CONVOCAÇÃO ABGLT – VOTAÇÃO DA PEC 122/06 NA PAUTA DO SENADO

O presidente da ABGLT, o engajado Toni Reis, convocou a tod@s @s interessad@s numa convivência democrática e desejante dos fluxos intensivos afetivos da diversidade ético-estética do existir a pressionar os senadores na aprovação do PLC 122/06, que está pronto para ir à plenário nos próximos dias. Vale a sua participação, seja telefonando, seja por emeio, cartaz, convidando o vizinho, o amigo, o namorado, a namorada para participar:

O Projeto de Lei 122/2006 (da chamada Lei da Homofobia), que se for aprovado, vai ser fundamental para conquista da cidadania plena da  comunidade  LGBT, está para ser votado a qualquer momento.(www.senado.gov.br) prontinho para ser votado.

Ligue agora mesmo para o Senado Federal (0800 61 22 11 ligação  gratuita) (pode ligar de celular) e peça aos(as) senadores(as) de seu estado e os demais para votarem a  favor este Projeto PLC 122 /2006  que visa   a  diminui a  discriminação   contra a comunidade  LGBT.

A telefonista vai pedir-lhe seu nome completo, CPF e CEP de sua residência. Estes dados são para  evitar que mesma pessoa ligue diversas vezes. Ligue. É seguro.

Caso não se lembra quais são os senadores de seu estado, não se preocupe, pois a telefonista irá informar-lhe.

Entre no site do Senado: www.senado.gov.br e peça aos Senadores para estarem atentos a este Projeto de Lei. Telefone agora mesmo para os(as) Senadores(as).

Faça a sua parte. Ligue para o Senado, e também coloque em suas listas de discussão, blogs, ORKUT, MSN  etc.

É  fundamental   você  fazer  sua  parte.   Se   você  ligar,  mande   um  email   para  tonidavid@avalon.sul.com confirmando  sua  ação. Vamos  fazer  a  lista   das  pessoas   responsáveis  pela  aprovação a  lei  que  criminaliza a  homofobia.

Entre  no  site  www.naohomofobia.com.br e  veja  como  ajudar.

Abaixo o  fundamentalismo  religioso.

Todos  e  todas juntos(as)  por  um  Brasil Sem Homofobia

Um  abraço

Toni Reis.

Para quem não lembra, ou não sabe, os nomes e contatos dos senadores do Amazonas (para ver o contato dos senadores do seu estado, clique aqui):

Arthur Virgílio (PSDB) – arthur.virgilio@senador.gov.br

Tel.:(61) 3303-1413/1301

Fax: (61) 3303-1659

Jefferson Praia (PDT) – jefferson.praia@senador.gov.br

Tel.:(61) 3303.2061 a 2067

Fax: (61) 3303.2737

João Pedro (PT) – joaopedro@senador.gov.br

Tel.:(61) 3303-1166

Fax: (61) 3303-1167

118 thoughts on “CONVOCAÇÃO ABGLT – VOTAÇÃO DA PEC 122/06 NA PAUTA DO SENADO

  1. Gostaria que essa lei não fosse aprovada , porque em nome da palavra de deus e em nome não so de mim mais de muita gente que também não gostaria que essa “pec” fosse aprovada que se colocassem em nosso lugar como uma exemplo , que voceis estivessem
    no senado e quando saisem no estacionamento estivesse la doi homosexuais fazendo seus “carinhos” .
    voceis gostariam ?
    crio eu e muita gente que não
    portanto faço uma apelo que não aprovem essa “pec”

    1. Se Deus quizesse dois Homens tranzando, teria feito Adão e Ivo ou Eva e Maria, portanto, esse desejo, é fora do natural de DEUS, jamais aprovaria uma proposta deste tipo. Até porque, os GAYS é que estão discriminando, onde ja se viu, querer incriminar com penas que vão de 2 a 5 anos de reclusão, quem discriminar os atos praticados pelos homosexuais, isso é uma vergonha e um absurdo sem prescedentes na história de nosso País, até porque temos uma Constituição altamente democrática, onde todos são iguais perante a lei. A lei não pode ser individualizada, nós cidadãos de bem, não somos contra o homosexual, mais sim, contra a pratica do homosexualismo da maneira que está contido dentro desta PEC, ISSO É UMA LOUCURA.

      SOU RADICALMENTE CONTRA.

    2. Concordo com a opiniao da colega a luz da biblia isso é condenavel, então a biblia seria homofobica e sua circulação seria tambem proibida, caros colegas saibam em quem votar nessas eleição escolham candidatos que alem de serem evangélicos tenham compromisso com Deus, esta em nossas mão que essa pec caia e depende dessa eleção, por isso analisen em quem vota, principalmente os deputados federais e senadores

  2. Bruninha,
    gostaríamos? Não, gostamos de ver não só num estacionamento, mas na rua, num bar, num campo de futebol, em todos os lugares, já que o mundo é gay, e mais ainda, o cosmo é gay. E, assim, todos nós…
    E, mais do que gostarmos de ver, está a possibilidade de sentir e amar dos gays, numa forma livre, política, autêntica…
    Não tenha medo do seu sexo e muito menos tente controlar o dos outros, Bruninha. Só quem tem algum medo e preconceito com os gays são pessoas inseguras de sua sexualidade. São pessoas para as quais é impossível amar sem subterfúgios.
    Queremos não apenas a aprovação dessa PEC 122, mas lutemos por um mundo sem preconceitos, com pessoas atuantes, com menos medos e sem rancores, que construam um mundo onde seja menos difícil amar. Enfim, um munod que nos interessa e, acreditamos, interessa também a você e a tantos…
    Um beijo! Volte sempre e avise as amigas…

  3. Nãoo , nãoo !
    Deus fez homem e mulher nãoo homem pra ser mulher isso nãoo existe
    nunca, se a pessoa nasce homem morre mohem , e também pelo meu espaço e pelo ourtros ja penso você na sua casa e quando sai tem dois “gay” se acareciando ? c beijando e tudo mais ?
    você tenho certeza que não gostaria
    portanto peço que não apreve a pec122
    obrigada

    1. Como tem gente preconceituosa nesse mundo, e vivem numa ilusão, num mundo de mentiras…isso é a religião
      Povo ignorante e homofobica.
      apoio total a PEC 122

      1. O cristianismo, digo, o catolicismo, não vive de ilusão, e, por sinal, é a única religião realista que existe.

        O homossexualismo, do contrário, é uma utopia, uma aberração contra a natureza, ou seja, é anti-natural. Luta por direitos iguais, quer dizer, lutam para que todos os homens sejam homossexuais, pois somente assim, não serão discriminados.

        Diante disto, tenho de parabenizar minha amiga Bruna. Parabéns!
        Suas palavras, extremamente singelas, demonstram mui bom senso.

        Coragem Bruna, pois milhões de brasileiros estão com você.

        “O mal ‘total’ nunca existirá. Pois o mal só existe enquanto é ausência de um bem.”

        Abaixo à PEC 122. Nosso povo possui valores, possui alma.

        Não somos animais. Somos como roseira, que enraizada na terra floresce para o céu!!!!!!!!

      2. Dá dó desses gays, eles sdao gosados , escrachados. Pergunte a qualquer pai se ele gostaria que seu filho virasse gay. Lógico que não
        Não se trata de preconceito, acho que as pessoas merecem respeito, até mesmo os gays, contudo eles não podem mudar aquilo que deus quiz
        A bíblia condena a homossexualidade e a bíblia é a palavra de DeusMais sábio que Deus não há
        Os gays de hj estão se fazendo de vitimas, qq coisa é chamado de homofóbico, francamente, virão homens para poderem ser felizes

    2. bruna continue assim mesmo eu creio q Deus nunca iria aceitar isso continue assim vc tem todo meu apoio bjosssssssss

  4. Anônimo,

    Concordamos: cristianismo e catolicismo são coisas diferentes. Tanto que o segundo nada tem a ver com a potência-ativa que engendrou o primeiro. Nada de Cristo no catolicismo paulino que cultua a dor e o ressentimento. E isso, realmente, não é ilusão.
    Quanto ao homossexualismo, que nada tem a ver com a homossexualidade, também acertaste: não é um topos (lugar), posto que é uma produção do saber isntitucional da medicina enquanto agente de controle do Estado.
    Quanto à roseira (uma rosa é uma rosa é uma rosa), nada de humano, como de resto, os animais também não o são. Por isso, não discriminam, não vêem no Si um inimigo infalível, transbordando a má consciência num social patológico. Por isso a lei é necessária. Porque não são animais, nem roseiras: são humanos, demasiado humanos.

    Volte sempre e convide todo o jardim!

  5. realmente muitos venenosos cristãos[não todos] estão em pane com a aprovação dessa lei ;pois isso mexerá no seus preconceitos e falirá suas atitudes condenatórias ; e assim eles não poderão ficar vociferando nas tribunas por aí ódios e condenações…criminalizar os outros é fácil ;agora quando eles serão averbados como antidemocráticos e fascistas gritam por não…que o cu de sillas pegue fogo… e se esses conservadores calassem a boca muitos homossexuais estariam mais felizes…lembre se que Jesus disse amai uns aos outros e não condenai. amor pra todos !

    1. jesus sempre ensinou o amor,na verdade ele é amor.a biblia diz:Deus criou macho e fêmea.se alguem deseja viver o amor livre que viva,eu não descrimino o homem em si,mas as suas praticas por sere elas contra a lei pre-estabelecidas por Deus o criador.a palavra fêmea no hebraico significa feto,significa que a mulher tem a capacidade de gerar um feto porque ela tem útero,o homem não tem útero.portanto nunca será mulher.eu não sou um conservador,eu sou um defensor do bem estar da familia,da ética,e do respeito.se alguem deseja viver o amor livre pra ser mas feliz que viva,mas não queira enfiar essa aberração de garganta a baixo na sociedade porque nós não somos trouxa.

    2. Sr. Altheman

      Deixando de lado os Cristãos, seria bom o Sr. ler a Lei de Moisés: A Thorah e o Talmud para ver o que os Patriarcas falam disso.

  6. não a pec 122, devemos rever nossos conceitos,pois essas pessoas que se dizem ter direitos iguais ,realmente elas tem ,mas como homem e mulher; são pessoas que precisam de tratamento psicologico.Pessoas doentes de mentes transtornadas, que fazem escandalo, gostam de aparecer , mas esquecem que o principio da humanidade é um Homem e uma Mulher e sem o casal não ha aumento da humanidade, e se o mundo for gay a humanidade já era…TODOS CONTRA A PEC 122.

  7. É rídiculo uma discursão como esta, e pior colocar isso como proposta de lei, quem pode ter orgulho de algo assim? Aceitamos por misericórdia e amor a essas pessoas, condenamos os atos e amamamos o ser humano e por amar é que não podemos pemitir que essa lei seja aprovada. Independente de religião, denominação ou qualquer outra coisa; homosexualismo é anormal, geneticamente falando. Pensem lógicamente e com inteligência!

  8. Isso, Clovis,
    muito normal as discriminações que os tiranos fazem em nome da paz, que fascistas fazem em nome do amor.
    Você diz: “homossexualismo é anormal”. Tem de ser, para escapar das regras do ressentimento e da intolerância. Agora se você fala que é “geneticamente”, mais ainda, pois viria naturalmente, não pela história e a cultura, sendo, portanto, de uma outra ordem, uma ordem cósmica.
    E é esse movimento autêntico de liberdade que todos os fascistas, machistas, tiranos, torturadores, castradores, ressentidos tentam barrar com a sua homofobia.
    Assim, pensemos logicamente e com inteligência, como diria Bertolt Brecht: “Estranhe tudo que não for estranho.”
    Mas passe sempre por aí para dar a sua cloviscada, valeu?

  9. Afinsophia;

    obrigado pelo convite. Voltei, porém não trouxe o jardim (sentido figurado). Estavam ocupados com coisa mais importante, debatendo, inclusive, sobre a diferença entre Filosofia e Ideologia.Sobre a aqueles que possuem compromisso com a verdade, que buscam verdadeiramente a “sophia”, que não permanecem apenas no campo das opiniões, que procuram as causas primeiras e últimas do Homem, que partem do senso comum e com bom senso vão além daquele, versus, aqueles que desejam fazer de um conjunto de idéias, bem particulares e sem força lógica, algo universal, idependente de todos, e que seja verdade, válida para todos.

    Passei apenas para comprimentá-los e convidá-los, igualmente, para nosso próximo estudo. Dizem que será sobre a verdade. Ela mesmo! Aquela que é imutável. Pois pedra é pedra, indiferente do que eu penso dela. Homem é homem, mulher é mulher, mesmo que eu pense o contrário.

    1. Sou contra pois isso ñ é aceito ao reino do senhor1!!!!
      Deus crio a mulher para o homem e o homen para a mulher!!!!!!

  10. Não, Anônimo I, você não voltou.
    Mesmo que fosse o Anônimo II, XV ou XC, você não voltaria, já que, filosoficamente, não existe volta. É que você não se movimentou na sua verdade imutável. Embora tenha sacado que “homem é homem, mulher é mulher”. Certíssimo. Porém, macho é outra coisa e fêmea é outra coisa, mesmo que você pense o contrário. Estes são da ordem da realidade e não da ideologia como poeira do preconceito e da intolerância.
    Então não volte, não há como, só apareça por aí, e traga seu roseiral, já que as rosas são hermafroditas…
    Abraços afinados!

  11. Afinsophia;

    Fazendo uma alusão ao Mito da Caverna e analisando a resposta que me enviastes, pude confirmar: “A verdade incomoda”.

    Incomoda, pois implica em distinção. E, hodiernamente, a distinção não é bem vista, pois se cultua o igualitarismo.

