___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

______________________ inatual ______ atual _____ inatual ____ atual ___ cristal_real       “Não há erro mais perigoso que o de confundir  o efeito com a causa. Considero esta a verdadeira perversão da razão” Nietzsche                       Do talento urbano: quando alguém, em um bairro pobre, tenta atravessar um pinguela com um filho nos braços, revela seu dom artístico de equilibrista e malabarista.                       Na Roma Antiga, quando a Plebe tencionava discutir temas de importância social e política, se reunia em Conselhos e exercitava as alternações discursivas transportando estes temas. O encontro, o discurso, a oratória e a retórica criavam uma realidade sócio-política chamada de comicius.                                        A ministra Dilma Roussef, em um encontro com beneficiários do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento), usou a palavra comício para testemunhar a realidade do encontro, a direita aproveitou, afirmando que a ministra confirmava que estava em campanha.                             O jornal Folha de São Paulo, tomando-se como especialista em política e freudianismo, reprovou-a, sentenciando que ela havia errado. Talvez tentando afirmar que onde ela se encontrava não era um comício, e também, vai lá saber, que confessara sem querer que ela já estava em campanha.                       É sabido até pelos minerais, segundo Mino Carta, que não é a inteligência que impulsiona a mídia brasileira, principalmente.                                 A ministra estava duplamente em comicius: 1– Sócio-politicamente, e 2- Lingüística/semântica e semiologicamente.                              “Quando as luzes da ribalta se acendiam, mil mulheres lá no palco apareciam, cada uma com beleza sem igual” _____________________________    Os deputados do Amazonas querem ir até Brasília para falar com Lula para que ele impeça a transferência da Manaus Energia para o Rio de Janeiro.                        Os deputados jamais souberam se esta empresa se encontrava em Manaus: nunca reivindicaram junto a tal empresa melhoria de atendimento aos moradores dos bairros distantes que, constantemente, são afetados dolorosamente com a ausência de energia.                                                            Parlamentarmente, para a população, qual a diferença Rio de Janeiro e Manaus? ________________________                                 “Ao ver-nos, Cérbero, esse monstro horrendo, abriu as bocas, suas presas raivosas expondo e o corpo todo estremecendo” Dante                        Veloz como a velocidade da vertigem, ele passou por mim, deixando-me prostada no meio caosmótico.                 Original e singular, quando as crianças morrem, não vão para os lugares almejados pelos adultos.              As crianças não se territorializam nos territórios dos adultos.          O mítico e o místico são mundos estranhos a elas.                                “Nenhuma bicha jamais poderá com certeza dizer eu sou bicha. O problema não é ser isto ou aquilo no homem. Mas antes, de um devir inumano, um devir universal, animal…!” Deleuze               _____________________                 Em política, militância é uma práxis individual ou coletiva (quase sempre coletiva) de uma posição (tese) confrontada com a posição de um grupo, classe ou governo cujos atos impedem a emergência de direitos necessários à existência dos militantes. Nada que desloque para a ação bélica-militar. É, em si, uma velocidade-fluxo descontinuador do estado de coisas defendido pelos dominantes. A potência/alegria/constitutiva libertada depois da observação destes estado de coisas, sua análise e suas possibilidades de mudanças.                                       Em encontro partidário para traçar metas políticas, o  PSDB fala na necessidade de ir à militância.         Serra afirma que o partido tem de abdicar da prática de denuncismo e ir à luta: colocar propostas.                        Como é sabido, para ocorrer à militância seus militantes devem observar lentamente o mundo em que se encontram: não é prática do PSDB. Analisar seu interior e exterior: o PSDB não carrega essa lucidez e equilíbrio. Confrontar com real social: sem a tese (posição), o PSDB torna-se ficcional. Assim, o PSDB nunca teve e não  vai ter militância. O PSDB é um partido de grupos dominantes. Não milita. Defende seus interesses com clichês do conservadorismo econômico-político. Não possui existência cujo suporte ontológico tenha sido fundado pela práxis democracia constitutiva. O PSDB não carrega nem fundamentos científicos em seus atos. Ao se identificar com o governo Bush, o PSDB confunde militância tese/política, com beligerância autoritária. O medo da liberdade.                                 “A humanidade, que outrora com Homero tinha sido objeto de contemplação para os deuses olímpicos, tornou-se agora objeto para si mesma. Sua alienação de si mesma atingiu esse grau que a faz viver a sua própria destruição como uma sensação estética de primeira ordem”

Walter Benjamin

1 thought on “CLINAMEN

  1. Noossa! tenho gostado muito de ler seu blog, muito inteligente e bem escrito. Gosto muito do fato de você falar de várias cosias além do mundo GLBTT, isso ajuda a muito a tirarem da cabeça que toda “Bicha é burra”ate por que nós sabemos que na maioria das vezes é o oposto
    Parabéns pelo blog e muito obrigado por ter me posto como um dos blogs parceiros e ter linkado o meu aqui.
    Um abraço,
    🙂
    Grampo
    http://navidaenaarte.blogspot.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.