TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DO AMAZONAS REALIZAM ATO PÚBLICO, AMANHÃ, DIA 22, EM HOMENAGEM AOS COMPANHEIROS QUE MORRERAM POR AÇÃO DA COVID – 19

PRODUÇÃO AFINSOPHIA.ORG

 

Vários profissionais de Educação do estado do Amazonas, foram vítimas da pandemia que se espalhou pelo mundo por ação de seu agente Coronavírus-Covid 19. 

Entretanto, essas vítimas não foram consequências apenas da ação deste agente patológico-viral. Elas foram, também, vítimas da psicossociopatologia que no momento se apodera do país. O descaso total do evento Bolsonaro em relação a pandemia contribuiu, em muito, para o exorbitante número de infectados e mortos, principalmente, em Manaus, como o mundo todo é sabedor.

Destituído de qualquer signo-político-científico-social, em forma de alteridade, ele não determinou qualquer medida para atuar sobre a pandemia. Pelo contrário, como é do conhecimento do mundo, ele criou obstáculos para a prática da terapêutica-médica. Não podia ser diferente: trata-se de uma criatura com comprometimentos filo-ontogenéticos.  

Daí que as mortes destes profissionais da Educação (como todas as outras mortes), confirmam o que diz o cientista Schwartzenberg: a morte não é só um problema biológico, mas metafísico ou ético. Ou seja, um problema político.

A psicossociopatologia é uma angústia-social produzida pelas formas de poderes que oprimem os indivíduos que vivenciando o estado-doloroso de desamparo, não sabem como criar mecanismos de defesa para evitá-la. Desta forma, ficam submetidos às investidas deletérias destes sádicos-poderes. Trata-se da disseminação de afetos-sociais- tristes que, politicamente, diminuem a potencia de gir da sociedade, como diz o filósofo Spinoza. 

Vamos nessa labuta-ontológica para dignificar a Existência, profissionais da Educação!

Todas as vidas IMPORTAM! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.