O MEDIUM TELEVISIVO E A OPINIÃO PÚBLICA

O DESESPERO DE BONINHO É O DESESPERO DA GLOBO

Há quem diga que quando o desespero ganha grandes proporções ele toma conta do indivíduo fazendo com que a raiva o domine. O desespero é convertido em raiva e esta, por sua vez, é jogada contra aqueles que menos estão envolvidos nas razões da construção do desespero. Isto ficou provado com a reunião que o diretor do programa Mais Você, da TV Globo, fez com a sua equipe. A reunião transcorreu aos berros de Boninho, que exigiu de sua produção aumento na audiência do com-o-pé-na-cova-programa. Boninho, em sua tentativa de colar na produção do programa a culpa pelos baixos índices de audiência, só esclareceu mais ainda a evidente queda de ibope que a TV Globo vem sofrendo. A raiva de boninho é apenas uma ilha de angústia em um oceano de desespero que a TV Globo vem se afogando.

Boninho foi convocado para ser o diretor do Mais Você como tentativa de impedir que ele se junte aos Programas Sem Audiência (PSA) que se tornaram constantes na TV Globo. Ledo engano da emissora! O programa continua com expressiva queda na audiência, antes perdendo para o Hoje em Dia e, atualmente, para o Fala Brasil, ambos programas da Record. Boninho não está conseguindo pôr os paus de escora na estrutura da Globo, que despenca.

O programa Mais Você funciona no melhor formato Globo: dentro da obviedade e do entretenimento medíocre inútil. Apelação descarada às emoções padronizadas mescladas com uma culinária estúpida, posto que não cria, através dos encontros das substância alimentícias, composições para além dos sabores já constituídos. Com tal estrutura, os baixos índices de audiência do programa não se configuram como um problema isolado para a TV Globo, ao contrário, demonstra que, como bem disse a ex-rainha dos baixinhos e a atual bruxa dos baixíssimos índices de audiência, Xuxa, é toda a rede Globo de Televisão (RGTV) que está estagnada no mercado midiático. Desespero. É a palavra que pode se aproximar da situação que a RGTV nunca antes na história da televisão brasileira poderia se imaginar. E é por esta razão que ela se vê agora próxima ao buraco televisivo, que é acumular PSA. Para a RGTV, o império midiático sempre foi seu. A emissora com os mais altos índices de audiência, os atores-mercadoria mais cobiçados pelo mercado midiático, os programas (em todos os gêneros) mais elogiados e uma total abrangência nacional, que fazia com que o seu sinal estivesse em todas as regiões do país. Seu mundo era fechado em si mesmo. Seus donos (a família Marinho), sempre envolvidos na política-profissional, influenciando decisões até mesmo no mais alto cargo executivo do país. Tudo girava ao seu redor, até o globo terrestre lhe pertence. O desespero começou quando a fantasia foi se diluindo. Começaram a aparecer as baixas de audiência, seus atores-mercadoria começaram a ser comercializados por outras emissoras, os programas já não são os melhores (em todos os gêneros), seu sinal agora tem uma concorrência acirrada e sua influência na política-profissional atualmente se resume a acompanhar o desespero da direitaça, bem caracterizado em FHC, diante do trabalho do Governo Lula, o que ficou claro nas desesperadas e inúteis tentativas de corromper as duas campanhas Lula.

Boninho pode berrar, pode gritar, chorar, rodar a baiana, puxar com força e gemer, que não adianta. Sua ‘desesperação’ demonstrou que nem sequer a raiva é criação sua, posto que seja efeito da diluição da fantasia global. Nem seus gritos são autênticos, nem o desespero é seu, nada lhe pertence neste ato, tudo faz parte da dor de não mais poder continuar na fantasia de se querer o maior, o melhor.

Contudo, a globo teve um acerto quando direcionou Boninho para o Mais Você. Ele tem familiaridade com a culinária estúpida do programa. Quando o assunto é fazer da comida um elemento de demonstração de insuficiência intelectual e agir como um filhinho de papai que tudo pode, Boninho é o melhor indicado. Não foi isto que ele demonstrou ano passado no Vídeo dos ovos? Boninho, Luiz Eduardo (neto de Brizola), Narcisa Tamborindeguy (socialyte) e Bruno Chateaubriand (apresentador do Viva a Noite), jogavam ovos de cima de um edifício nas pessoas que lá embaixo passavam na rua. Como na semiótica midiática-mercadológica todos são iguais, boninho e sua turma podem apresentar o Mais Você junto com Ana Maria Braga, e, em vez de irem para baixo da mesa fazendo caras e bocas, tudo parte da culinária estúpida que tenta dar ao público a impressão de que a comida está gostosa, Boninho e companhia jogariam a comida. Ora, onde reina a estupidez, nunca se têm estúpidos demais!

Esta coluna acredita na possibilidade da expansão da consciência pelas experiências autênticas que fazem soltar novas percepções, a criação de novos olhares sobre o mundo. Na alegria-estética de perceber o medium televisivo como uma violência à inteligência coletiva, contamos com a sua contribuição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.