. A objetividade real impulsionadora dos atos humanos. Não apenas confirma a experiência do homem com a concretitude do mundo, mas também mostra como o homem realiza essa síntese. Ou melhor, o quanto esse homem é real para realizar a síntese resultada da vivência-mundo. 

Sabe-se muito bem, que embora o mundo real se imponha ao homem como realidade, muitos indivíduos não conseguem sintetizá-lo em si como objetividade-concreta. Assim, o resultado dessa experiência epistemológica, no mundo exterior, perde suas propriedades, categorias e atributos quando são submetidos às propriedade subjetivas desses indivíduos. O que significa que o real é transformado em irreal. A objetividade é transformada em subjetividade como supremacia do idealismo-subjetivista. A dissipação do mundo-real. 

Quando esses indivíduos processam essa transformação o mundo real passa a ser modelado por suas representações em forma de projeções de suas interioridades. Como as transformações corromperam os corpus epistemológicos da realidade através da força dissimuladora do pensamento mágico – infantilismo-imobilizador-, eles percebem o mundo pelas óticas mistificadas, mitificadas, reificadas e alienadas. Pois, são estas as transformações que ocorrem neles quando negam o mundo desrrealizando-o.

Dominados por essa condição, eles instituem neles mesmos a tirania da superstição. Seus sentidos, intelectos e éticas são apenas reflexos bruxuleantes de suas superstições como falsificações do mundo. O político, o social, o econômico, o religioso, o estético, o psicológico, e qualquer etc do mundo, não passa dessa falsificação. Um exemplo, muito usado por eles: Deus. Eles jamais conseguem compreender a dimensão espiritual de Deus em função dessa força falsificadora que são escravizados. Deus, para eles, é tão somente uma palavra que serve tanto para lhes conceder ilusória segurança, como, também, para manipular outros. Deus serve para tudo que ajude a fortalecer a prisão-falsificadora. Para impedir a liberdade do existir no mundo real.

Como para esses indivíduos o mundo é produto de suas projeções idealistas-subjetivistas, suas consciências são os reflexos supersticiosos desta falsificação. Assim, o entorno que nos fala o filósofo de Trier, para eles são suas projeções-abstraídas que eles acreditam como existindo realmente no exterior. Mesmo assim, o camarada de Engels, tem razão: os entornos deles são suas existências abstraídas. Desta maneira, suas consciências dissipadas da Razão-Ativa. A irracionalidade em forma exterior de estupidez.

Como não existe processo educacional sem a Razão-Ativa, a Razão-Criadora de novas formas de práxis e poiesis de existir,como sujeito-histórico, e se sabendo da quantidade de parlamentares que são dotados de consciências-abstraídas, já era de se esperar que a votação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), seria fortemente obstaculizada por essas forças irracionais sob o comando de Bolsonaro, a representação maior da anulação do educar no Brasil atual. Ameças, chantagens, compras de parlamentares, todos esses atos anti-educacionais já estavam sendo esperados, visto que é o que sempre ocorre quando da votação de qualquer tema relativo aos direitos democráticos do povo brasileiro. 

Neste quadro-perverso, se faz necessário a participação da sociedade-democrática que como potência-multitudo, inteligência-social-engajada, pode influir nessa votação para que a racionalidade-educacional prevaleça e a educação nacional não seja engolida pela voracidade da economia de mercado. Os parlamentares da oposição, que representam a Razão-Ativa na Câmara Federal, precisam contar com o engajamento da sociedade-democrática, visto que o tema, Educação Pública, é da responsabilidade de todos que hoje estão presentes como sujeitos-históricos, assim, como também, os que virão.

É preciso construir um Brasil onde Bolsonaros não serão possíveis. Um Brasil em que a potência-humana-brasileira possa se tornar realidade-democrática. Um Brasil em que a estupidez não possa se querer autoridade capaz de influir no destino da população brasileira.

É preciso criar um Brasil em que todo brasileiro possa, ao olhar em seu entorno, acreditar que é um ser de consciência-real. 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.