PONTOS DO BURACO NEGRO

Buraco Negro em Esquizo-Análise é um sistema que captura corpos para se alimentar

Comemoração festiva de Manaus corrompe Poema À Posteridade, do teatrólogo alemão Brecht.

Ao afirmar que Manaus se autodefine, prefeito confirma a opinião pública.

Márcio Souza, um dos contratados para o ato festivo manauara, desaprecia a gestão Serafim e ele não comenta.

Apesar do deslumbramento de Márcio Souza, sua textualização repete a caricata melancolia que impede a ruptura do arcaico.

Comemorações evidenciam a inexistência de uma política pública artística.

Programa da TV Câmara tem caráter de campanha do presidente CMM.

Projeto Pequeno Parlamento da CMM é regressão infantil.

Em vistas do período eleitoral, os mesmos antigos jargões.

É criada mais uma secretaria como atravessadora entre os indígenas e seus direitos.

Somente após cinco anos, governo afirma que deu primeiro passo para melhorar a vida das pessoas.
Governo usa o nome de Deus para justificar miséria.
Arte para prefeitura é mistura de ritmos e teatro lamê.
Artista subserviente se ilude na grandeza dos holofotes do governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.