NEPOTISMO DE AMAZONINO É SINTOMA DA PROXIMIDADE DA CASSAÇÃO

Um sintoma é um evento ou situação que oculta/expressa outro. Um sinal, um signo, que indica a existência de algo, ao mesmo tempo em que o oculta. Assim, uma febre, por exemplo, pode ser um sintoma tanto de uma dengue, como de uma malária, ou mesmo de uma inflamação interna. Pobre do médico que acredita na febre como a enfermidade em si, e não a entende como um sinal/sintoma que oculta a real doença.

Assim, os meios de comunicação de Manaus, obnubilados pela gestão nepotista e interina de Amazonino, o Breve, ignoram o fato real e enfatizam – quando o fazem! – o sintoma. Amazonino, depois de nomear a filha, a irmã, a irmã do vice, a dupla Braguinha Pai e Braguinha Filho, a dupla Leite Pai e Leitinho, dentre outros, nomeou ainda a filha do desembargador Ari Moutinho para a presidência da Fundação Doutor Thomas.

Ação sintomática da prefeitura interina de Amazonino. Há quem tenha visto a nomeação como uma tentativa de “afagos” ao desembargador, que é também presidente do Pleno do TRE/AM, que deve julgar a candidatura de Amazonino, cassado em primeira instância pela ínclita juíza Maria Eunice Torres do Nascimento. Assim, o Deputado Federal Praciano afirmou que pretende entrar com uma representação junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), pedindo o afastamento de Moutinho ‘Pai’ da função no tribunal eleitoral, já que o mesmo não se sentiu moralmente impedido nem com o interesse direto do filho, Ari Moutinho ‘Filho’, na eleição de Amazonino, nem quando o mesmo Moutinho ‘Filho’ foi agraciado com uma vaga no TCE/AM, também sintomática do envolvimento familial com a eleição.

Na realidade, a clínica blogueana intempestiva aponta a origem do sintoma em outra direção. Amazonino, sabendo da quase-consumação de sua cassação, aproveita o pouco tempo em que ficará na prefeitura para colocar nos cargos de confiança pessoas do seu círculo íntimo, familiar ou não, que lhe permitam fazer em poucos meses o que não tem feito nos últimos quatro anos. Tivesse céu de brigadeiro, e os quatro anos pela frente, certamente Amazonino estaria bem mais à vontade do que tem se mostrado. Amazonino não tem se poupado em realizar nomeações e em descumprir promessas de campanha em tempo recorde (já que fazê-lo, ele sempre fez), como se tivesse pressa em “aparelhar” a prefeitura com os familiais.

O MUNDO MUDOU, ERONILDO!

Talvez a dificuldade em compreender o que o sintoma oculta tenha feito o comunista (sic) Eronildo, o Cultural, afirmar que o fato de Amazonino ter declinado de nomear a irmã para a Secretaria de Assistência Social graças à repercussão nacional do caso de nepotismo é uma prova de que o mundo mudou. “Antes, ele jamais recuaria”, afirmou o comunista (sic) e secretário de agricultura do governo Braga.

O que Eronildo não sabe é que o recuo foi idéia (ou ideia, pela nova norma gramatical) de Marize, que pretende, como contou este Bloguinho, assumir a secretaria assim que a poeira midiática baixar. Amazonino não recuou, camarada Eronildo! Do contrário, não teria nomeado os outros parentes e aderentes de sua interina administração.

Mas o mundo realmente mudou, como afirmou o camarada Eronildo. Tanto que ele, contumaz crítico do governo Braga, hoje se aninha à família do governador, como secretário de produção rural – que não conhece que o sufixo cultura, da palavra agricultura – e nutre, segundo a imprensa, esperanças de ter o apoio do agora patrão para a candidatura a deputado federal e da esposa, Vanessa, para senadora.

A real mudança que Eronildo não viu é a transformação por que passa o Brasil, com a emergência de um enunciado democratizante, que enfraquece as forças reacionárias das quais o governo que ele participa é parte, e que Amazonino, com suas nomeações atabalhoadas, apressadas e familiais, expõe o medo oculto da dupla interina: a certeza da cassação.

2 thoughts on “NEPOTISMO DE AMAZONINO É SINTOMA DA PROXIMIDADE DA CASSAÇÃO

  1. Um dos maiores benefícios que a eleição de Serafim Corrêa nos trouxe em 2004 foi a possibilidade de comparação entre as últimas administrações da Prefeitura Municipal de Manaus. Eu nunca havia visto tanta oposição e tanta má vontade de certa parcela do povo, principalmente de funcionários da prefeitura e do governo do estado, em relação à nova administração que em 2005 se iniciava. O povo que ficou ao lado de Amazonino, criticou e participou com suas opiniões de todas as realizações de Serafim, inclusive através de muitos programas de televisão. Portanto, temos agora a era antes e depois de Serafim. Hoje, quando entro em órgãos públicos tanto estaduais quanto municipais, ouço comentários tais como: “Tá vendo Fulano, o Amazonino falou tanto do Serafim e agora está fazendo pior!”, “Viu Beltrano, no tempo do Serafim nos tínhamos esse ou aquele benefício e agora estão falando em tirar!”. Isso antes não acontecia. Entrava Amazonino, saía Amazonino, entrava Eduardo, saía Eduardo, entrava Arthur, saía Arthur, entrava Alfredo, saía Alfredo e não acontecia nada. Viva a Democracia! Viva a Cassação!

  2. Moura,

    Os rumores à boca grande de que a população já está sentindo “saudades” da péssima administração serafínica – maravilhosa, perto da administração do Interino – estão em todos os lugares, nem precisa ir a uma repartição pública. Nós, que imaginávamos 3 meses, constatamos que não chegou a 3 semanas.

    Só não são maiores qe os rumores da cassação…

    Abraços mourânicos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.