    Portanto, digo-vos: O mundo é desigual e sua ordem depende desta desigualdade.

    Imagine se todos os membros de nosso corpo desejassem ser mãos, ou se todas as notas musicais desejassem ser Ré, imagina se todos os homens desejassem ser mulheres, ou se todas as cores do ARCO ÍRIS desejassem ser vermelho. Se baníssemos as diferenças do universo, com certeza ele não teria ordem, bem como, a beleza que por aquela se expressa.

    A beleza do universo é devida à diversidade dos seres existentes. Mas com uma ressalva, cada qual em seu posto, com sua natureza:

    O homem não pode ser mulher, não pode ter filhos, o peixe não pode viver fora d’água, o elefante não pode voar, a minhoca não pode viver por sobre a terra.

    Contudo, deixo-lhe minha última mensagem:

    “Ultima hominis felicitas est in contemplatione veritatis”(T.A.)

  12. Valeu, Anônimo I,
    é por isso que, no seu autoritarismo, Platão impediu que os conceitos reais de Demócrito fossem divulgados, mas não pode impedir que, desde este filósofo da Natureza, uma linha contínua se formasse, passando por Epicuro, Lucrécio, Spinoza, até Nietzsche, Foucault, Deleuze e Guattari, Toni Negri e segue, seguindo o movimento intensivo ininterrupto da Natureza Naturante. Enquanto isso Platão, Santo Agostinho, Hegel e outros moralistas, enviscados, foram enviscados na Natureza Naturada, demasiado humano diria Nietzsche…
    Valeu, porque a PEC 122, que já havia sido aprovada na Câmara, foi aprovada há pouco também no Senado.
    Mas continue por aí, comprovando que o Mundo é Gay e é para todos, mesmo para os que estão em seu posto, com sua natureza. Então, posto…

  13. Sou evangélico e creio totalmente nas promessas da Biblia ( sou ortodoxo).
    Nâo apoio a Pec-122/06,mas entendo que Deus fez o mundo para todos e a opção de como viver e problema de cada um(livre arbitrio).
    Vivemos em um país de Paz e bastante tolerante; não vejo necessidade desse enfrentamento.Percebo que a PEC , estará colocando os Homofóbicos acima de todos os demais sequimentos sociais do país o que poderá trazer um desequilibrio muito grande e essa convivencia de pessoas ai sim poderemos ter situaçao nunca visto antes.
    Lamento e considero infeliz a iniciativa desse político.
    Talvez algumas alterações de forma inteligente, nos mantenham em equilíbrio.

    NOS DEUS É UM DEUS DE PAZ.
    ELE AMA A TODOS.

  14. Abaixo a PEC 122/2006! Queremos de volta a educação, a moral e os bons costumes familiares! Chega a essa bichice! Tenho nojo e ódio desses gays! Morte aos gays! Que vão pro inferno!

  15. infinita luz pra todos os homoafetivos libertos desse mundo…respeito para os lbgt , luz para que senadores e deputados nos ajudem a dar respeito definitivo aos gays.

  16. avanços e enfrentamentos

    e ao mesmo tp tudo vai se configurando absurdo…os preconceituosos acabem.
    eles que se comprazem/mantem/legitimam essa realidade, ocntinuem nela. agora e nós? poucos ecos,libertos gays sem dúvida e chega hora que até as palavras cessam, pois fiquei pensando: o que vc poderia fazer ou falar?gays e heteros
    daí a escuta ser tão importante? pois qdo nos descobrimos sós diante da máquina ter alguém p/ nos ouvir é ter alguém que nos sabe existir?[gays ou heteros]

  17. o que posso dizer?
    o que escrevi:
    PARABÉNS: para – bens…a pec 122 é verdadeira e ousa buscar a amorosidade aos gays.a existencia humana: enriquecimento (espeito aos glbt]

  18. fazer liberdade aos glbt por que? e por que não? no sim e não o absurdo, mas no sim um movimento que traz outros entendimentos e ações. são as possibilidades de transbordamentos que pedíamos. eles não dão $, mas são canal p/ trazermos p/ o exterior as forças inconscientes que se agitam em nós. e na ação centramento/distanciamento dos traumas etcetcetc
    há que se perseverar como a citação do livretinho budista que copiei p/ ti e deve chegar logo
    não esmoreçamos já que ainda nos resta viver, que seja que nem a festa que vc foi dia 22
    isso é milagre
    e
    não esqueça do que te disse: o demonio só devolve o que lhe damos, portanto não dê nada a ele. que demônio? as figuras instituidas, as projeções que colocamos nos outros,
    somos nosso próprio e mais implacável algoz, condenador…

  19. lembremos dos homoafetivos: deus é misericórdia
    nós, como todos os outros aliás, merecemos amor glbt ainda mais que saimos da roda da superfície social, caimos no oceano do nós mesmos.
    que venha o silêncio!
    não precisamos de internação e sim redenção… que fazemos dia a dia
    liberdade
    livramento
    libertarismo
    dia a dia
    limpemo-nos exorcizemos todo o lixo repressor ainda incrustado em nós e que nos aperta e ainda faz sofrer

  20. confesso que fiquei feliz com aquela lei a favor dos gays sensação de desforra, senti sim amor, pois isso p/ mim é mais uma constatação: sei que os glbt tem que matar a violência escancaramento e não tornar bode expiatório esse encaixamento arbitrário, o que não fariam comigo? aos gays ficam depressivos com a maldade dos sistêmicos queria que isso não existe é abuso, contudo vai falar e ir contra? é fácil o bater em gays e amar é possível.

  21. No olhar de uma criança,
    Num simples abraço,
    Numa palavra de carinho,
    Na luz do sol,
    No vento que anuncia a chuva,
    Nas flores, nos pássaros
    No céu, na luae nas estrelas…
    A felicidade esta em todo lugar.
    Mas somos cegos, surdos e mudos
    Para poder percebê-la.
    Preste atenção na vida
    E colha todo dia:
    Pedacinhos gays não podem sofrer.

  22. a vida cotidiana gay ainda são enxarcados de preconceito. conseguiu mobilizar uma escola inteira no pátio num dos períodos contra os abusos da diretora (vc como debatedor deve saber que a máquina está explodindo e suas colegas de um modo geral são omissas ou autoritárias ou ambos), ou seja, o gay foi perseguido (e por mais que falem que não, isso HÁ! e não é mania de perseguição ou paranóia) ou seja, o cerco foi se fechando, ele entrou no ciclo de licenças até não suportar tb esse outro enquadramento.
    falei dos normais, pois gays eles são um outro olhar dessa máquina, já ultrapassou muito, e tem visões e idéias que podem apontar perspectivas.
    ele foi se resgatar na escrita. escrita que lhe valeu alívio psíquico e confirmação/fortalecimento.
    entre em contato com ele por favor, pois se vc é a favor da vida glbt da educação, deve ouvir os que ainda e´stão nela e os que foram quebrados por ela e sobrevivem sem se curvar.

  23. A emancipação dos homossexuais e sua ascensão a uma identidade individual e coletiva trouxe reflexos tanto na vida sexual e sentimental dos gays como na sua produção cultural. Não é de hoje que a cultura homossexual se expressa através da arte, ora com uma certa liberdade, ora com disfarces. Podemos ver “o amor que não ousa dizer seu nome” presente nas esculturas gregas com seus jovens idealizados como uma beleza suprema, em Michelangelo com seu Davi encarnando o mesmo ideal, no Fauno de Barberini escancaradamente homoerótico

  24. Essa cultura é indissociável das transformações religiosas, científicas e sociais, da liberação progressiva dos meios e desejo dos artistas se exprimirem livremente, fazendo aparecer uma arte cuja representação homossexual é sugestiva, provocante e corajosa. Antes escandalosa e perseguida, agora, após a invenção da sexologia, o apelo cultural do corpo, as audácias literárias e cinematográficas e as renovadas leituras da história da arte, a cultura homoerótica não só é aceita, mas bastante respeitada.

  25. a libertação gay, vai se expandir de forma variada e pública, seja no transformismo de David Bowie e Jagger, seja na androginia de Michael Jackson ou no lesbianismo fashion de Madonna e outras cantoras da música pop ou seja na fotografia de Mapplethorpe, com seus sensuais Black nude man, que vai impor um padrão de recuperação mais ousado para a beleza, sensualidade e potência da forma física masculina, erotizando-a para o gosto do publico gay. Os exemplos poderiam se multiplicar aos milhares.

  26. Vejam que artigo interessante e bem fundamentado.

    Homossexualismo: A CURA.

    Identificando as suas causas, o homossexualismo é eminentemente atitude comportamental influenciada, induzida e em nada se associa às origens biológicas ou fisiológicas do ser humano.
    Suas raízes promanam das seguintes circunstâncias sócio-psicológicas:
    Na infância: da ausência física da figura paterna ou materna em fase de tenra idade da criança; ou pela inversão ou tolheção dos papéis: é que o pai tem de deixar a mãe ser mãe e a mãe tem de deixar o pai ser pai no relacionamento com o filho ou com a filha; da ausência afetiva dos pais: estão presentes fisicamente, mas longe (um, outro ou ambos) da criança afetivamente; da negligência, descaso do pai, da mãe em relação ao cuidado e proteção da criança propiciando-lhe experiências sexuais.
    Aliás, lenientemente, têm pai e mãe que assentem com a pederastia. O “troca-troca” como se fosse algo normal! No entanto, tal experiência no menino pode induzi-lo à crença precipitada de que aquela sensação de prazer provocada pela introdução ou esfregação do seu “pipi” no ânus do outro menininho e vice-versa, impregna-lhe a falsa idéia de bem estar emocional advinda da excitação provocada pelo impulso sexual (este sim normal) da relação entre sexos iguais.
    O mesmo se dá com experiências sexuais entre meninas. A falsa idéia de bem estar emocional assenta-se na premissa equivocada de que tudo o que provoca excitação é bom! A cocaína, a alta velocidade em ruas movimentadas das cidades, beber ao coma alcoólico, o ludibriar da boa-fé pela sensação de enganar, a mentira compulsiva podem ser exemplos de bem estar emocional advindo da mera excitação.

    Ademais, a suposta necessidade da mulher casada e mãe em inserir-se ao mercado de trabalho relega os filhos ao cuidado e influência de terceiros: creches, escolinhas, berçários e etc., não há como negar, propiciam-lhes riscos psicológicos e físicos iminentes e inafastáveis em uma fase crucial para o seu desenvolvimento emocional.

    Quando da adolescência: a alienação psicológica dos pais quanto aos relacionamentos dos filhos com paradigmas capazes de influenciá-los subjugando-os moralmente: a amizade com um adulto estranho ao seio familiar deve ser vista com máximo alerta. Permitir a televisão e toda espécie de mídia, inclusive a pornográfica “educá-los”, bem como a escola secular (privada ou estatal) institucionalizadora de maus costumes, mormente sem contrapesos éticos traçados pelos pais no lar é o mesmo que entregá-los às más companhias.

    O recalque do auto-estima por mecanismos que os inferioriza causa-lhes a impressão de que, como disse uma personagem de Julia Roberts, “comer merda com garfo e faca” é tudo o que merecem… Acabam por não se importar com a exploração e indignação dos seus corpos porque se sentem inferiorizados.

    Tais circunstâncias são capazes de levar o (a) adolescente ao homossexualismo.

    Na fase adulta: nessa fase a palavra chave é o hedonismo, onde o prazer pelo prazer importa na animalização dos relacionamentos na busca desenfreada por corpos e corpos e quanto mais, melhor: verdadeiros laboratórios de experimentos orgásmicos. Aqui o sujeito não teve recalque emocional, pai e mãe fizeram um bom trabalho!

    O fato é que como a uma espécie de escala ascendente a relação sexual descomprometida a não ser pelo que vale em níveis de prazer, promove uma imagem distorcida da pessoa coisificando-a e a rebaixando a mero objeto de serventia sexual.

    Essa escala é ascendente porque o hedonista geralmente começa com satisfação em um nível de menor potencialidade; contudo, quando a exaure psicologicamente em termos de número de parceiros; passa para um outro nível onde vale tudo e tudo vale: troca de casais até que a exaustão venha e passe a experimentos sexuais entre iguais e, não necessariamente nesta ordem, a outros níveis como a zoofilia e a pedofilia.

    É a história da maconha, depois vem o crack, a cocaína, a heroína até a morfina, psicotrópicos mais e mais potentes e assim vai. Não necessariamente nesta ordem, é claro, mas, sempre ascendente.

    Esclareça-se que nem sempre o hedonista enveredar-se-á por esta escala e que nem sempre as figuras citadas se equivalem; mas, todas têm algo em comum: a promiscuidade ou a devassidão.

    Muitos também rotulam espécie de comportamento “intermediário” de bi-sexualidade; contudo, o comportamento homossexual aflora pelos trejeitos e estereótipos masculinos nas mulheres e femininos nos homens.

    Assim, do ponto de vista humanístico a prova cabal de que o homossexualismo é comportamento aprendido ou induzido e não que o homossexual tenha nascido homossexual é que, irremediavelmente, as mulheres homossexuais se esforçam em parecer com homens e estes quando homossexuais fazem questão de efeminizar-se: é tão massivo tal comportamento que não poucos homossexuais (almejam) e quando podem “trocam de sexo” ante a necessidade psicológica de se tornarem um “homem” ou uma “mulher”, o que na verdade nunca o serão! Eis aí um ponto conflitante e destrutivo de tal comportamento para quem se envereda por ele, atraindo para a sua psique transtornos e neuroses sem fim.
    Portanto, falacioasa a argumentação de mera “opção sexual”. O homem e a mulher aderem a tal comportamento e como tal se sujeitam ao desejo de se efeminar ou masculinizar-se piscologica e socialmente. Assim, o homossexaulismo é comportamento e não mera opção sexual.

