DUAS NOTAS EM TOM MIDIÁTICO-INTELECTIVO

Notas Musicais

PRIMEIRA NOTA – LÁ – O Ministério Público do Amazonas interditou esta semana a TV Câmara, que transmite as estrelas da CMM e suas peripécias fantásticas na tribuna. O motivo é que os funcionários que levavam ao ar a programação cultural eram pagos com dinheiro público, mas não eram concursados. O que levou a direção da CMM a afirmar que a TV está fora do ar por problemas técnicos: técnico-judicial. E agora, artistas?

SEGUNDA NOTA – DÓ – Aproveitando a presença fortuita dos vereadores Isaac Tayah (PTB) e Fabrício Lima (PRTB), jornalista perguntou qual a opinião deles sobre a medida provisória federal que institui as ZPE´s, concorrentes diretas nos incentivos fiscais da Zona Franca de Manaus. Fabrício afirmou que a aprovação seria danosa à ZFM, que é o esteio econômico do Amazonas desde a sua criação, na década de 70, e que, com o seu fim, a floresta amazônica se deterioraria mais rapidamente, porque não restaria ao caboclo nenhuma atividade que não cortar madeira. Pérola ecológica-histórica, já que a ZFM é de 1967, e que a Amazônia nada tem a ver com a ZFM, ou a floresta já teria sumido no período da borracha, o que leva à pergunta: quem veio primeiro, a floresta ou a ZFM? Já Isaac Tayah não ficou por menos, e também condenou as ZPE´s, afirmando que com o fim da economia industrial, as estradas aos poucos iriam desaparecer, isolando ainda mais o Estado, fazendo com que a única alternativa de escoamento e de contato com o exterior seja a via marítima. Será algum projeto secreto e revolucionário do vereador, trazer para o Amazonas o mar que a natureza lhe negou? Se sim, é mais retumbante ainda que a ponte Manaus-Iranduba! E agora, governador?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.