Imagine o intempestivo leitor que, aproximando-se a data festiva da democracia representativa que irá eleger os representantes do executivo e legislativo municipais, em sua caixa de correio – a física, não a internética – começam a chegar cartinhas simulando uma improvável intimidade entre você (seu nome, sem o pronome de tratamento adequado: ao invés de “Sra. Fulana”, apenas “Fulana”), ou um “santinho” com nome, número e promessas do candidato, disfarçadas de “propostas”. Quem sabe um calendário 2008/2009, com uma foto em tamanho pôster dele com um sorriso que tem mais jeito de ter sido ajeitado em Photoshop do que no dentista. Talvez mesmo um informativo, com nome de guerra num tom imperativo, bem personalista, com o nome do candidato espalhado de três entre três palavras e um sorriso a cada fotografia.

Se isso acontecer com você, leitor intempestivo, daqui até o mês de outubro, e você não se lembrar de ter fornecido a nenhum candidato, secretário ou cabo eleitoral o seu endereço, e não possuir com o pretenso candidato nenhum afinidade, sequer parentística, desconfie.

Fontes intempestivas contactaram este bloguinho para informar que a ordem em alguns órgãos da prefeitura é aproveitar cadastros de usuários, alunos, pacientes e aderentes para obter endereços de correspondência. Mesmo em alguns locais, onde a lei seria um impedimento a que as pessoas tivessem divulgados seus dados pessoais – existirá algum órgão público autorizado a fornecer endereços e dados pessoais de usuários a outrem? – funcionários “autorizados” e outros nem tanto estariam elaborando listas de endereços a fim de encher a caixa de correios do usuário com propaganda não solicitada. É a versão “socialware” do spam.

Com a concorrência ferrenha entre os subservientes funcionários a querer mais avidamente que o concorrente mostrar serviço ao patrão, é possível que em pouco tempo, as caixas de correio estejam entulhadas de santinhos, cartas, informativos de todos os jeitos, com todas as caras e partidos. Até dos adversários, afinal a democracia chegou também na propaganda irregular, e cada qual tem no serviço público sua cota de fiéis.

Por isto este Bloguinho Intempestivo sugere: ao escolher o candidato, use a sabedoria popular: “diz-me com quem andas…”

1 thought on “"AMOR, UMA CARTA PRA TI…"

  1. Não faça de sua vida uma estrada onde todos passam e só vc fica
    Faça de sua vida um sonho,
    Desse sonho uma realidade
    Dessa realidade uma lembrança
    Dessa lembrança uma saudade
    Quando pensares em mim é porque fiz parte de sua felicidade
    Quando ´porém lembrares de mim e sentires saudades me procure no vento eu eu serei “a brisa ” suave que toca em seu rosto somente pra te dizer
    EU TE AMO (C e E)
    ORKUT
    cast_lrd@hotmail.com

Responder a Carlos Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.