    Ora, ademais, se envereda por ele porque embora se trate de um comportamento aprendido ou induzido a pessoa pode, se quiser, desvencilhar-se de tal atitude no mínimo conflitante.

    A CURA: pode parecer complexa mas não é; o primeiro passo é, pela introspecção, identificar a causa e admiti-la como catalisadora do comportamento homossexual. Eis ai a parte mais difícil. Depois buscar um ponto de apoio psicológico a saber: repudiar e desfazer-se mental e na prática de todo o sentimento pervertido.

    “Livra os que estão destinados à morte, e os que são levados para a matança, se os puderes retirar”. (PV 24.11).

    Link:http://eli-ezer-emess.blogspot.com/2009/11/homossexualismo-cura.html#comments

  27. a gente ouve frequentemente notícias de casos de discriminação contra lésbicas, gays, travestis, transexuais e bissexuais, em decorrência de sua orientação sexual e/ou identidade de gênero, em locais que vão desde o espaço familiar, escola, ambiente de trabalho, bares e restaurantes, e estabelecimentos comerciais em geral. E quando menos esperamos, algo desse tipo acontece com a gente. O que se deve fazer num caso desses ? A discriminação por orientação sexual é crime no Brasil ou não ? Há alguma medida que se possa adotar, em ocorrências desse tipo ? Vamos neste pequeno artigo tentar esclarecer algumas dúvidas e apontar os melhores caminhos para se denunciar a prática de discriminação contra homossexuais, sempre que ela acontecer.

    Discriminar alguém por ser homossexual é crime no Brasil ?
    A homofobia no Brasil ainda não é caracterizada legalmente como crime, ao contrário do racismo e da discriminação de gênero, pois apesar da Constituição Federal prever em seu art. 5º, XLI, que “a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais”, isso ainda não foi regulamentado através de lei ordinária. Temos um Projeto de Lei em andamento na Câmara dos Deputados, mas isso ainda não garante que a discriminação contra homossexuais seja reconhecida como crime.

    Se a homofobia não é um crime, não se pode fazer nada ?
    O fato de não haver lei caracterizando como crime a prática de discriminação por orientação sexual nos impede de tomar medidas contra pessoas ou estabelecimentos que atuem de forma discriminatória ? Em Estados como Alagoas, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal, bem como numa série de Municípios nestes mesmos Estados e em alguns outros da Federação, já temos legislações que punem administrativamente as condutas homofóbicas. Isso significa que mesmo não sendo crime, nestes Estados e Municípios a prática de atos discriminatórios constitui infração administrativa, e pode acarretar punições significativas, ainda que não sejam restritivas de liberdade, como no âmbito do Direito Penal.

    1. Olá, Kal the man, gostria se saber o que é homofobia e o que, exatamente, pode caracterizar uma conduta homofóbica?
      Cordialmente,
      Milton.

  28. O processo pela Lei nº 10.948/2001 é o único a ser aberto ?
    A denúncia com base na Lei nº 10.948/2001 é fundamental para que seja iniciado o processo que tem como base a caracterização da homofobia, mas outras medidas processuais podem ser tomadas.
    Se sua cidade tiver uma lei municipal antidiscriminatória, como são os casos de Campinas e São José do Rio Preto no Estado de São Paulo, pode ser aberto ao mesmo tempo um processo no âmbito municipal, funcionando como mais um instrumento de pressão.
    Se além do ato discriminatória acontecer alguma atitude que possa ser tipificada (enquadrada penalmente) como criminosa, tais como calúnia, injúria e difamação, ameaça, constrangimento ilegal, lesão corporal, dentre outras, a vítima pode tomar as providências para que seja aberto o processo criminal. Se for um crime contra a honra – calúnia, injúria e difamação – a ação penal é privada, ou seja, é a vítima que precisa constituir advogado para ingressar com a queixa-crime diretamente perante o Judiciário. Se for algum dos outros que citamos, a vítima pode comparecer perante o Ministério Público para encaminhar a representação, com ou sem advogado, e a partir daí, se a promotoria entender que há indício de conduta criminosa, encaminhará ofício à autoridade policial (Delegado de Polícia) determinando a abertura de Inquérito Policial, o qual, ao final, poderá resultar na abertura do Processo Criminal, por Denúncia do Ministério Público.
    Mas o processo criminal pode não ser o único. Se a vítima, com a assistência de advogado, entender que sofreu danos morais em decorrência da atitude discriminatória praticada, poderá ingressar com a ação indenizatória pleiteando a reparação dos danos morais sofridos.

    E a única reação à homofobia é a abertura de processos ?
    Os processos são importantes e necessários, pois as penalidades aplicadas a determinados casos, especialmente aqueles que se tornam mais emblemáticos, podem atuar de maneira pedagógica sobre a sociedade. Já imaginou o efeito de uma condenação, seja em processo administrativo, criminal ou civil, ou qualquer outro que seja possível, contra um notório homofóbico, do tipo desses deputados evangélicos cretinos que saem por aí propondo projetos de lei de apoio à “cura” da homossexualidade ? Pense na repercussão que isso teria, e como alguns destes intolerantes pensariam duas vezes antes de abrirem suas bocas para nos ofender.
    Mas também podemos, e penso que sempre que possível devemos tentar, realizar manifestações públicas – ações diretas – contra estabelecimentos que discriminem cidadãs ou cidadãos, por serem lésbicas, gays, travestis, transexuais e bissexuais. Isso tem impacto junto à opinião pública e pode servir para, junto com as pedidas processuais, advertir os homofóbicos que estamos atentos, e não aceitaremos qualquer forma de discriminação, seja por orientação sexual e/ou identidade de gênero, seja por que motivo for.

    REAJA À HOMOFOBIA !

  29. Não a PEC 122!

    Deus criou o homem e amulher para formar uma família! Homem com homem e mulher com mulher não é de Deus!Conheço um PASTOR que foi salvo pelo Senhor Jesus, se libertou dessa maldição, deixou de se envolver com homens, e hoje é um grande homem de Deus. Seu testemunho é vivo e emocionante. Assim eu espero q Deus toquem em vocês para que reflitam sobre essa posição tomada e que sigam e aceitem a Jesus, o único salvador.

    JESUS É O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA!
    🙂

    Paz do Senhor a tds!

  30. nao existe um terceiro xexo existe homem e mulher, mas cada um faca a sua escolha sem querer obrigar que eu aceite os seus erros ou que eu possa ser connivente com qualquer pecado. a homofobia existe nos homoxesuais, pecado nao tem nome tamanho ou grao.

    nao a pec122

  31. Soun contra a lei da homofobia pois fere os principios BIBLICO Deus criou o homem e a mulher eo que passar disso é abominação.

  32. Senhores Senadores lembre-se que os que aprovam como os q cometem o pecado são tão pecadores como os tais e naquele grande dia todos nós daremos contas dos nossos pecados. Jesus é o caminho a verdade e a vida e diz mais Conhecereis a verdade e ela vos libertará. Jesus é a verdade. Não a homofobia.

  33. Deus, na sabedoria, criou o amigo.o gay,o homossexual
    como alguém em quem se possa confiar,
    um amigo gay fiel que nos compreenda,
    e nos estenda sempre a mão para ajudar.
    Ele sentiu que precisaríamos de alguém,
    que nos confortasse quando estivéssemos tristes,
    cuja especial ternura e sorriso feliz,
    nos fizesse sentir que vale a pena viver.
    Alguém com quem dar um passeio,
    compartilhar um livro ou um segredo.
    Bater-papo ao telefone, mas que também,
    perceba nossa necessidade de estar algum momento a sós.
    Em resumo, Deus criou o amigo glbt para ser
    alguém que sempre nos alegramos em rever.
    Existem poucas coisas que Deus possa nos dar
    que signifiquem tanto como um bom amigo
    Obrigado por ser meu amigo, se precisar
    um dia, conte comigo!

  34. As vezes parece solidão, outras
    …parece pouca fé. Não tenho amigos de verdade, acho que nunca tive na realidade, a ingenuidade foi uma aramadilha. O que me sustenta é minha fé, é Deus que sempre me segura…..e vc????/ 03/07/09 Majeoli
    Solidão desejada é uma coisa imposta é outra
    Maria eu tb gosto muito de ficar sozinha mas de vez enquanto pq gosto de pensar na vida e em Jesus Cristo, tb alem do nome tenho em comum com vc o fato de nao ter muitos amigos mas tenho certeza que a partir de hoje tenho mais um vc.nossa mãe Maria
    somos a minoria e enquanto minoria sofremos muito mais, a discriminação, o preconceito e até mesmo a tal discussão religiosa do quanto vivemos em pecado…..acho que sofri tanto que as vezes me pego rindo de mim mesma, o que por um aspecto é bom. A solidão enquanto opção é saudável, tbém creio nisso, mas há horas que ela chega mansa e quando ela parece ser falta de fé, falta de amigos leais, falta de eco…
    Maria, esse sentimento é sinal de que você é uma pessoa decente. Geralmente se sente assim, quem foge do mundo facil gay. É dificil você ser decente. Por que existem poucos gays decentes. Isso explica tbm o por que de poucos amigos. Se você nao for ‘perva’ depravado(a), você não faz parte do meio. Estou com vc! e com a amiga de cime. vcs acabam de ganhar meu respeito! e se quiserem; um amigo tbm!
    O Verdadeiro Amigo
    A Paz do Senhor aos lbgt
    Gostaria aqui de apresentar para vcs um grande amigo do qual
    acredito que vcs tem conhecimento o nome Dele é Jesus Cristo,
    este sim não nos abandona e não nos deixa sozinho nunca.
    Então gostaria de convida-los se forem de São Paulo a nos visitar
    na Igreja Para Todos. E assim poderão ampliar seu leque de colegas e amigos.
    E o mais importante adorar. louvar e ouvir a Palavra do Senhor em liberdade.
    Fica aqui meu convite, se não forem de São Paulo, vamos entrar em oração para
    logo chegarmos com o Evangelho do Senhor em cada canto deste nosso Brasil.
    Tenham um otimo fim de semana.
    Fiquem na Paz do Senhor.
    abraço.
    Igreja Para Todos os homossexuais.
    Olá lbgts,
    só creio em um verdadeiro amigo, Jesus, e por esse , só por esse ,continuo a sorrir todos os dias. Minha jornada é longa, graças a minha formação em um lar cristão, eu aprendi sobre o amor de Deus, sobre sua misericórida e seu perdão, e tb aprendi que ele não faz distinção. Sinto falta de uma congregação em que eu possa exerecer a comunhão com irmãos iguais a mim. Conheço a Igreja, já os visitei uma vez com minha companheira, vi de perto o tamanho das bençãos.
    Mas minha natureza não é fonte de ódio sou gay e Deus me ama e não sou tão avivada, sou tímida, quieta e oro em nossa lingua muito mansa. Minha companheira que não veio de uma vivência evangélica ficou muito assustada com o o avivamento, acho que sabem bem das reações dos que não vieram ou nunca sentiram o fogo do espirito.
    Sei do fervor do espirito Santo, me comovo profundamentecom gays aceitos por deus mas não sei comunhar assim…..fui muito bem recebida na Igreja, senti o espirito santo nos louvores, mas compreendes que fui criada ao som dos hinários. a manifestação do espirito santo com tanto avivamento ainda é novo para mim….mas sei das benção da igreja e todo dia agradeço pela força que Deus coloca em cada atuante da igreja.
    Vou visita-los mais vezes, se Deus quiser
    A paz de Cristo 16/08/09 Sarinha
    Em nome de Jesus Minas esta precisando…
    A Paz…
    Irmão, ja fui evangelica . mas aqueles la dentro q se diziam espirituais queriam mandar mais na minha vida do q na propria vida deles. Não aguentei a preção e sai. Ainda mais q aqui em minas não vejo nenhuma igreja q nao deixa de abominar os homossexuais.
    As vezes sinto falta do poder, do fogo, do avivamento, das linguas, de louvar… mas so em pensar q ao pisar dentro de uma igreja evangelica os “irmãos” irão dar um de Deuses, me desanimo todinha.
    Então por favor venho fazer um grande apelo.
    Sou a favor dos lbgt, toda hora, minuto, como suportar a tudo e todos sem ELE…
    ELE deus sabe de nós sabe de todas as coisas…..e sonda nossos corações……
    Sem ELE……..não tem sentido

    1. Querida “Kal the man”:

      Deus não criou gays. Mas ama sim os gays e os compreende muito bem. Você é como um copo de vidro transparente diante Dele. Ele te conhece como você é, cada detalhe da sua vida, inclusive melhor até que você mesma! Ele não te lança fora de Sua presença e você sabe disso. Ele não é como nós seres humanos caídos e pecadores. Aliás, quando você ainda estava em gestação no útero de sua mãe, Ele já fazia anotações a seu respeito. Não é “ser” gay a questão. Mas sim “estar” gay; já que o homossexualismo é mero comportamento aprendido ou induzido. Talvez determinadas experiências por você vivenciadas a levaram a tal comportamento destrutivo. Mas você também sabe que enquanto há vida há esperança. Não sou gay e nunca fui e o fato de discordar de tal comportamento não me torna preconceituoso. Aliás, já trabalhei junto a homossexuais e, a despeito da minha opinião externada a tais pessoas; ela (opinião desfavorável a tal comportamento) não impediu de mantermos a nossa amizade respeitosa como colegas de trabalho que eramos.

