O GOSTO DO VEREADOR FEITOSA E OS NATURALISTAS

Você é o que você come”, diz o enunciado naturalista. Nada de cerceador e nem de moralista. A comida em primeiro momento não conduz a uma reflexão quanto ao que se come. Carrega tão somente um impulso que busca saciar uma necessidade puramente biológica. O que se come, como ato de saciar a fome, pode, ou não, alimentar. Auxiliar o corpo em sua manutenção sadia e preservá-lo contra enfermidades. No segundo momento, comer passa a ser um ato de reflexão. Come-se o que alimenta o corpo e nutre encadeamentos das faculdades do homem para que ele possa, além de ter um soma disposto a agir, ter estímulos volitivos, afetivos, imaginativos e cognitivos. Este o sentido do enunciado: “Você é o que você come”.

Infelizmente, para as instâncias de saúde pública, a maior parte da população da sociedade pós-moderna encontra-se situada no primeiro momento: come para saciar a fome. Principalmente a classe média e a elite. O pobre, em função de sua realidade econômica, come o que tem para comer, não pode se dar ao luxo de refletir sobre o que comer, como acontece com a classe média e a elite, que embora possa refletir sobre o que comer, não reflete. Sua lógica é a lógica gástrica. Ou sua máxima burguesa: “Primeiro a barriga, depois a razão”. Esta a eficaz fábrica de produção de doenças cardíacas, vasculares, arteriosclerose, úlceras, gastrites, obesidade mórbida, etc. Produtos patológicos que obrigam o governo federal a despender grande soma para seu tratamento. Ainda mais, que a maior parte destes gastrofílicos (amantes do estômago) não possuem hábito do exercício físico. Nem mesmo uma caminhada. O que pede para quem come desta fábrica abundante de colesterol e triglicerídeos.

Amparado por um cartão corporativo, o vereador Leonel Feitosa foi a uma churrascaria, segundo ele, em reunião empresarial, e gastou uma soma grande de dinheiro. Constrangido a comentar o fato gastronômico, o vereador, nos fluxos das toxinas das carnes, além de envolver o pai em seu bom gosto, sentenciou que gostava de comer bem. Coisa de família. Leonel, foi tratar de negócio em uma churrascaria, onde só o odor mexe com as vísceras, como diz o naturalismo. Além de acrescentar que a carne é a grande inimiga do coração, hipertensão e do raciocínio (entre outros). Por tal, a primeira advertência que os médicos fazem para quem quer começar uma dieta, é tirar a carne da alimentação. É claro que um churrasquinho uma vez ou outra, assim em uma decisão de campeonato, não faz mal a ninguém. Mas parece que o vereador não é chegado a final de campeonato. Na primeira reunião empresarial, o vereador escolheu o que mais afirma seu bom gosto: churrascaria. Pode até ser que não tenha sido escolha dele, tenha sido dos empresários, porque empresário adora comer em abundância. Sentir que está cheio na só em suas contas bancárias, mas também em seu estômago insaciável. E nesse caso, só carne, mano. Mas o certo é que o Leonel, sua excelência, foi a uma churrascaria, mano. Se escolheu e comeu, só eles sabem, mano. Mas o ato de se por contrário aos estudantes deixa vestígio que ele comeu, mano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.