MARINÊS É DE TODA A NOSSA GENTE!

0

É DA TERRA

Conheça a primeira mulher a formar um grupo de forró

Cida Alves

Brasil de Fato | João Pessoa (PB)

26 de Junho de 2019.

Marinês, a rainha do xaxado. / Reprodução

Com mais de 40 discos gravados, Marinês foi uma das precursoras do forró, inclusive a primeira mulher a formar um grupo do gênero.

Nascida Inês Caetano de Oliveira, em 16/11/1935, Marinês como todos da sua época, iniciou a carreira como caloura na rádio local, em Campina Grande. Já em 1949 formou, com o marido Abdias, o Casal da Alegria e sempre realizavam apresentações nas praças das cidades onde Luis Gonzaga iria tocar.

Seu encontro com o Rei do Baião se deu na cidade de Propriá, em Sergipe. O rei lhes ensinou o xaxado e ela foi, então, batizada de “A Rainha do Xaxado”. Em 1957, gravou dois grandes sucessos, os xotes “Peba na pimenta” e “Pisa na fulô”. Ainda nessa época, a convite de Luiz Gonzaga, foram para o Rio de Janeiro, onde se apresentaram no programa “Caleidoscópio”, na Rádio Tupi. 

Participou do filme “Rico ri à toa”, dirigido por Roberto Faria, interpretando a música “Peba na pimenta”, de João do Vale, José Batista e Adelino Rivera, acompanhada por Abdias dos oito baixos na sanfona. Na cena, além de cantar, também dançou xaxado, ritmo do qual ficou conhecida como rainha. Gravou o LP “Outra vez Marinês”, que lhe rendeu um segundo troféu Euterpe, além de ter obtido o prêmio de melhor vendagem. 

Em 1984 apresentou-se em diversos shows em teatros da periferia do Rio de Janeiro dentro do projeto Pixinguinha. Em 1986, lançou o LP “Marinês e sua Gente – Tô chegando”, com a participação especial de Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Jorge de Altinho. Em 1998, com produção da cantora Elba Ramalho, lançou pela BMG o CD “Marinês e sua Gente”.

Foi a primeira mulher a formar um grupo de forró. Em 2000 lançou”Eu só quero um forró”. Em 2005, lançou o disco-homenagem “Marinês canta a Paraíba”, produzido por Noaldo Ribeiro, com patrocínio do governo do Estado O CD que tem a  participação da Orquestra Sinfônica da Paraíba.

Sofreu um acidente vascular cerebral no dia 5 de maio de 2007, vindo a falecer dez dias depois. 

 

Edição: Heloisa de Sousa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.