      Assim,o problema com a PEC 122 é que além de criminalizar opinião; ela serve a propósitos mesquinhos dos petistas cujo ideal marxista impede a aceitação de uma entidade familiar tal como instituída por Deus; mesmo porque, o deus dessa gente é o Estado e fora dele outro deus não há, de modo que a disseminação da promiscuiade por essa gente visa minar os alicerces da família que deve ser substituída pelo Estado. Eis a questão. É por isso que até a pedofilia é bem aceita por essa gente.

      Mas não é só. O que os gays ainda não conseguiram enxergar é que os marxistas petistas e cia querem mesmo usá-los como seu curral eleitoral. Eis a questão. Tanto é prova disso o episódio envolvendo a famigerada Marta Suplicy e o prefeito Cassab de São Paulo. A Marta (a suposta defensora dos homossexuais) tentou rebaixar Cassab pelo suposto comportamento homossexual dele!

      Assim, “kal the man”, não se iluda com essa PEC e é verdade: o Senhor Jesus é sim o seu grande amigo, que te ama, que te compreende e deseja te ajudar a se livrar de tal comportamento destrutivo. Foge enquanto é tempo.

      Cordialmente,

      Milton.

  35. alguns CRISTÃOS PERSEGUEM E DESCRIMINAM ROQUEIROS,TATUADOS,ATEUS,SEM-RELIGIÃO,BUDISTAS,HINDUÍSTAS,JUDEUS,ADEPTOS DO CAMDONBLÉ/UNBANDA/MACUMBA/ESPIRITISMO,HOMOSSEXUAIS,BISSEXUAIS,TRAVESTIS/TRANSSEXUAIS,LESBICAS EM FIM PERSEGUEM TODOS A QUELES QUE NÃO COMPARTILHAM DE SUAS CRENÇAS OU NÃO SE ENQUADRAM NO SEU MODO DE VIDA “CRISTÃO” DE UM BASTA NESSE PRECONCEITO !!!!!e quando surge uma lei gay eles ficam furiosos.E paz aos cristãos que nos amam.

  36. descripción:
    CRIAR RESISTÊNCIA PUNK E ANTI-HOMOFOBICA …MAIS VALE UM PUNK LIVRE AMOROSO DO QUE ALGUMAS RAPOSAS reprimidas PRESAS.pODER É BOM.FUDER QUEM NÃO SE ASSUME, OU NÃO ASSUME NADA DO Q FAZ…

  37. Vamos lutar contra toda Repressão, homofobia,Lutar contra o machismo contra a hipocresia,contra a burguesia contra o sistema q quer nos foder,contra a Fome!
    E acabar com essas garotas que se dizem Punk´s e batem no peito dizendo eu SOU PUNK e não é Porra nehuma lutar contra essas modas!
    E nos Unir !!!! Sem tretas sem desavenças e com UNIÂO!
    O Verdadeiro punk tem que ser unido ! As verdadeiras Punk´s são unidas e não separadas e ajudam os lbgt.todas a aquelas pessoas que não se enquadram no modelo de vida cristão são descriminadas homossexuais,roqueiros.tatuados em fim até a roupa que a gente usa ! e so ve o caso daquela do vestido curto la da uniban ! aposto que tinha muitos ignorantes entre aquelas pessoas que chingaram aquela moça !!!!!

  38. independente de emo, gay. góticos, grunges enfim a porra q for… vivemos numa sociedade preconceituosa… o punk surgiu tb para contradizer tudo o q uma sociedade ignorânte pregava(prega) isso resumindo nada mais é do q aprender a viver em sociedade…respeitando os direitos dos outros… vivemos num mundo livre, porém liberdade tem consciência ^^

  39. Você leva em consideração que todo conceito é falível, mutável e que sofre influencia de uma cultura ou linha de pensamento de um grupo social? E que inevitavelmente um conceito pode fatalmente se tornar um pré-conceito?

    A partir de que prisma cognitivo você avalia o que é certo e errado?
    Como você interpreta a realidade, baseado em sua estrutura de entendimento? 12:30 (6 horas antes) Deus
    No passado fui muito perseguido por um colega , entre outros absurdos. Em suma, este meu colega me torturava porque sou gay e, segundo ele “levava uma vida porca”. Uma vez cheguei a chorar por conta disto. No resumo da história, no fim de tudo, o que ele queria mesmo era transar comigo. Um dia se chegou com um papo estranho e tentou esfregar o duro em mim. Sentei a mão, e depois disso cheguei à conclusão de que eu é que tenho que me amar, e, se Deus me fez assim é por que ele me ama do jeito que sou…

  40. amoos gays
    Alguns vivem, alguns morrem
    Todo mundo se pergunta por que estamos aqui
    Será que deveríamos mesmo tentar?
    Filósofos perdidos na noite
    Um farol à distância
    Você tem que virar
    E os vestígios mal piscam
    Na elocução som

    O cronômetro é moderno
    tenso é undergrwound
    Pretensões de um terreno mais elevado
    solo alto
    introspectivo paraíso encontrado

    Atomos de gay permanecem…

    Economia da natureza
    mortos e as sepulturas rasas
    as partículas de felicidade
    iludir-nos de seus nomes
    Uma reflexão psychosymbiotical
    nas ondas
    Eterno é o dia e noite
    Noite e dia
    Onipresença está a perder a fé

    Átomos de gay permanecem

    A oposição justo
    levou-nos a todos
    De um lado contra o outro
    se perde uma recuperada
    E se a reconciliação
    ilude-nos todos os dias
    Então, vamos sempre encontrar uma maneira
    Encontre uma maneira
    Não com um olhar religionious

    Átomos de gay permanecem

    Átomos de gay permanecem

  41. quando eu era pequeno aprendi que quem usava brinco e cabelo cumprido era mulher, ai derrepente começa aparecer uma pá de menino com brinco e cabelo cumprido.
    e eles diziam pra mim: pq vc não deixa seu cabelo crescer? pq vc não coloca um brinco na orelha,bobo? ai eu respondia: eu não, não sou mulher![quanto preconceito meu]
    cara, nós aprendemos desde pequeno a ser amor, a ser gente e ai começa aparecer um punhado de homossexual, que reação vc quer que nós tenhamos? Aceito pois os gays são amor…e se estão amando não estão matando.
    é lógico que vai ser uma reação a favor, uma reação de aprovação.

  42. Chegα de preconceitos,chorumelαs, chegα de dor no estômαgo, chegα de perder α cαbeçα por quem nαo vαle α penα. Chegα de αmαr quem nαo sαbe o que é αmor, de lutαr por quem não sαbe o que quer nα vidα. Chegα de pαssαdo, de pαssαgeiros, de entulhos. Faxina gerαl nα αlmα e no corαçαo. Tudo vαi ficαr esquecido entre αs gαvetαs dα sαudαde e dαs mαgoαs profundαs. Tudo dividido em cαixαs com αcesso restrito e limiiitαdo. Nαdα mαiis pelα metαde. Nαdα mαiiis como foiii outrorα. Voltei α ser a donα dα minhα própriα históriα. Joguei sodα cáustica e abri um burαco. Dei umα injeçαo de morte súbitα no meu αmor e outrα de sensαtez generαlizαdα nα minhα loucurα. Eu voltei α ser Feliiiz e estou riiindo muiito de tudo que aconteceu. Tô no comαndo outrα vez. RENOVADA vida para gays.

  43. este mundo de preconceitotanta tem mentira, tanta coisa errada, tanta desigualdade, tanta tolice, tanta gente besta, é aí que a gente pára e pensa: será que não tem mais jeito? mas pode saber: TUDO tem jeito, e só querer abrir os olhos e acordar pra uma vida nova, pra um mundo melhor com homossexuais respeitados.

  44. homossexual é uma pessoa querida, na qual podemos pensar em voz alta.
    É um anjo que nos abriga em suas asas doces e aconchegantes,
    é a melhor coisa que Deus nos deu.

    Difícil poder definir aquilo que chamamos de amigo.
    Amigo é mente aberta, coração pulsante, costas largas.
    É aquele que ouve com olhar seu e dele em sintonia telepática
    mesmo quando estes mesmos olhos estão amplificando tristeza exterior faz piada amenizando seus problemas que a perfeição
    é utopia.

    É aquele que te diz:
    Eu te amo sem medo de má interpretação
    e sabe que viver é ter historia pra contar.

    É quem entende seus disfarces medos angústia
    que fica enfurecido por enxergar seus erros sem motivo aparente.

    Bom se eu fosse escrever tudo aquilo que um gay de verdade
    pode ser não caberia nesta folha simplifiquei uma mensagem
    no fundo do coração tentando mostras o quanto somos amigos
    e o quanto podemos ser ainda mais.

  45. De todo o meu coração desejo aos gays no dia de hoje muitas alegrias.
    Que seja um dia especial e que você consiga estar perto das pessoas que mais ama para celebrar o quão bom é viver!
    Desejo ainda que Deus nos permita tê-lo em nossas vidas por muito tempo, iluminando com sua aura nossos caminhos e nos fazendo crer mais e mais na amizade.
    Desejo por fim que os gays sejam muito felizes e como sempre ( mesmo distante ) coloco meu ombro e meus ouvidos à disposição para que em momentos não tão felizes da vida – pois a vida é assim – você possa contar com eles.

  46. não sou a favor da liberação da lei que oficializa união entre gaysé opressão de um espírito maligno Deus criou o homem e a mulher para juntos formarem uma família,como poderão pessoas do mesmo sexxo gerar filhos não sejam enganados pelo maligno Jesus a verdade que liberta.

    Deus ama o pecador mas não o pecado

  47. Companheiro Kaltheman,
    pelo seu empenho em compartilhar seus afetos-dizeres por este bloguinho, reproduzimos alguns poemas e opiniões, e também uma colagem, seus na coluna O Mundo é Gay deste bloguinho…
    Abraços afinados!

  48. os preconceitos que cerceiam a tolerância
    Para Foucault e Deleuze, a subserviência aos modelos preestabelecidos pelos próprios homossexuais são obstáculos para a pluralidade

    Nesta época de luta pelos direitos dos homossexuais, em que tantas conquistas se fazem notar, a ponto dos preconceitos serem considerados antiquados e muitos atestarem uma evolução no que tange ao olhar da sociedade em relação aos gays, cabe uma pergunta delicada: vencidos os embates externos (contra preconceituosos, homofóbicos e dogmáticos), o que dizer então dos inimigos internos? A luta dos homossexuais seria apenas contra entidades “lá fora”? Conquistaram os militantes uma assim dita “identidade gay”? Muitas opiniões sobre este assunto são possíveis. E o que nos diriam estes que são dois dos mais importantes filósofos franceses da pós-modernidade: Michel Foucault e Gilles Deleuze?

    A partir das perspectivas assimiladas ao longo da obra foucaultianodeleuziana, podemos também dizer, conforme explica o antropólogo Felipe Areda, que ninguém “nasce” homem, mas sim que todos nos tornamos homens, numa busca constante. A dita virilidade masculina representa o investimento numa rede relacional: busca- se o reconhecimento da masculinidade. Esta virilidade é uma ética, uma constante inquietude de si. Ao contrário do que pregam alguns militantes gays, o sexo não nasce feito. Nem mesmo “nasce-se gay”, na medida em que a singularidade homossexual, como toda e qualquer singularidade humana, demanda contínua construção, desconstrução, reconstrução. Não se trata, portanto, de lutar por uma identidade no sentido de “ser idêntico a”, ou seja, “seguir um modelo pré-estabelecido”. O pensamento de Foucault e Deleuze opõe-se à idéia de seguir modelos, sejam eles quais forem, o que termina conduzindo a uma dolorosa liberdade: a liberdade de um contínuo criar, de responsabilizar-se por si mesmo, fazendo de si uma obra de arte singular e única. Um total contraponto à idéia de seguir um modelo pré-estabelecido que tenha a pretensão de estabelecer uma “identidade”. Tal perspectiva é ao mesmo tempo libertária e angustiante.

    É importante salientar que, ainda conforme Areda, se o sexo é definido como uma divisão entre gêneros, todo sexo e toda sexualidade é heterossexual, no sentido de que “hetero” significa “diferente“, ou seja, todo relacionamento sexual entabulado com um ser diferente de mim, seja ele um homem ou uma mulher, será hetero, pois o sujeito se faz homem na medida em que faz do outro um… outro. Essa divisão, existente no imaginário masculino, está longe de ser igualitária, ao contrário, é hierarquizada. Através do ato sexual, os sujeitos são inscritos numa hierarquia, territórios são demarcados, corpos e sujeitos são heterossexualizados: eu sou o homem, você é a mulher.

    A partir das descrições históricas do pensador Paul Veyne, ao relatar os hábitos sexuais dos antigos gregos, podemos afirmar que até mesmo as ditas relações “homo” da antiguidade estavam longe de serem “relações entre iguais”. Elas eram heterossexuais, na medida em que o homem mais velho, o erastes, exercia sobre o efebo impúbere, ou eromenos, um poder, e uma hierarquia era estabelecida. Uma relação “homo”, na antiguidade ou na modernidade, num sentido semântico do termo, envolveria dois sujeitos que fossem considerados iguais (sejam eles machos ou fêmeas), sem hierarquias de subjugador e subjugado. Seria isso possível, ou mesmo real, no chamado “mundo gay”? Para responder a esta pergunta, julgamos necessário antes navegar em outros oceanos reflexivos.

