AGORA VAI: FILOSOFIA E SOCIOLOGIA NAS ESCOLAS

O senado aprovou a obrigatoriedade do ensino das disciplinas Filosofia e Sociologia nas três série do Ensino Médio. Agora falta o Lula aprovar. Do que o povo conhece de Lula quanto aos saberes, já está aprovado. Apesar da oposição de grande parte dos proprietários de escolas particulares, que não pretendem ter mais gastos com professores.

Alvíssaras! Sim, alvíssaras! Todavia, agora está nas mãos dos graduados nas duas disciplinas em realizarem a práxis social que exige a sociedade. Principalmente o exercício filosófico, que é sempre confundido com história da filosofia na maioria dos cursos de filosofia. O que passa a ser mais um catecismo teológico.

Se for apenas para traçar uma figuração ilustrativa da história da filosofia, onde se vai contar apenas a parte inerte dos sistemas filosóficos, de nada vai adiantar a aprovação da lei. A práxis filosófica nas escolas não pode ser transformada em desérticas aulas como outras desérticas apresentações de outras disciplinas escolares.

A práxis filosófica é para quem está comprometido com a vida. Para quem quer compor novas formas de saberes e dizeres que estejam livres das mitificações e mistificações responsáveis pelos preconceito, discriminações, exaltações do irracional. A filosofia é um movimento de liberdade. Daí porque os tiranos a temem.

Ensinar os sistemas e as doutrinas filosóficas é necessário, mas não é filosofar. Não é a fundação de um estado democrático. Tudo que a maior parte das escolas particulares não desejam.

Quanto ao ensino de sociologia, nada de se tomar como uma deidade sociológica que ao ter nas mão dados do já ocorrido em sociedade, faz prognóstico sobre uma realidade que nem se sabe se se atualizará. Posição que nega o devir social do homem construtor de novas relações sociais.

Se as duas disciplinas não se tornarem práxis constitutivas do novo, confirmam os tiranos: são desnecessárias.

4 thoughts on “AGORA VAI: FILOSOFIA E SOCIOLOGIA NAS ESCOLAS

  1. Sério mesmo que você acha uma boa notícia? Um governo que tentou criar o conselho nacional de jornalismo, uma censura mal disfarçada, quer aprovar meio sem propósito o ensino de filosofia e sociologia nas escolas… Isso não tem cheiro de lavagem cerebral? Mais importante que a ladainha de esquerda de agredir as escolas particulares, que tla pensar que A) o governo quer mais um instrumento de manipulação de massa, como era a disciplina OSPB durante e alguns anos depois da ditadura, e B) ainda mais carga horária retirada do ensino, um ensino que nem consegue ensinar a ler ou fazer contas simples.
    Goste de filosofia, se te faz bem. Mas veja todos os lados desta moeda, já que é seu ramo e vocação questionar as coisas da vida.

  2. Companheiro Engravatado João,
    Tanto mais de direita ou da esquerda destra que toca a direita mais o governo Lula perfeito, já que o endeuzam. Nós, na proximidade com o Sapo Barbudo, apenas percebemos a linha democrática de seu/nosso governo. Um Conselho Nacional de Jornalismo deve ser uma entidade democrática formada por jornalistas íntegros para proteger o jornalismo da mídia seqüelada e golpista. Esta que censura a inteligência e não deixa passar nada de verdade e realidade. Se for trabalhada não apenas como disciplina, mas como novas formas de sentir, perceber e, principalmente, agir no mundo, Filosofia e Sociologia irão ajudar não só na leitura como decodificação de signos, mas como leitura, transformação/criação de mundos, onde outros joões, valdirenes, katílcias, pedros, valdivinos se sintam livres e atuantes, quer os engravatados queiram ou não. Continue nos acessando…
    “A gravata já me laçou
    a gravata já me enforcou
    amém” (Tom Zé)

  3. ME PARECE UM BOA IDEIA COLOCAR NAS ESCOLAS DISCIPLINAS DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA, DESTE QUE OS PROFESSORES NÃO RECEBA OS LIVROS DO GOVERNO FEDERAL COM UM CRONOGRAMA DE POLITICA SOCIOLOGICA E FILOSOFICA MAQUIAVELICA

  4. Companeiro OMSITLUCO,
    concordamos com você que os professores não recebam os livros com diretrizes de nenhum governo ligado a estados autoriarios e despóticos. Só assim serão possíveis outras leituras de Maquiavel, como filosofia menor, diferentes da que faz a filosofia régia e a sociologia tradicional, como minação do Estado sem método e sem regra, que violenta a natureza humana…
    Valeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.