MARCO AURÉLIO, DO STF: “FICO TRISTE AO VER O QUE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA ESTÁ FAZENDO”

0

Ministro Marco Aurélio durante sessão de encerramento do ano forense do STF. Foto: Nelson Jr./SCO/STF (19/12/2018)

30 DE MARÇO DE 2020.

Ministro do STF criticou a forma como Bolsonaro vem lidando com a crise do coronavírus e disse que, já em 2017, temia a eleição do atual presidente

Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, disse estar “triste” com as ações do presidente e que, já em 2017, temia a eleição de Bolsonaro. Em entrevista ao Correio Brasiliense, nesta segunda-feira (30) Mello comentou o comportamento do presidente diante da pandemia de Covid-19.

Um número crescente de ações judiciais contra o presidente têm sido apresentadas após Bolsonaro adotar um posicionamento contra as medidas de isolamento. social recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e que vêm sendo adotadas pela maior parte dos governadores. Mello afirmou: “Eu fico triste ao ver o que o presidente da República está fazendo”.

O ministro também lembrou que, em 2017, chegou a dar uma palestra na Universidade de Coimbra, em Portugal, na qual comentou sobre as experiências na Hungria e nos Estados Unidos com a eleição de líderes com tendências autoritárias.

Na ocasião, Mello teria comentado que temia a eleição de Bolsonaro no Brasil. “Um político que passou a vida inteira atacando as minorias e pregando um combate intenso contra a corrupção. Premonição? Não, só experiência de vida”, disse o ministro.

Mello também defendeu o isolamento social como única opção para controlar a disseminação do coronavírus e afirmou que está respeitando a medida: “Eu estou trabalhando em casa; afinal, tenho 73 anos e faço parte do grupo mais vulnerável. Se houver um contágio desmedido pelo vírus, certamente não haverá atendimento para todos que dele necessitarem”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.