    Ao que parece, segundo Areda, o discurso heteronormativo, esta assim chamada “matriz hegemônica de inteligibilidade”, tem o poder de penetrar até mesmo o universo gay, atravessando todas as relações e adequando tudo o que encontra a uma lógica hegemônica. A mesma misoginia que cria o discurso homofóbico sobrevive nessa divisão tão solidamente estruturada por discursos culturais dentro dos guetos gays, criando até nos relacionamentos mais íntimos barreiras identitárias poderosíssimas. A intolerância, pretensamente apontada pelos militantes gays no que eles chamam de “totalitarismo heteronormativo”, parece ser uma pálida sombra se comparada à intolerância que subjaz nos próprios guetos homossexuais sob os mais diversos aspectos que serão expostos ao longo deste artigo: o ódio aos travestis, o desprezo aos sexualmente passivos, o horror aos afeminados, como se “ser gay” significasse necessariamente seguir um modelo identitário pré-formado: ser homossexual é possível, contanto que o sujeito siga a cartilha. E a cartilha dita que todos sejam másculos e se comportem bem. Não se trata, obviamente, de uma cartilha escrita, mas fica patente no discurso presente tanto entre heterossexuais quanto homossexuais, em que se vaticina que “ser gay é possível, contanto que o cara seja macho e se dê ao respeito”.

    Vale a pena questionar: existe, de fato, um exemplo de tolerância? Houve tal exemplo em algum momento da história humana que poderia ser seguido como um modelo? E o que Foucault, Deleuze e Veyne pensam a respeito de seguir modelos históricos passados, conforme propõem alguns militantes?

    É assaz comum, no que concerne aos argumentos de alguns militantes gays acerca da homossexualidade, referir-se – ingenuamente – à antiga Grécia como um exemplo espetacular de civilização tolerante para com a prática homoerótica, considerando a civilização judaico-cristã como atrasada em relação à realidade homossexual. A partir desta comparação histórica, evoca-se a idéia de um relativismo moral e questionam-se as bases do preconceito moderno. Todavia, muitos militantes parecem ignorar que, no que tange à antiga Grécia, temos interdições tão claras quanto as interdições atuais, muito embora sejam interdições diferentes. Conforme discorre Foucault ao longo da sua obra, não é interessante tomarmos outra época como um modelo, pois não há um valor exemplar em um período que não seja o nosso próprio. Deleuze valida esta afirmação, ao sustentar em sua obra Conversações que Foucault detestava retornos: falamos do que vivemos. A história não diz o que somos, não estabelece a nossa identidade, diz apenas aquilo que estamos em vias de diferir. Paul Veyne emite um pensamento similar em O Último Foucault e sua Moral, ao dizer que o que se opõe ao tempo, assim como à eternidade, é a nossa atualidade.

    Fazer uma “arqueologia gay”, portanto, não é necessariamente voltar- se para o passado. Deleuze aponta em Conversações para uma arqueologia do presente, em que tomamos as coisas para extrair delas as suas visibilidades. Não se trata, em absoluto, de procurar um modelo dito ideal que sirva como norma moral para os gays, mas – retomando Nietzsche – descobrir como a operação artística da vontade de potência permite a invenção de novas possibilidades de vida: um “ser gay” que se constrói, se inventa, um “ser” enquanto verbo atuante em nosso tempo, jamais como substantivo-modelo de uma época passada.

    Deste modo, respondemos desde já a pergunta explicitada nos parágrafos anteriores: não, segundo Foucault, Deleuze e Veyne, não se trata de seguir um modelo, muito menos um modelo grego antigo, mas de criar um modo de vida gay que admita a pluralidade, um modo que se recrie continuamente, de forma integra e autocrítica, buscando maneiras de sabotar qualquer espécie de normatividade. Esta é uma proposta mais revolucionária do que talvez imaginemos, quando falamos em “respeito às diferenças”.

    Deste modo, respondemos desde já a pergunta explicitada nos parágrafos anteriores: não, segundo Foucault, Deleuze e Veyne, não se trata de seguir um modelo, muito menos um modelo grego antigo, mas de criar um modo de vida gay que admita a pluralidade, um modo que se recrie continuamente, de forma integra e autocrítica, buscando maneiras de sabotar qualquer espécie de normatividade. Esta é uma proposta mais revolucionária do que talvez imaginemos, quando falamos em “respeito às diferenças”.

    Vale ressaltar que Foucault jamais apresenta uma resposta, uma solução, nem aponta um caminho que possa ser considerado como “certo” para as problemáticas gays. Esta resposta cada um deve encontrar por si mesmo, num ativismo pessoal, numa militância do sujeito. Até mesmo porque, de acordo com o olhar foucaultiano, não existe escolha certa, e sim uma escolha entre perigos, onde devemos buscar dos males o menor. Sim, Foucault é pessimista em sua visão, mas jamais apático. Seu pessimismo deriva da consciência de que toda escolha é perigosa, e acarreta em efeitos colaterais inevitáveis. Não existe “caminho melhor” e “caminho pior”, para Foucault, e sim caminhos com problemas diferentes, com perigos diferentes, em que o perigo principal deve ser identificado.

    É curioso observar que as críticas de muitos homossexuais (alguns destes críticos inclusive militantes da causa gay) acerca da afeminação de gays mostrados na TV não é muito diferente das críticas que um homem afeminado sofreria na antiga Grécia. É extremamente comum, nos tempos modernos, a afirmação “eu sou gay, mas não sou afeminado e detesto afeminados”. Além disso, saliente- se o fato de que o termo pejorativo “bicha passiva” é amplamente utilizado por muitos homossexuais para se referir a outros com sinal de evidente desprezo. Nada disso é muito novo, e quem enxerga a antiga Grécia como um paraíso da diversidade gay, se equivoca profundamente. De acordo com Paul Veyne, em sua obra “A Homossexualidade em Roma”, um homófilo pas sivo (diat ithemenos) era alvo de desprezo e de rejeição, sobretudo por parte do exército. Veyne conta que certa feita um homossexual passivo foi poupado de ser decapitado, porque o imperador não queria que a lâmina do gládio do carrasco fosse conspurcada por tão “aviltante criatura” (sic). A afeminação masculina era vista pelos antigos greco-romanos como algo desprezível. De modo análogo, muito embora por razões diferentes, muitos homossexuais modernos parecem sofrer da mesma aversão à passividade sexual masculina.

    Fica evidente que existe um modelo normativo entre os próprios homossexuais, modelo que se pauta em regras e em “modos de ser” que, longe de criar sujeitos criativos, cria aquilo que Foucault chama de “clones”, ao se referir aos homens de aparência similar nas paradas gays (na época de Foucault, homens com fartos bigodes e óculos Ray-ban; modernamente, homens anabolizados e preferencialmente depilados). Na entrevista “A Amizade como Modo de Vida” concedida ao jornal Gai Pied em abril de 1981, Foucault usa o termo “clones bigodudos”, para se referir a estes homens “todos iguais”. Estes “clones”, ao contrário de criarem a obra de arte de suas próprias existências, compraram o modelo pré-existente, pré-fabricado, uma identidade de plástico, uma identidade que busca o idêntico: o modelo, o molde, o “dever ser”.

    Os movimentos de militância gay demonstraram por vezes diversas uma inclinação totalitária. Ao invés de proteger os homossexuais, lutando pelos justos direitos civis, tais movimentos algumas vezes pareceram mais empenhados e ocupados em destruir radicalmente tudo o que, na sociedade, na cultura ou em sujeitos particulares, explicite discordância. A ideologia torna-se uma arma policial delirante que tenta proibir toda divergência de opinião, toda repulsa espontânea, todo pensamento que a desagrade e até mesmo as piadas, que fazem sentido dentro do contexto de uma comédia, peça ou novela. O que não faltam são ameaças de processo contra autores que, desejando fazer comédia, criaram um personagem caricato, cômico e gay.

    Ao eliminar toda diferença, o que sobra? Uma montanha intransponível de concordância e subserviência à cartilha politicamente correta (e politicamente tirânica). As próprias atitudes públicas de alguns dos ditos “representantes dos gays” evidenciam isso. Tais representantes, munidos da mais intensa disposição de perseguir qualquer opinião que contrarie a deles, dizem falar em nome dos gays, mas o que isso significa? Não podemos nos furtar a citar o que Deleuze, em Conversações (p.110) chama de “indignidade de falar pelos outros”. Transportando esta fala para o presente assunto, ousamos perguntar: como é possível que uma militância que critica a existência de personagens gays afeminados em novelas e espetáculos se diga porta-voz de todos os gays? Definitivamente, não. Estes, no máximo, falam em nome de um tipo específico de gay – especificamente o gay que não fere as suscetibilidades dos heterossexuais, comportando-se de um modo domesticado, padronizado, que permita que os homossexuais sejam vistos “como pessoas de respeito” – uma priorização à moral, mas não uma ética. Nada além de uma subserviência à normatividade já vigente.

    A dignidade de não falar pelos outros deveria ser parte do intelectual, para Deleuze, que denuncia em Conversações (p.110): sempre que alguém diz “ninguém pode negar”, “todo mundo há de reconhecer que”, eis uma mentira ou um slogan. A proposta deleuziana-foucaultiana é a de que cada um fale em seu próprio nome. Não devemos falar em termos de valores universais, mas em nome de nossa própria competência e situação.Se o grupo não é multivocal, onde está a ética? Guatarri, com quem Deleuze trabalhou por diversas vezes, enfatizaria a idéia de “transversalidade”, por oposição aos grupos hierarquizados onde temos um que fala em nome de todos os outros.

    Vale salientar também a apropriação, por parte de algumas militâncias gays, de termos que são usados com o evidente intuito de exercer poder, de subjugar. “Homofobia” é um bom exemplo moderno. Segundo Olavo de Carvalho, este termo foi introduzido pelo psiquiatra George Weinberg, no livro “Society and the Healthy Homosexual” (New York, St, Martin’s Press, 1972) para designar o complexo emocional que, no seu entender, seria a causa da violência criminosa contra homossexuais. Observamos, contudo, uma apropriação deste termo por algumas militâncias gays, que passaram a acusar de “homofobia” uma série de fatos, atos e discursos de uma maneira exagerada que nos faz pensar: não seria, na verdade, uma forma de demonstrar poder? Uma forma clara de tentar intimidar todos aqueles que pensam diferente destes militantes? À luz do que estudamos sobre relações de poder em Foucault e Deleuze, ousamos dizer que sim.

    Ainda segundo Carvalho, no livro “A History of Homophobia“, o ensaísta Rictor Norton, um apologista da homossexualidade, é bem franco sob esse aspecto: “Com muita freqüência, a palavra ‘homofobia’ é apenas uma metáfora política usada para punir.”. Sob este ponto de vista, o exagero é evidenciado quando os militantes acusam de “homofobia” toda e qualquer pessoa que não pregue a cartilha da militância e repita, tal qual foi determinado pelo alto comando de algumas ONGs e instituições, o que pode e o que não pode ser expresso como opinião a respeito da vida homossexual.

    Usar o mesmo termo (“homofobia”) para definir um skinhead espancador de homossexuais e uma pessoa que diz ser contra o casamento gay por motivos religiosos parece ser uma forma injusta e cruel de nivelamento, e mais que isso: uma tentativa explícita de censurar a opinião das pessoas. De onde nos permitimos pensar: este tipo de militância gay luta efetivamente pelos direitos dos homossexuais, ou não passa de uma forma de exercer poder e ditar regras? Não seria esta forma de militância gay apenas mais uma fórmula ideológica e projeto de poder? Para Veyne, por exemplo, segundo Yolanda Gloria Gamboa Muñoz em Escolher a Montanha (p.41) a ideologia é um estilo nobre, porém vago, que idealiza as práticas, dissimulando os contornos das práticas reais: o que se faz e o que se diz. Conforme cita Muñoz a respeito de Veyne: “Por isso, em certo momento, ele poderá afirmar que ‘a ideologia não existe’” (Escolher a Montanha, pg.41, 2005)

    Não obstante as declaradas intenções libertadoras da militância gay, um olhar mais apurado não deixa escapar uma ideologia normatizadora que norteia tal militância. Um militante da causa gay certa feita comentou, em entrevista, o seguinte:

    “(…) que morreu de vergonha quando a família de seu namorado assistia à novela e “apareceram as bichas velhas, desmunhecando, fazendo tiranias e baixarias”. “Essa é a imagem que o povo tem da gente, e lutamos para que nos vejam como somos, homens que gostam de homens e não malucas desvairadas caricatas”. Acusado de “fundamentalista”, por querer processar o autor de televisão, X responde perguntando: “Defender nossa dignidade é fundamentalismo GLBT?”

    Este discurso deixa claro, de forma deveras impressionante, que a fala militante neste caso prevê regras de conduta, modelos de comportamento e normatizações para o “ser homossexual” (“ser” enquanto verbo e não substantivo, vale salientar). Fica evidente, na fala deste dito representante da causa gay, que um sujeito pode ser homossexual, contanto que não seja uma “maluca desvairada e caricata” (leia-se: afeminado) e, ao que parece, ser “velho” é também um demérito, e não uma condição natural e inevitável da biologia. Tal discurso não dá espaço para a invenção da homossexualidade a partir de um ativismo constante e auto-questionador, conforme nos propõe Foucault. Existe, para este tipo de militante, uma forma ideal de ser homossexual, uma forma que, justamente por ser idealizada, exclui terminantemente uma realidade: efetivamente, existem homens homossexuais afeminados, quer gostem disso ou não os gays descolados, modernos e másculos. É importante salientar que a vergonha que o sujeito disse sentir está atrelada ao olhar dos heterossexuais sobre a cena: ele não sente vergonha por ver a cena, ele sente vergonha quando a família (heterossexual) a assiste, ou seja, ainda necessita da aprovação do status quo heterossexual do qual ele diz ser liberto. “Lutar para que nos vejam como somos” só faz sentido se esta luta incluir, conforme salienta Foucault, a diversidade, e também a liberdade criativa para que nos inventemos continuamente, criando novas formas de relações e de “ser”. Qualquer tentativa de uniformização não passa de trocar um modelo de regras por outro: no caso, troca-se o modelo normativo heterossexual por um modelo normativo homossexual completamente infectado pela misoginia e pelo machismo. E o que significaria “nos ver como somos?”, afinal de contas a pluralidade prevê incontáveis “jeitos de ser”, alguns inclusive que nem foram inventados ainda. O discurso militante subentende que existe um “como somos” universalmente válido para os gays do norte, do sul, do leste e do oeste.

