ONGS QUESTIONAM HOSPITAL TROPICAL SOBRE RELAÇÃO PACIENTE/AIDS

ONGs que trabalham diretamente com pacientes acometidos do vírus HIV internados, ou freqüentadores ambulatoriais do Hospital Medicina Tropical estão questionando junto ao corpo-médico da Fundação Medicina Tropical, sob a direção do médico dermatologista, Sinésio Talhari, o tratamento que vem sendo direcionado aos pacientes com AIDS.

A preocupação das ONGs começou no momento em que pacientes se queixaram do tratamento quem têm recebido na instituição hospitalar. Além dos números de óbitos que ocorreram de janeiro até este mês de março para eles muito preocupantes.

Em acordo com a diretora clínica do hospital, a médica Lucilaide Oliveira, os representantes das ONGs prometeram não tomar nenhuma medida enquanto não houvesse uma reposta do corpo médico responsável envolvido no tratamento dos pacientes.

REUNIÃO PARA DISCUTIR A QUESTÃO

Segundo informações, hoje pela manhã ocorreu uma reunião para discutir o tema e daí será tirada uma resposta a ser entregue às ONGs. Na reunião, abordou-se todos os componentes humanos, técnicos, científicos e administrativos que poderiam estar produzindo o objeto das queixas dos pacientes. Entre outros, comentou-se sobre a distância que a direção da Fundação Medicina Tropical tem tomado em relação ao que deve ser realmente feito quanto ao caso específico da AIDS.

Para alguns membros que participaram da reunião faltam investimentos em estudos sobre a enfermidade, aparelhos laboratoriais, mais dinâmica nos ambulatórios e maior esforço administrativo. E que, segundo comentam internamente, o diretor da FMT, Sinésio, tem se apegado a enunciação que AIDS é um caso dermatológico.

Não ficando somente na esfera médica, o caso também é visto pela esfera política/social. Para alguns a situação tem a ver com a retirada da Gerência da AIDS do hospital. O que causou uma nesga de personalismo afetado. Para outros, a saída da Gerência do Hospital foi bom, pois tratava-se do interesse de membros que estão comprometidos com o fator HIV além dos objetivos resumidamente médicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.