    Em sua entrevista intitulada “De l’amitié comme mode de vie”, concedida a R. de Ceccaty, J. Danet e J. le Bitoux para o jornal “Gai Pied” em abril de 1981, Foucault chama a atenção para o problema da construção da identidade homossexual. O problema, segundo Foucault, não reside no questionamento “quem sou eu?” (autoconhecimento), e sim na seguinte questão: quais relações podem ser estabelecidas, inventadas, multiplicadas, moduladas através da homossexualidade? Foucault, aqui, enfatiza a importância do “cuidar de si” sobre o mero “autoconhecimento”. Que se destaque aqui a importância do termo “invenção”, ponto chave para o entendimento do pensamento foucaultiano. A prioridade não está numa descoberta de “quem sou”, e sim uma responsabilidade ética de se inventar, se reinventar, como num devir-gay. A vida como uma obra de arte.

    Deleuze, no que diz respeito à concepção da vida como uma obra de arte, salienta que a constituição dos estilos de vida (podemos aqui nos referir aos estilos de vida gay) não é somente estética, é também uma ética, por oposição à moral. Deleuze detalha esta diferença em sua entrevista a Didier Eribon:
    “(…) A diferença é esta: a moral se apresenta como um conjunto de regras coercitivas de um tipo especial, que consiste em julgar ações e intenções referindo- as a valores transcendentes (é certo, é errado…); a ética é um conjunto de regras facultativas que avaliam o que fazemos, o que dizemos, em função dos modos de existência que isso implica.” (Deleuze, “A Vida como Obra de Arte”, entrevista concedida ao jornal Le Nouvel Observateur, em agosto de 1986).

    A partir desta diferenciação entre ética e moral, não nos passa despercebido, diante da ação e idéias dos gays, que alguns deles – tanto quanto qualquer heterossexual – parecem estabelecer uma moral, um manual de regras de como os gays devem ser e se portar, de que é certo ser um gay deste modo, mas é errado ser de outro modo (ser afeminado; ser espalhafatoso; ser velho). Isso fica evidente nos preconceitos existentes dentro dos próprios guetos, e na repulsa a manifestações estéticas femininas dentro dos meios e paradas gays hipermasculinizadas. O discurso militante enfatiza continuamente “que os gays devem ser vistos como pessoas de respeito”. Mas o que isso significa? Qual é a “vontade” de verdade suposta por um discurso que se impõe como “verdadeiro” e que esse discurso só pode ocultar? Podemos ir além: não seriam os guetos gays verdadeiros internatos, meios de confinamento? Os próprios homossexuais parecem “se internar”, na medida em que consideram, para usar um termo coloquial, “uma queimação de filme” a demonstração de afeto homoerótico fora de lugares que não sejam considerados “apropriados”.

    MILITÂNCIA GAY VERSUS MILITÂNCIA DA DIVERSIDADE

    Uma cultura homossexual, para Foucault, deveria possibilitar instrumentos para a polimorfia, a variabilidade, a diversidade, evitando uniformizações e estabelecimento de regras de conduta. A simples idéia de “programas” e “proposições” estabelecidas por uma autoridade institucional, ainda que gay, feita para gays, é um perigo, pois na medida em que um programa se apresenta, ele estabelece uma lei, um mandamento, e isso bloqueia o fluxo da livre invenção. Neste sentido, Foucault é categórico ao afirmar que qualquer programa deve ser vazio (Da Amizade Como Modo de Vida, jornal Gai Pied, p.38-39). Na medida em que cavamos a história, descobrimos como as coisas foram historicamente contingentes, mas não necessárias. Qualquer coisa que seja estabelecida como uma necessidade homossexual deve ser peremptoriamente negada, pois o que existe (ou o que já existiu) está longe, muito longe de preencher todos os espaços possíveis.

    Segundo a professora Beatriz Preciato, “O corpo da multidão gay aparece no centro do que poderíamos chamar, retomando uma expressão de Gilles Deleuze, de um trabalho de “desterritorialização” da heterossexualidade. Uma desterritorialização que afeta não apenas o espaço urbano, como também o espaço corporal. Este processo de “desterritorialização” do corpo implica uma resistência ao processo de chegar a ser “normal”. O fato de que haja tecnologias precisas de produção de corpos “normais” ou de normalização dos gêneros não acarreta um determinismo ou um fracasso da possibilidade de uma ação política. Uma vez que os gays trazem consigo como resíduo a história das tecnologias de normalização dos corpos, eles também detêm a possibilidade de intervir nos dispositivos biotecnológicos de produção de subjetividade sexual”.

    Deste modo, segundo Preciato, identificações de teor pejorativo como “sapatonas” ou “bichas” se converteram em lugares de produção de identidades de imensa importância, que resistem à normatização, que desafiam o poder totalitário, das chamadas constantes à “universalização do modo de ser gay”, quer os gays normatizados gostem disso ou não.

    Ainda conforme Preciato, “Influenciadas pela crítica do período pós-colonial, as teorias gays dos anos 90 têm utilizado os enormes recursos políticos das identificações de “gueto”, identificações que iriam ter um novo valor político, dado que pela primeira vez os sujeitos do enunciado eram as próprias “sapatonas”, as “bichas de jeito tresloucado”, os negros e os transgêneros. Ainda que muitos insistam numa “guetização” normatizadora, os movimentos e as teorias gays respondem com estratégias ao mesmo tempo hiperidentitárias e pós-identitárias., estes movimentos criativos fazem um uso radical dos recursos políticos da produção performativa das identidades desviadas.”

    Destacamos, por fim, a força de alguns poucos lugares específicos, como a boate “A Lôca” de São Paulo, um espaço com decoração inspirada em deuses e seres mitológicos somados a ícones do universo sadomasoquista. “A Lôca” é referência underground em São Paulo e recebe um público que ilustra a diversidade e o respeito às diferenças identitárias, sem preconceitos: ao lado de homens gays musculosos, dançam travestis, “bichas velhas”, bissexuais, lesbian chics, “sapatonas”, góticos, e até mesmo heterossexuais sem preconceito. Internacionalmente, Beatriz Preciato cita a força de movimentos específicos como as Radical Fairies, grupo que representa as “bichas loucas” nos EUA, deriva de sua capacidade para se utilizar de suas posições de sujeitos “abomináveis” (esses “maus sujeitos”, segundo os próprios gays normatizados) para fazer disso lugares de resistência ao ponto de vista “universal”, à história branca, colonial e machista do ser humano ocidental. E é deste machismo colonialista que os gays precisam se livrar – não apenas fora de si, mas principalmente dentro de si mesmos.

    R

  49. Deleuze, no que diz respeito à concepção da vida como uma obra de arte, salienta que a constituição dos estilos de vida (podemos aqui nos referir aos estilos de vida gay) não é somente estética, é também uma ética, por oposição à moral. Deleuze detalha esta diferença em sua entrevista a Didier Eribon:
    “(…) A diferença é esta: a moral se apresenta como um conjunto de regras coercitivas de um tipo especial, que consiste em julgar ações e intenções referindo- as a valores transcendentes (é certo, é errado…); a ética é um conjunto de regras facultativas que avaliam o que fazemos, o que dizemos, em função dos modos de existência que isso implica.” (Deleuze, “A Vida como Obra de Arte”, entrevista con

  50. “O corpo da multidão gay aparece no centro do que poderíamos chamar, retomando uma expressão de Gilles Deleuze, de um trabalho de “desterritorialização” da heterossexualidade. Uma desterritorialização que afeta não apenas o espaço urbano, como também o espaço corporal. Este processo de “desterritorialização” do corpo implica uma resistência ao processo de chegar a ser “normal”. O fato de que haja tecnologias precisas de produção de corpos “normais” ou de normalização dos gêneros não acarreta um determinismo ou um fracasso da possibilidade de uma ação política. Uma vez que os gays trazem consigo como resíduo a história das tecnologias de normalização dos corpos, eles também detêm a possibilidade de intervir nos dispositivos biotecnológicos de produção de subjetividade sexual”.

  51. conforme salienta Foucault, a diversidade, e também a liberdade criativa para que nos inventemos continuamente, criando novas formas de relações e de “ser”. Qualquer tentativa de uniformização não passa de trocar um modelo de regras por outro: no caso, troca-se o modelo normativo heterossexual por um modelo normativo homossexual completamente infectado pela misoginia e pelo machismo. E o que significaria “nos ver como somos?”, afinal de contas a pluralidade prevê incontáveis “jeitos de ser”, alguns inclusive que nem foram inventados ainda. O discurso militante subentende que existe um “como somos” universalmente válido para os gays do norte, do sul, do leste e do oeste.

  52. o ser humano deve buscar a máxima afirmação de si mesmo…sendo gay se quiser. Deus nos guarde de toda violência…acusações homofóbicas.Que Deus de infinita luz amorize e guarde todos nós gays do veneno religioso ou leigo.SOMOS LIVRES E PONTO.

  53. Como eu poderia saber que O ÓDIO ia queimar?
    E me desculpe… Pela Lua,
    Como eu poderia saber que você desaprovaria?
    Eu nunca vou cometer o mesmo erro DO PRECONCEITO
    Da próxima vez, eu criarei um universo, eu juro que vou Fazer nós nos comunicarmos AMOROSAMENTE COM OS GAYS
    Mas enquanto isso… Melhor estar morto
    O sorriso nos labios; E pirando minha cabeça
    Melhor estar CARENTE, Yeah! Melhor estar assim,
    Pegue a cruz e, perceba q nada é assim
    Me desculpe… Pelo mundo,PELO ÓDIO
    Como eu poderia saber que ele seria tão mal?
    E eu nunca vou cometer o mesmo erro DE DESRESPEITO;
    QUE DEUS AME OS GAYS.

  54. Muitas vezes os propósitos de Deus não são do jeito que esperamos…PORQUE dEUS AMO OS GAYS.
    Nos permite chorar e até ter que enfrentar pelejas.
    Precisamos entender que Deus prova os vasos preciosos para vencer…VC CONSEGUE VENCER O PRECONCEITO .
    Tu pensas que Ele não te ama?
    Que te abandonou?
    Pois saiba que Ele te ama e tem propósitos grandes contigo na terra!
    Deus permite ogay ,o choro, mas depois ama;
    A dor preconceituosa e depois cura;
    As provas, mas a recompensa chega ao final;
    A queda, mas depois levanta;
    A seca e depois manda a chuva como bênçãos;
    A luta e depois entrega as vitórias em nossas mãos.
    A tua vida, família, futuro, finanças, história,
    Tudo está no controle de Deus e Ele já determinou a tua VITÓRIA.
    Ele te guarda na palma de Suas mãos e cada promessa se CUMPRIRÁ.
    Ele não esqueceu de você.
    Quando Ele opera ninguém pode impedir.
    Tome posse, porque grande vai ser a tua vitória
    Persevere em meio às lutas e veras a glória de Deus em sua vida!!! vivca a homossexualidade aceita e amada por DEUS>

    1. Deus ama sim os homossexuais, mas repudia o homossexualismo, aliás, a Bíblia é bem clara sobre o assunto:

      “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é”. (Levítico 18:22 ACF)

      “Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus”. (1 Coríntios 6:9-10 NVI)

      “Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.” Romanos 1:26-27

      Cordialmente,
      Milton.

      1. Historicamente , a biblia foi modificada 14 vezes. Em uma das modificações, foram retirados livros e acrescentados outros, por um Papa católico, no séc XIII. O Sr. realmente acredita que citar um documento que não possui A MENOR CREDIBILIDADE irá, por algum momento, contrabalancear o senso de igualdade e liberdade?

        Sinto muito, mas acredito que o Sr. tem sérios problemas com a fonte que provém seus argumentos.

        Passar bem.

  55. Muita gente critica
    uma amizade gay, mas
    eu sei que mesmo virtualmente,
    poderá haver uma amizade
    pura e sincera com lbgts, acho que se
    todas as pessoas pensassem
    positivamente, o nosso mundo
    virtual e real seriam poderiam
    ter uma amizade tão linda
    quanto a nossa.

    Foi muito bom conhecer os gays
    Hoje sou mais feliz, se você
    Demora a me escrever, a
    Saudade toma conta de mim,
    E tudo parece uma eternidade.

  56. Senhores senadores ao votarem a pec 122/06,pense no que diriam seus pais,avos,a tradição,a religião,a biblia,Deus,sua consciencia e o bom senso,lembrem-se a familia é a celula mater, mãe,e maior da sociedade não pode ser dilacerada,ultrajada, violetada.Os senhores foram eleito para representar a maioria dos povo brasileiros,se forem feito um plebicito com certeza o resultado esmagador seria contrario a esta lei, portanto senhores senadores o povo esta de olho nos senhores.Um abraço.

  57. Espiridião,
    o Mundo é Gay, por isso nossa mãe também, nosso pai, senadores, deputados, amigos e inimigos, e nós também… E o Cosmo é Gay, portanto também Deus, que assim o fez.
    Assim, senhores senadores, concordamos com Espiridião, “os senhores foram eleito para representar a maioria dos povo brasileiros”. E se o Mundo é Gay…
    Abraços afinados!

  58. Se o mundo fosse gay a raça humana seria extinta em muito pouco tempo. É que homem não engravida de outro homem e mulher não procria de outra mulher. Só por este fato simples da ordem natural das coisas já arremete contra bizarro comportamento homossexual. Daí já se vê que o Criador não pode ser gay.
    Cordialmente, Milton.

  59. Deus,usando nossa consciencia e o bom senso,lembremos da familia na qual os gays são parte…e também fazem família com seus casais homossexuais…a Bíblia é o novo testamento [pois o velho testamento , como diz é velho e já era]que nem se quer é condenante dos gays e mesmo que condenasse …nossa vida é mais que um livro…homossexuais cristãos liberem tudo e amem sempre sem se importar com os repressores…egos possesssivos.

  60. Senhores senadores ao votarem a pec 122/06,pense no que diriam seus pais,avos,a tradição,a religião,a biblia,Deus,sua consciencia e o bom senso,lembrem-se que os gays amam e lutam por amar e são a familia que é a rainha da diversidade, as mãe, que sãoe maiores respeitadoras dos gays em sociedade e não podem ser os gays dilacerados com o preconceito,ultrajados com o maxismo, violentados pela igonorância [os homossexuais são a família].Os senhores foram eleito para representar a maioria e as minorias do povo. povo brasileiros gay também, a esta lei gay pode ser aceita.

  61. Todo cidadão de bem, independente de sua religião – caso tenha ou não, mas conciente de seus direitos constitucionais e que tenha zelo pela familia ( base fundamental de toda sociedade ), que seja contrário aos crimes de pedofilia, deve trabalhar CONTRA este projeto de lei esdrúxulo, que pretende destruir a família e os direitos da maioria ( mais de 99% ) da população brasileira. É uma aberração, um projeto de causar inveja aos mais autoritários e terríveis didatores – uma idéia que talvez até o próprio Hitler nunca tivesse coragem de aplicar ao seu povo.
    Peçamos a Deus que abençoe este país, aos nossos políticos de bem e a todos nós, para que este tipo de ataque criminoso NÃO seja legalizado e venha a nos destruir e aos nossos filhos.

    1. Só podia ser o Toppo Giggio,
      que, a partir da mística prosopopéica, nos tempos que a Globotárica se locupletou com a ditadura, introduzia as crianças na moralidade que torna as crianças sérias, velhas, de cabelos brancos, como diria Freud.
      Aprovar a PLC, ao contrário de destruir a família e ir contra o direito da maioria, expande a família e assegura o direito de todos, já que o Mundo é Gay, sem porcentagem…
      Abrços afinados destoppoicantes!

  62. O gay corre enquanto pulsa o som

    Um som alegre e de rebelião

    De anarquia e união

    Em nossa mente vai

    O pensamento de que uma vez mais

    Estamos juntos e que ninguém mais

    Vai nos deter ou nos parar

    Vamos até o fim

    Onde quer que isso seja

    Atrás do que é nosso

    Onde quer que isto esteja

    No peito, uma paixão

    o gato que te beija

    Na rua, o inesperado

    Um amigo, uma cerveja

    Quando a canção alcança o peito

    O medo é aquilo que se vai
    Motivo pra Lutar
    Se eu não tiver emprego

    mas tiver liberdade

    Se eu não tiver dinheiro

    mas cerveja à vontade

    Enquanto houver vida

    haverá um motivo pra lutar

    Se tudo está perdido

    nos sobra a esperança

    Se não restarem amigos

    nós teremos a lembrança

    Enquanto houver vida

    haverá um motivo pra lutar

  63. A inversao de valores é uma coisa preocupante,
    vivemos numa epoca em que isto acontece com muita facilidade,
    O homem tem desde o inicio dos tempos a mania de querer substimar
    a existenciua de DEUS, ou mesmo recriar as coisas que ele fez,
    vivem essa busca frenetica a procura do novo, do inusitado, de ser diferente.
    mas, isso, pode ter um preço muito alto, ou seja a perda da identidade humana.
    Os mutantes ( que é como considero essas criaturas que se alto denominam GLBTTPTTTTTTT alguma coisa que nem mesmo eles tem definição) estao tentando tumultuar a vivencia pacifica do seres humanos normais, porem, nao vao conseguir os CAVALEIROS TEMPLARIOS, vao usar a espada e o escudo para impedir essa tentativa de inversao de valores.

  64. CANSEI DE VER ESTUPIDOS SERES FALANDO ASNEIRAS SOBRE GAYS.
    NUMA SOCIEDADE VIOLENTA COMO HOJE POR QUE TANTO FUROR CONTRA GAYS ? É MELHOR AMOR ENTRE HOMENS DO QUE AGRESSÃO.OU SEJA VIOLENCIA PODE E AMOR NÃO ? E O PASTOR DA BAND SILAS MALAFAIA E SEU FIEL ESCUDEIRO BANAL SENADOR PEDRO MALTA…O QUE DIZER ?
    DIGO QUE QUANDO É PARA FERRAR OS OUTROS É COM O SENADOR MAS QUANDO QUEREM CRIMINALIZA LOS COM HOMOFOBIA ELES PULAM FORA…
    O QUE GANHARÃO ESSES FASCISTAS CRISTÃOS?

  65. Tem gay em família?? Tem amigos gays? E daí? Orgulhe-se disso!!!

    Se na sua família ou entre os seus amigos tem algum gay (ou mais de um!)e vc tem orgulho disso, esse é o seu espaço! Para aqueles que desprezam o preconceito e amam as pessoas acima de tudo!!!

    Você que tem um amigo(a) homossexual, que o(a) apoia, respeita e admira (porque para assumir a homossexualidade é preciso ser muito homem e muito mulher)

    Você que sabe que homossexualidade é pssibilidade, que nao se vira gay de um dia pro outro, que respeita todas as formas de amor (porque amor vem da alma) e que principalmente curte os seus amigo(as) e parentes homossexuais pois são pessoas alegres, divertidas, amigas, sinceras e sempre de bem com a vida….

  66. preconceito é uma grande burrice, que cada um vive sua vida do jeito que quiser, …. e diga:

    Sim, eu tenho amigos gls! e vocÊ, nÃo???

    Afinal, não tem nada de errado com nossos amigos gls e sim, com as pessoas ignorantes que ainda os discriminam sem ao menos conhecê-los.

    Lembrando que, grande parte das pessoas amam gays ou lésbicas, e tem amigos no qual se orgulham muito!
    A situação NÃO pode continuar como está!
    Por isso é necessário nos unirmos e lutarmos todos juntos para que a lei que tipifica a homofobia como crime seja sancionada. É inadimissível que tantos GLBTT sejam assassinados, rejeitados, ridicularizados, humilhados DIARIAMENTE!

  67. NÃO HÁ LIMITES PARA DEUS ** DEUS AMA OS GAYS>
    Quando Deus determina algo pra sua vida,
    Quando Ele te faz promessas,
    Pode tudo parecer ir ao contrário,
    Mas se Ele falou Ele fará..
    Se preciso for Ele move o mundo por tua causa,
    Ele faz o caminho onde não há,
    Ele abre porta aonde você não vê,
    Ele entra onde for preciso pra te ajudar
    Ele fecha a boca dos Leões,
    Ele faz um mar se abrir,
    Ele faz 1.000 cairem ao seu lado,
    E 10.000 a sua direta, e tu não és atingido,
    Por amor de um servo dele…
    Não há limites para Deus!!!
    Creia nas promessas que Deus fez à você
    Saiba que nenhuma delas volta atrás
    Porque ele não é homem para que minta e
    nem filho do homem para que se arrependa
    Ele nunca tarda, Ele faz as coisas na hora exata.
    Mesmo que você não esteja vendo a saída, não se preocupe,
    os nossos olhos são limitados, mas creia que Ele fará o que lhe prometeu!
    Deus age no impossivel.

  68. como diz Baudrillard – Sou um dissidente da verdade. Não creio na idéia de discurso de verdade, de uma realidade única e inquestionável. Desenvolvo uma teoria irônica que tem por fim formular hipóteses. Estas podem ajudar a revelar aspectos impensáveis. Procuro refletir por caminhos oblíquos. Lanço mão de fragmentos, não de textos unificados por uma lógica rigorosa. Nesse raciocínio, o paradoxo é mais importante que o discurso linear…

  69. A partir das perspectivas assimiladas ao longo da obra foucaultianodeleuziana, podemos também dizer, conforme explica o antropólogo Felipe Areda, que ninguém “nasce” homem, mas sim que todos nos tornamos homens, numa busca constante. A dita virilidade masculina representa o investimento numa rede relacional: busca- se o reconhecimento da masculinidade. Esta virilidade é uma ética, uma constante inquietude de si. Ao contrário do que pregam alguns militantes gays, o sexo não nasce feito. Nem mesmo “nasce-se gay”, na medida em que a singularidade homossexual, como toda e qualquer singularidade humana, demanda contínua construção, desconstrução, reconstrução. Não se trata, portanto, de lutar por uma identidade no sentido de “ser idêntico a”, ou seja, “seguir um modelo pré-estabelecido”. O pensamento de Foucault e Deleuze opõe-se à idéia de seguir modelos, sejam eles quais forem, o que termina conduzindo a uma dolorosa liberdade: a liberdade de um contínuo criar, de responsabilizar-se por si mesmo, fazendo de si uma obra de arte singular e única. Um total contraponto à idéia de seguir um modelo pré-estabelecido que tenha a pretensão de estabelecer uma “identidade”. Tal perspectiva é ao mesmo tempo libertária e angustiante.

  70. É meu caro Altheman; DEUS ama os gays porque são seres humanos, porém reprova suas práticas pecaminosas em todos os sentidos de suas condutas, DEUS criou o homem e a mulher para se casarem e se tornarem uma só carne, pois é uma ordenança divina.e como você escreveu acima; DEUS promete e cumpre. sabe o que? por exemplo: NÃO RECEBERÃO O REINO DE DEUS QUEM PRATICA A: IMORALIDADE SEXUAL,A IMPUREZA, AS AÇÕES INDECENTES.( GÁLATAS 5.19 )e mais, QUE CADA UM SAIBA VIVER COM SUA ESPOSA DE UM MODO QUE AGRADE A DEUS, COM TODO O RESPEITO E NÃO COM PAIXÕES SEXUAIS BAIXAS, COMO FAZEM OS INCRÉDULOS, QUE NÃO CONHECEM A DEUS ( 1 TESSALONICENSES 4.4-5 ), É Altheman, nota-se que você não tem conhecimento a respeito de DEUS, que você não lê a BÍBLIA e fala e concorda com essa asneira que é essa pec 122, uma verdadeira ABERRAÇÃO que vem de contra aos costumes morais e familiares, que absurdo!você está cego espiritualmente,não consegue ver que as leis do SENHOR É MAIOR do que tudo isso que você pensa. procure Ler a PALAVRA DA VERDADE E A PALAVRA TE LIBERTARÁ. CONVERTA-SE LOGO, PORQUE JESUS VOLTARÁ. GLÓRIA A DEUS SENHOR!

    1. Com licença, Sr. mas as fontes da qual o Sr. retirou tal informação é invalida, dado as comprovadas modificações à qual foi submetida ao longo dos anos. Outro ponto é que a existência de Deus JAMAIS foi comprovada. Têm-se apenas uma forte “crendisse” popular que permanece em volta desta ideia. Muito semelhante aos UFOlogistas, só que em maior proporção.

      Desta forma, peço que reveja seus conceitos e sua fonte, antes de questionar a homossexualidade. Questionar a lógica da igualdade e Liberdade com suas fontes incertas é, na melhor das hipóteses, ingenuidade.

      Passar bem.

  71. homossexuais amando
    Eu pensei que não sabia amar
    Mas você me mostrou que é possível
    Quando o amor é verdadeiro
    Me entreguei
    Abri meu coração
    Descobri no meu sonho teu sorriso
    Feche os olhos vem comigo

    Tudo com você fica mais bonito bem mais colorido
    Um arco-íris de prazer
    ser homossexual é possivel.

  72. Dois homens podem ter uma vida estável sim, mesmo sendo uma relação movida a testosterona. Além do prazer que podem obter, pois conhecem o corpo igual ao seu, são dois seres pensantes, com a capacidade de gostar, que sofrem, choram, têm ciúme. Amar é incondicional. São apenas duas pessoas que têm do direito de serem felizes. E como todo casal, têm suas diferenças, problemas, alegrias… É fácil críticar algo que não se conhece e, tamanha ignorância julgar pelas aparências.

  73. No Egito, como na Mesopotâmia, existiam formas institucionalizadas de homossexualidade. Entre os gregos e romanos, havia a aceitação de relações sexuais entre homens, como demonstração de poder, sem que esses deixassem de ter suas mulheres. Na sociedade ateniense, era natural que um jovem fosse possuído sexualmente por um adulto, porque seu papel na sociedade era de passividade.

    Os temíveis exércitos de Tebas e de Esparta possuíam unidades formadas por pares de amantes homossexuais. Essas tropas, capazes de bravura suicida, eram estimuladas por idéias como as de Platão, que achava que um homossexual nunca abandonaria seu amante em combate e procuraria honrá-lo com feitos heróicos.

  74. A homossexualidade é uma questão que sempre esteve presente no contexto da sociedade, mas as pessoas procuram camuflar isso. A opção sexual é algo que precisa ser respeitado, cada um tem o direito de amar a sua maneira, mesmo que isso rompe com os conceitos da moral visada pelos conservadores.

    Os homossexuais se apaixonam por uma pessoa do mesmo sexo e vivem relacionamentos afetivos desse gênero. Em alguns países o casamento gay já foi autorizado pela Justiça, mas a Igreja Católica não apóia essa idéia e segue na contramão. De fato, o mundo está se modernizando, mas ainda existe uma certa discriminação com as relações homossexuais.

    A homofobia é crime, por isso as pessoas precisam começar a respeitar os gays, driblando todo o preconceito ainda existente. Já é complicado ter coragem de assumir sua orientação sexual perante todos, imagine então ser julgado por causa dela. O amor homossexual existe e como tal deve ser valorizado.

  75. Será que os senhores homofóbicos sabem alguma coisa de direitos humanos?
    Se sabem por que não praticam ?
    O Brasil assinou vários acordos internacionais de direitos humanos e seguem?
    Por que espancar pessoas de rua ou homossexuais?
    Por que só proteger a hipocresia ?
    Bom se os srs. do preconceito não seguem a lei aqui vão alguns detalhes da Decaração universal dos Direitos do homem :
    Artigo IV.
    Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.
    Artigo V.
    Ninguém será submetido à tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.
    Artigo VI.
    Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

  76. um passado acabado

    Até quando ficaremos oficialmente estabelecidos no gueto gay. É proibido aos gays sair dos limites formados por certas ruas cristãs. Há uma comoção enorme. Nosso povo está percorrendo as ruas correndo, nervosamente, sussurrando vários boatos, cada um mais fantástico que o outro.
    já começou o trabalho dos muros, que terão 2,7 metros de altura. Pedreiros homofóbicos, supervisionados por soldados nazistas, colocam tijolos sobre tijolos. Aqueles qu enão trabalham rápido o bastante são espancados pelos supervisores. Isso me faz pensar naquela descrição bíblica de nossa escravidão no Egito. Mas onde está o Moisés que nos salvará de nossa servidão?
    Há sentinelas alemãs ou homofóbicos no fim dessas ruas em que o tráfego não parou completamente. o, mas não devem carregar nenhum pacote. O fantasma da fome de raiva está diante de nós.

    as ruas estão vazias. Reuniões extradordinárias estão acontecendo em todas as casas. A tensão é terrível. Algumas pessoas exigem que seja organizado um protesto. Essa é a voz dos jovens; nossos mais velhos consideram isso uma idéia perigosa. Estamos isolados do mundo. mas há rádios, telefones ou jornais. e por isso sobrevivemos ao preconceito.
    Muitos esperaram até o último momento, pois achavam que os preconceituosos, por causa dos protestos ou subornos, pudessem ser levados a revogar o decreto que estabeleceu o gueto. Mas, como isso não aconteceu, vários membros do nosso povo foram forçados a deixar seus apartamentos belamnte mobiliados de uma hora para a outra e chegaram ao gueto trazendo apenas uns poucos embrulhos nas mãos.
    Para não vivermos só na cidade gueto ou cidade proibida da china entoamos nosso canto contra o preconceito…gays livres definitavamente já…e muitas igrejas já não tem mais ninguém para perseguir e agora só resta os gays para justificarem seus julgamentos banais…mas vamos indo sem as condenações dos banais.

  77. O diabo julga , separa,vocifera julgamentos de repressão.
    o diabo acusa…e tortura os já perseguidos.
    e Deus ama… e AMA todos os homossexuais que se sentem não amados…depressivos e regeitados.
    GAYS sintam se abrigados em DEUS…pois se DEUS não quisesse homoafetivos não os faria…somos criaturas femininas divinas.
    Por isso DEUS nos fez Assim E nos Quer assim…amorosos é claro.
    E tudo O que os grupos religiosos ou não , fazem de mal aos gays[julgando e vociferando banalidades é o mal] é parte do diabo que os usa…pois DEUS é amor e misecórdia infinita…e desde que vc gay faça amorosidade vc é parte do UNODEUS.

  78. Deus ama o pecador e não o pecado. Eis o que a SUA PALAVRA diz a respeito do homossexualismo:

    A mulher, não se vestirá de homem, nem o homem se vestirá de mulher: aquele que o fizer, será abominável diante do Senhor seu Deus! (Dt 22,5)

    Não te deitarás com um homem, como se fosse uma mulher! Isto é uma abominação. (Lv 18,22)

    Do mesmo modo também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em desejos uns para com os outros, cometendo homens com homens a torpeza, e recebendo em seus corpos a paga devida ao seu desvario”. (Rm 1,27)

    Deus “considera dignos de morte aqueles que fazem tais coisas, não somente as praticam, como também aplaudem os que as cometem”. (Rm 1,32)

    “Têm orgulho naquilo de que deveriam envergonhar-se”. (Fil 3,19)

    Não cometo julgamento, digo-vos a verdade. Quem julga vossos atos é a própria consciência é a PALAVRA DE DEUS.

  79. DEUS FEZ HOMEM E MULHER, E NÃO HOMEM, MULHER E UM SER MAIS OU MENOS MULHER E HOMEM. DEUS É SABEDORIA, E NINGUEM PODE ZOMBAR DE DEUS.

  80. liberdade infinita para os gays
    contra os caras de pau que só falam de Deus como um tirano que só levará os heteros pro céu.
    todos vão pro céu conforme seu amor e não pela pratica sexual.
    liberdade contra os focados no normalismo normose
    cada um se aceite e não se regeite.
    amor DE DEUS pra todos.
    DEUS ama vc como vc é .

  81. o antigo testamento é uma banalidade[já diz o nome antigo…ultrapassado]
    o novo testamento tem verdades
    mas só Deus sabe a verdade verdadeira
    parem de besteira amen se sendo gay …
    hoje e sempre amém !!!

  82. Althemam;

    Está na hora dos Homoxessuais fundarem sua própria igreja, já que desconsideram a tradição cristã, ignorando as verdades de fé defendidas pela Igreja Católica a mais de 2.000 anos.

    N’uma instituição meramente humana, vocês poderão moldar a Deus e Sua Palavra do modo que bem entenderem, satisfazendo, assim, vossos prazeres.

    Agora; se esta instituição perdurará, isto eu não prometo!

    Quanto à Igreja Católica:”As portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mateus 16,18)

  83. Muitos dizem: “temos que aceitar a vida”

    Qual vida?

    Esta banalidade sustentada no sistema… e os tempos de ar puro, sem os braços tentaculares do estado, existem? E esta vida deles com atestados, gerenciamentos toda uma gama de tutelas que parecem mais forte que o estado socialista de Stalin

    É aquela prisão branca de THX parece não haver muros, mas os muros de alguma forma existem. E no que fomos reduzidos: pessoas artistas sem eixo nem rumo?

    Acreditar na vida é acreditar no sol, na lua, nos animais e seres verdes. Do contrário recorrer a quem?

    E o sol está quente demais, e até mesmo a natureza revoltosa, com muitos. E o mundo só acaba para quem morre… e os restantes (nós?)

    E se a culpa não resolve nada, por que expiar então?

    Schopenhauer negou a vontade porque viver era sofrer… e é por isso que estou cada vez menos com vontade de falar e se importar com algo.

    -x-

    Angústia

    E se eu chorasse até me desfazer num rio, que bom livramento dessa pesada existência. E se eu gritasse infinitamente e rompesse algum portal e me desintegrasse na luz, que bom caminho!

    (O conta gotas da vida é duro, denso e singular).

    A obrigação de viver é tão dolorida ás vezes, e se eu não quisesse mais nada e dormisse definitivamente…

    Odeio quando pessoas vem com essa história banal de ajuda, não queria continuar e os outros querem nossa continuação… (que peso!)

    O corpo morada ou prisão de nossos gritos e da alma?

    (…)

  84. Vejam bem homossexuais são gente.Gente amorosa e quente.
    Na grécia e outras civilizações os gays eram completamente o bem.
    os nazistas os perseguiram…
    MUITOS católicos os queimaram na inquisição.[NÃO TODOS OS CATÓLICOS]
    MUITOS evangélicos os demonizam.[NEM TODOS OS EVANGÉLICOS]
    É incrivel que as igrejas[não todas]mas a maioria os condenem.
    Jesus disse amai uns aos outros.Não condenai.
    Bom igrejas e políticos ou parte do povo que se comprazem em condenar…são infelizes perdendo tempo em pensares negativos.
    O AMOR ENTRE IGUAIS É UM CAMINHO E É MELHOR SEMPRE O AMOR ENTRE AS PESSOAS DO QUE AS CONDENAÇÕES BANAIS DOS INFELIZES DETURPADORES DE DEUS.[amantes do vil metal]
    DEUS JÁ DESCEU PRA VC E TE CONDENOU?
    ENTÃO É SÓ HISTORINHA BÍBLICA CONTADA POR HOMENS ERRANTES TAMBÉM.
    LIBERTAÇÕ DEFINITIVA DOS GAYS[HOJE E SEMPRE AMÉM] E OS QUE SÃO CONTRA PODEM PLANTAR SEMENTES DE AMOR EM VEZ DE CONDENAÇÃO???????????[cnseguem?]

    1. Dá dó desses gays, eles sdao gosados , escrachados. Pergunte a qualquer pai se ele gostaria que seu filho virasse gay. Lógico que não
      Não se trata de preconceito, acho que as pessoas merecem respeito, até mesmo os gays, contudo eles não podem mudar aquilo que deus quiz
      A bíblia condena a homossexualidade e a bíblia é a palavra de DeusMais sábio que Deus não há
      Os gays de hj estão se fazendo de vitimas, qq coisa é chamado de homofóbico, francamente, virão homens para poderem ser felizes,,

  85. gays amam
    gays fazem amor
    gays riscam as ordens dos ditadores de normas.
    gays são a derrocata da ordem do preconceito.
    viva todos os gays e heteros/bissexuais e travestis que se amam.
    o amor é o motor da paz e não a violência.
    contra os séculos de expoliação dos homossexuais.
    é preciso um reparo nos dias de tristeza em que homossexuais foram submetidos.
    com ou sem aprovação da lei sempre nos renovaremos em nome de nosso desejo e afeto…sempre existemos apesar das amarras em nome do amor que ousa dizer seu nome[amores deliciosamente homossexuais]
    isso te incomoda , então ore por nossa felicidade.
    Já os que vivem de regras que vida banal!!!!
    ordem e progresso para os regressos do mal.

  86. vamos ver o que diz a palavra de DEUS (o criador), livro de ROMANOS cap. 1 vers. 27, 28, 29, 30, 31 32, ” e semelhantemente também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns com os outros, varão com varão,cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles se não importaram de ter conhecimento de DEUS, assim DEUS os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm…. obs: difícil será convencer ao criador DEUS, que ele está errado e os gays certo.

  87. Seremos um cartão magnético no futuro?
    Monitorados pelas mãos, dentes, íris…
    Que tal o balançar dos macacos na floresta amazônica?
    Não é muito mais livre o macaco sem o mundo duro da câmera de vigia?
    liberdade gay…

  88. gato 24,
    é para que isso não aconteça, para que os preconceituosos, homofóbicos, intolerantes não perdurem que este bloguinho, você e tantos outros lutam, para que se possa existir igualdades de direitos na diferença seja ela qual for, desde que não sirva de violência ao outro. Ao contrário, o Mundo Gay é um mundo de alegria, liberdade, humor e inteligência…
    Abraços afinados!

  89. Ainda que se consiga empregar toda a filosofia, todos os pensamentos dos maiores pensadores ou até toda ideologia, não seria suficiente para justificar tamanha falta de compreensão e raciocínio lógico e simples para saber que homosexualismo não é algo da natureza humana. Esta é mais uma das armas do inimigo natural do homem, que quer contrariar a criação de Deus que se opõe a tudo o que Deus fez, nosso inimigo comum contraria tudo, aquilo que Deus desprezou, espugnou ou jogou fora, ele se apropriou e desde então procura aqueles que como ele dão importância a tais insignificâncias.

  90. Gostaria que essa lei não fosse aprovada! Isso é um abuso contra a palavra de Deus, não podemos permitir que isso aconteça, e que, o Brasil se transforme em um antro de sujeira e falta de descência!
    Digamos “NÃO” a PEC 122 que acabará com a moral e com o respeito em nosso país! O povo de DEUS pode socorro!

    1. Oh!, Maely,
      como seu Deus é impotente, já que seu povo se vê ameaçado por uma lei que, na verdade, vem como combate à violência e disccriminação que muitas pessoas sofrem na nossa sociedade por conta de uma orientação sexual.
      Acreditamos que Deus é uma potência maior e jamais ficaria impressionado com as causas LGBTs. Ao contrário, Cristo jamais se colocaria a favor da violência e do crime contra os homossexuais.
      Deus e Jesus não são homofóbicos, Maely! Maely!
      Abraços afinados evagelizantes!

  91. O mundo não é GAY, geneticamente são a minoria (em torno de 10% da população humana na terra). Temos várias espécies com animais homossexuais. A religião, seja qual for, não tem nada há ver com isso, falam de uma coisa que não conhecem, baseados em dogmas, não há como argumentar e racionalizar com esse “povo”. Que venha a lei contra a homofobia e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. É uma questão de justiça a favor do homossexual que sofre muito por ser diferente da maioria e sair do padrão pregado por nossa sociedade arcaica… Cada um de nós tem que ser o que é, e tem que ser respeitado por isso. Aceitemos a diversidade da raça humana.

  92. Discordar de uma prática é totalmente diferente de Preconceito. Esse novo projeto deve ser reformado. E outra, são dados infundados sobre essas pesquisas de homofobia. Se 10 heteros são assassinados não da em nada, se ver como uma tragédia. Agora se 1 gay for assassinado isso já é rotulado como homofobia, porque? Quer dizer que os gays não podem ser vitimas de assassinatos? Todos que vivem correm o risco de vida! Não acho justo ter uma classe exclusiva nesse pais, todos tem o mesmo direito. Não desejo mau a ninguem, mais quero que pelo menos todos tenham os mesmo direitos – já não basta a indiferença que há de pobres e ricos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.